Tecnologia “Spritz” permite que usuários leiam até cinco vezes mais rápido


Spritz

Spritz

O processo de identificar a junção de letras que formam uma palavra com sentido completo é conhecido como leitura. Parece uma conclusão óbvia, mas um grupo de cientistas na Universidade Técnica de Munique, na Alemanha, decidiu estudar esses fundamentos básicos. O resultado foi o desenvolvimento de uma tecnologia que permite aos usuários de dispositivos móveis ler textos inteiros até cinco vezes mais rápido: trata-se do Spritz.

Seguindo o método de leitura tradicional, o cérebro humano identifica um ponto central dentro de uma palavra e a interpreta por inteiro, sem precisar seguir letra por letra. O que fazemos normalmente é acompanhar uma palavra após a outra, mantendo nosso objeto de leitura parado enquanto movemos os olhos pela página ou pela tela.

A proposta do Spritz é recuperar o tempo perdido com esse movimento, mantendo o olho do leitor fixo em apenas um ponto da tela, enquanto as palavras vão sendo mostradas uma de cada vez. A tecnologia – disponível até este momento apenas para desenvolvedores em sistema operacional iOS, da Apple – permite que os usuários leiam de 100 até mil palavras por minuto. A patente já é utilizada em apps como o “ReadMe!” e o “The Old Reader”. Experimente.

Segundo Krystina Puleo, porta-voz oficial do Spritz, é preciso deixar claro que a ferramenta não é um aplicativo. “Na realidade, não se trata de um app, como muitos veículos informam, mas uma tecnologia integrada a dispositivos móveis, portáteis, websites e mesmo aplicativos“, afirma.

Krystina garante que ler mais rápido não prejudica a compreensão de um texto. “Melhorando a exibição das palavras para o olho, nós podemos diminuir o tempo de leitura, po que o globo ocular não precisa perder tempo procurando pelo que chamamos de ‘Ponte de Reconhecimento Ideal’. Com o Spritz, as palavras podem ser focadas por mais tempo, o que leva a uma compreensão bem maior do texto.

A porta-voz ratifica que veículos de mídia têm muito a ganhar integrando essa tecnologia a seus aplicativos móveis. Ela diz que com o Spritz usuários podem navegar por portais de conteúdo em seus smartphones ou tablets e consumir toda a informação disponível em bem menos tempo. “Tudo o que pode ser lido, pode ser ‘spritzado’. […] Esperamos que, em breve, bilhões de leitores ao redor do mundo estarão usando essa ferramenta como uma maneira de ter informação sem esforços“, finaliza.

Portal Imprensa | 03/07/2014

Aplicativos levam leitura dinâmica à era digital


A leitura dinâmica surgiu há mais de meio século, mas novos aplicativos estão trazendo a técnica à era digital, ajudando usuários a ler livros mais rápido.

O ReadMe!, novo aplicativo para iPhones, permite aos usuários controlar o ritmo da leitura de 50 para 1 mil palavras por minuto.

“É sobre ser capaz de ler um livro como ‘Harry Potter’ em uma hora e meia e ainda assim ter a completa compreensão”, disse Pierre DiAvisoo, que criou o aplicativo com sede em Boras, na Suécia.

Os leitores selecionam um e-book no aplicativo, que está disponível para o mundo todo e custa 1,99 dólares. Depois de abrir a tecnologia de leitura dinâmica, aparece uma palavra de cada vez. O aplicativo não trabalha com e-books que têm restrições de compartilhamento.

Em alguns minutos, os leitores podem aprender a dobrar sua velocidade de leitura para cerca de 400 e 450 palavras por minuto sem perder a compreensão, de acordo com a Spritz, companhia sediada em Boston que criou a tecnologia de leitura rápida.

“A leitura não mudou em milhares de anos. As técnicas de leitura dinâmica ainda estão focadas em consumo de textos em linhas e na leitura da esquerda para a direita, linha por linha”, disse Frank Waldman, presidente-executivo da Spritz.

Ele acrescentou que a tecnologia combina apresentação visual rápida e em série [RSVP, na sigla em inglês], com busca visual para apresentar palavras com reconhecimento ideal para um entendimento rápido.

Enquanto as pessoas passaram a ler em aparelhos pequenos, e até mesmo em relógios inteligentes, Waldman disse que a Spritz será o jeito mais conveniente de absorver informação.

Mas um pequeno estudo da Universidade de San Diego, na Califórnia, mostrou que a leitura dinâmica pode não levar ao mesmo nível de compreensão que uma leitura normal, porque é mais difícil de voltar para esclarecer o entendimento.

O estudo, que não inclui a tecnologia Spritz, mostrou que a compreensão era cerca de 25 por cento menor usando a técnica RSVP. Mas uma pesquisadora da universidade adicionou que se as pessoas só precisam absorver conteúdo rapidamente, os aplicativos podem ser benéficos.

Spritz também tem um aplicativo para todos os navegadores da Web chamado Spritzlet, que permite aos usuários ler mais rapidamente na web. Vários outros aplicativos de leitura de velocidade também usam a tecnologia Spritz.

Velocity, um aplicativo para iPhone que custa 2,99 dólares, e ReadQuick, que custa 9,99 dólares, usam RSVP, assim como o Speed Reader, um aplicativo gratuito para dispositivos Android.

Terra | 23/06/2014

Aplicativo promete revolucionar a leitura tradicional


É bem possível que você, e a maior parte dos seus conhecidos, nunca tenha parado para pensar no modo como lê. A questão é que o método de leitura é sempre o mesmo – da esquerda para a direita e de cima para baixo -, o que muda é a velocidade com que se lê, adquirida por meio da prática.

Foi pensando nisso que Frank, Maik e Jamie criaram o Spritz, tecnologia capaz de gerar maior agilidade na leitura e melhor compreensão das palavras. Quando ativado, uma pequena tela se abre em cima do texto e palavra por palavra é mostrada nela, em uma velocidade escolhida pelo usuário, que varia de 100 a 700 palavras por minuto.

Segundo os criadores, 80% do tempo de leitura é gasto em mover os olhos de um lado pro outro da página, o que, segundo eles, diminui a absorção de conteúdo. E o Spritz foi criado com o objetivo de otimizar o tempo do leitor, fazendo com que seja possível ler livros, por exemplo, em tempo recorde.

De acordo com os criadores, o leitor tenta encontrar um ponto no meio de cada palavra que lê, para só assim entender o que ela significa. Esse ponto é chamado de ORP [Optimal Recognition Point], e no Spritz é representado por uma letra em vermelho. Ou seja, em meio a palavras, que aparecem uma a uma e com um ponto de reconhecimento no meio, a leitura é facilitada, segundo o que dizem os criadores.

Já Lilian Cristine Hübner, professora da Pós-Graduação em Letras da área de Linguística da Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul [PUC-RS], afirma que a lógica do cérebro de um leitor proficiente é sempre antecipar as palavras, e não ler uma de cada vez. Segundo Leonardo Cruz, Neurologista do grupo de Neurologia Cognitiva da Universidade Federal de Minas Gerais [UFMG], “as pessoas não aprenderem a ler palavra por palavra, da maneira como propõe a tecnologia, e isso pode ser um problema”. O neurologista também acrescenta que, por a leitura ser um hábito que exige esforço cognitivo, muitas vezes a pessoa tem que voltar em alguma frase ou palavra para compreender o texto – e isso não é possível via Spritz.

Segundo os criadores da startup, enquanto alguns pulam palavras na hora de ler, ou simplesmente passam os olhos em um texto, outros podem otimizar a absorção do conteúdo através do Spritz – que, ao contrário dessas “técnicas”, não requer mais de cinco minutos de treinamento.

Eduardo Pellanda, professor da faculdade de Comunicação Social da PUC-RS, diz que a tentativa de mudar o método tradicional de leitura é válida, mas que não sabe se essa é a melhor solução. “Eu prefiro o bloco de texto, estamos treinados a ler imagens, a escanear o texto”, afirma. Ao contrário do que dizem os criadores, o professor acredita que é preciso treino para aderir totalmente ao novo hábito proposto pela startup.

A redação testou o aplicativo. As palavras surgem uma a uma na tela, como flashes, o que contribui para uma leitura realmente rápida. Talvez seja interessante para textos pequenos, mas não para livros ou longas histórias jornalísticas.

Seria a agilidade, nesse caso, sinônimo de dinamismo ou de superficialidade? É possível interpretar conteúdo dessa maneira? Ou é tudo apenas uma questão de hábito?

Para fazer o teste, acesse http://www.spritzinc.com.

Terra Educação | 28/05/2014

Aplicativos de leitura dinâmica chegam a dispositivos


A leitura dinâmica é uma prática antiga, mas, com o avanço da tecnologia, promete se tornar muito mais popular nos próximos anos. A técnica, aliada a novos aplicativos, promete a leitura de textos de maneira muito mais rápida, sem prejuízo da compreensão. Em média, os desenvolvedores defendem que, com estes sistemas, é possível ler textos com uma velocidade até quatro vezes maior.

Novidades

No último mês, a empresa norte-americana Spritz se tornou destaque na imprensa internacional após apresentar um software que promete a leitura de livros em alguns minutos. A técnica apresentada consiste em mostrar as palavras em uma sequência muito rápida, mas na mesma posição. Com isso, dizem os desenvolvedores, é possível evitar a movimentação dos olhos, além da “vocalização mental” [quando “falamos” os textos para nós mesmos, mentalmente], o que tornaria a leitura muito mais rápida.

Esta técnica é conhecida como RSVP, sigla em inglês para “apresentação visual rápida e em série”. Embora não seja uma novidade, a Spritz fez adaptações que permitem que a RSVP possa ser utilizada em dispositivos que têm telas pequenas, algo até então impraticável.

Proposta

Segundo Frank Waldman, fundador da Spritz, a utilização da RSVP em pequenos dispositivos também facilita a vida na hora do manuseio. De acordo com o executivo será possível, por exemplo, ler e-mails através de relógios inteligentes, enquanto nos deslocamos entre um lugar e outro.

A proposta de leitura dinâmica de longos textos tem causado também alguma polêmica. Isso porque, no caso específico dos livros [especialmente aqueles que lemos por hobby, não por obrigação], a leitura é considerada uma experiência sensorial, não apenas uma maneira de assimilar informação. Por isso, o próprio Waldman defende que os novos aplicativos de leitura dinâmica devem ser utilizados para acelerar tarefas rotineiras, como a leitura de e-mails de trabalho. Assim, teríamos mais tempo para outras atividades, incluindo a leitura calma de um livro.

Dispositivos

A Samsung já anunciou que utilizará a tecnologia da Spritz em dois de seus dispositivos: o relógio inteligente Gear 2 e o smartphone Galaxy S5. Os usuários de dispositivos da Apple já podem utilizar o Velocity, para iPhone, que também utiliza a técnica RSVP.

Funcionamento da técnica

Segundo Juarez Angelo Lopes, professor de leitura dinâmica, os softwares se utilizam de uma técnica muito similar àquela que ele ensina para seus alunos. Contudo, no caso da leitura dinâmica “analógica”, é necessário algum guia físico, como um lápis ou a própria mão.

O escriturário de cartório Pedro Sant’Anna, que alega ler mil palavras por minuto [valor considerado uma espécie de limite físico], testou os aplicativos e confirmou a eficiência da técnica. Para ele, além da absorção de informação ser parecida, há um conforto maior ao se ler desta maneira em dispositivos eletrônicos.

Keith Rayner, professor de psicologia da Universidade da Califórnia, também defende a utilização destes aplicativos. Contudo, ele defende que os livros continuem a ser lidos da maneira tradicional, pois esta técnica de leitura dinâmica é limitada quando tratamos de textos mais longos.

Notícias BR | 26/03/14

Novos apps e sites ‘automatizam’ leitura dinâmica


Que tal ler este texto, que na velocidade média de leitura levaria dois minutos, em 26 segundos? É o que oferecem recém-lançados aplicativos e sites que imitam a técnica de leitura dinâmica.

A empresa americana Spritz fez barulho ao apresentar seu software no fim do mês passado por prometer livros lidos em algumas dezenas de minutos, e mensagens finalizadas em segundos. Como? Ao exibir as palavras de um texto em sequência ultrarrápida e no mesmo lugar.

Isso torna desnecessário o movimento dos olhos e suprime a “vocalização” mental, que desaceleram a leitura.

A técnica, conhecida como RSVP [apresentação visual rápida e em série], não é novidade, mas o Spritz –que lançou na sexta passada uma versão para programadores– é pensado especificamente para telas diminutas.

O benefício no caso desses dispositivos se estende também ao manuseio. “Um relógio inteligente exibindo todos os seus e-mails é um ótimo exemplo de uso do Spritz“, diz à Folha o fundador e executivo-chefe da empresa, Frank Waldman.

A proposta, segundo ele, é acelerar tarefas “mundanas”, rotineiras, para sobrar tempo para outras –ler um livro calmamente, como sugere.

A Samsung anunciou que embutirá o Spritz no smartphone Galaxy S5 e no relógio Gear 2 –serão anunciados no Brasil na quarta. Mas já é possível experimentar a técnica em análogos.

“Com telas menores, poderemos ajudar as pessoas a lerem ainda mais rápido e em qualquer lugar”, diz Matt Bischoff, criador do aplicativo para iPhone Velocity, que também usa RSVP.

NA PRÁTICA

Para o professor de leitura dinâmica Juarez Angelo Lopes, do Instituto IOM, o software leva a uma leitura parecida com a que ensina aos seus alunos, mas com a vantagem de dispensar um guia físico, como mão ou lápis. “Achei ótimo, mas infelizmente nem tudo que lemos está em formato digital”, diz.

Pedro César Sant’Anna, escriturário de cartório, conta que, depois de um curso de leitura dinâmica, chega a absorver mil palavras por minuto – taxa que é tida como um limite físico, quatro vezes superior à normal.

Apresentado a uma ferramenta equivalente ao Spritz, ele disse que a sensação é “idêntica”. “Só que mais confortável. O nível de compreensão também foi parecido.”

Um problema desse tipo de exibição é a velocidade fixa, segundo Rodrigo Roux, advogado do escritório Derraik e Menezes. A profissão é a que mais busca aprender a leitura dinâmica, segundo Lopes.

Acaba atrapalhando um pouco, porque normalmente dou mais atenção a trechos e menos a outros“, diz Roux.

Bruno Balduccini, advogado da área bancária financeira e cambial do escritório Pinheiro Neto, diz que aprova o aplicativo, mas que não leria documentos importantes usando a ferramenta. “Contratos demandam muita atenção na leitura”, diz. Mas ele lembra que a possibilidade de ajustar a velocidade pode ajudar “no final do dia, quando o cansaço torna a leitura no monitor mais difícil.”

O professor de psicologia Keith Rayner, da Universidade da Califórnia em San Diego, disse em entrevista à NBC que a compreensão da técnica é “muito limitada” para textos mais longos.

Abaixo, experimente ler esta reportagem em diferentes velocidades – 300 palavras por minuto, um pouco acima da considerada normal, 500 ppm, 750 ppm e 1.000 ppm, esta tida como a máxima possível.

300 PALAVRAS POR MINUTO

300 PALAVRAS POR MINUTO

750 PALAVRAS POR MINUTO

1.000 PALAVRAS POR MINUTO

Pílulas Literaturas

POR YURI GONZAGA | Publicado originalmente e clipado à paritr de TEC, Folha de S.Paulo | 24/03/2014 03h30

App Spritz vai fazer você ler um livro de 300 paginas em 1 hora e meia


Bem…Você precisa ler vários livros para um trabalho ou artigo.Quantos dias você leva para ler um livro de 300 páginas? Dependendo de você uns 3 dias? E se você conseguisse terminar em menos de 1 hora e meia? È a revolução da leitura virtual.

A empresa Spritz americana desenvolveu um método de leitura de uma palavra por vez, o aplicativo pretende mudar a forma tradicional de ler. Com ele, um livro poderá ser lido em pouco mais de uma hora. A Bíblia, por sua vez, demoraria pouco mais de 12 horas. Está impressionado? Sim, bastante. E ele poderá ser seu próximo aplicativo no seu smartphone.

Segundo a startup, o aplicativo virá instalado inicialmente no Samsung Galaxy S5 e no relógio inteligente Galaxy Gear 2. Ele estará disponível para ser usado, inicialmente, na leitura de e-mails.

Esta técnica usada pela Spritz, não é nova. Há uma década pesquisadores estão propondo que a leitura em dispositivos eletrônicos com telas pequenas seja feita exibindo uma palavra por vez.

Normalmente, você move a sua visão, acompanhando as palavras pelas linhas. Este inovador aplicativo mostra as palavras no mesmo lugar, destacando uma letra chave. Economizando muito mais tempo de leitura.

A velocidade de leitura do aplicativo Spritz vai de 250 palavras por minuto até 1000 palavras por minuto.

O aplicativo é capaz de reconhecer o Ponto de Reconhecimento Óptico conhecido como ORP em inglês. Para ler uma palavra, o cérebro não precisa que os olhos foquem em todas as letras, uma de cada vez. Basta bater o olho no ORP que o resto é feito de maneira mecânica.

Para aumentar esta velocidade de leitura, o aplicativo Spritz reconhece qual é o ORP de cada palavra. A letra principal é colocada em um lugar exato da tela e exibida em vermelho.

Assim as palavras vão aparecendo uma a uma e o leitor não movimenta seus olhos.

Inicialmente é difícil ler com uma velocidade tão grande. Mas com o tempo o cérebro se acostume se adapta como uma atividade natural.

A tecnologia do Spritz será reservada, a princípio, aos dispositivos da Samsung. Porém, desenvolvedores que tiverem interesse em contar com a tecnologia do Spritz devem contatar a equipe no site oficial do aplicativo, assim como quem quiser ser um “Beta-tester”.

Animado agora para ler vários livros?

Conheça o aplicativo AQUI.

Bondenews ‎| 14/03/2014, às 00:21

Aplicativo quer que livro seja lido em 90 minutos


A startup Spritz, sediada nos Estados Unidos, desenvolveu um método de leitura de uma palavra por vez. Com ele, um livro poderá ser lido em pouco mais de uma hora. A Bílbia, por sua vez, demoraria pouco mais de 12 horas. Assustador? Sim, bastante. E ele poderá estar no seu próximo smartphone.

Segundo a empresa, seu aplicativo virá instalado no Samsung Galaxy S5 e no relógio inteligente Galaxy Gear 2. Ele estará disponível para ser usado, inicialmente, na leitura de e-mails.

O método usado pela Spritz, em parte, não é novo. Há uma década pesquisadores estão propondo que a leitura em dispositivos eletrônicos com telas pequenas seja feita exibindo uma palavra por vez. Mas o Spritz dá um passo além.

O aplicativo seria capaz de reconhecer o Ponto de Reconhecimento Óptico, ORP em inglês. Para ler uma palavra, o cérebro não precisa que os olhos foquem em todas as letras, uma de cada vez. Basta bater o olho no ORP que o resto é feito de maneira imperceptível.

Para aumentar a velocidade de leitura, o Spritz é capaz de reconhecer qual é o ORP de cada palavra. A letra principal, portanto, é colocada em um lugar exato da tela e exibida em vermelho.

As palavras vão aparecendo uma a uma e o leitor não precisa nem movimentar seus olhos.

O aplicativo ainda não está disponível em português e será capaz de exibir entre 100 e 1 000 palavras por minuto, de acordo com o gosto do usuário. No site é possível fazer um teste com palavras em inglês.

Exame | 06/03/14