Programa Livrus Ao Vivo # 04


Programa Livrus ao Vivo 4

A primeira temporada do LIVRUS AO VIVO é apresentado às quartas, às 21h30, por Ednei Procopio e Chris Donizete. Para ouvir o programa ao vivo, basta sintonizar a Rádio Mundial FM 95,7 ou AM 660, ou acessar o link www.radiomundial.com.br/radio-ao-vivo no momento do programa. Para quem não ouviu os programas anteriores, clique aqui para ouvir o podcast.

Programa Livrus Ao Vivo # 03


MELHOR DO JORNALISMO LITERÁRIO

A Livrus Negócios Editoriais já não é mais uma startup. Com seis anos de vida, a empresa iniciou suas atividades em 2009, durante a Bienal do Rio de Janeiro. Até 2011 a Livrus era apenas um projeto dentro de uma editora que o empreendedor Ednei Procopio havia fundado. A partir daí a Livrus ganhou vida própria e, hoje, somente seu selo editorial, soma mais de 130 escritores publicados, cada um deles com dois ou mais títulos, uma característica que a Livrus vem tentando manter desde então.

A Livrus Negócios Editoriais dividiu seu modelo de negócios em três segmentos: PUBLICA, COMERCIALIZA e DIVULGA. O programa de rádio que a Livrus criou e que estreou no dia 7, na Rádio Mundial, estação difusora em São Paulo, faz parte de sua estratégia dentro do seu plano de divulgação de obras e escritores.

A primeira temporada do LIVRUS AO VIVO é apresentado às quartas, às 21h30, por Ednei Procopio e Chris Donizete. Para ouvir o programa ao vivo, basta sintonizar a Rádio Mundial FM 95,7 ou AM 660, ou acessar o link www.radiomundial.com.br/radio-ao-vivo no momento do programa.

Para quem não ouviu os programas anteriores, clique aqui para ouvir o podcast.

Escritora Eliana Neri lança o primeiro volume de sua trilogia


Lançamento oficial do livro que mistura aventura e emoção com toque espiritualista e de autoconhecimento será na Flip

Eliana Neri  | Fotos: Divulgação

Eliana Neri | Fotos: Divulgação

O livro publicado por editora tem melhor aceitação pelas livrarias e pelos leitores, isso é fato

Apesar de o personagem principal ser um padre e outros dois personagens terem uma grande fé em Deus, a autora não considera “Day by day” uma obra espiritualista. O primeiro volume da trilogia que Eliana Neri está escrevendo já está pronto. Mas só será lançado pela editora na Flip [Festa Literária Internacional de Paraty], no meio do ano. Até lá, quem quiser matar a curiosidade, já pode comprar seu exemplar com a própria escritora. São 384 páginas de muita aventura e emoção.

Para depois da trilogia, Eliana está com um conto infantil pronto, pretende publicá-lo por uma editora e comercializar no mercado nacional. Em seguida, vai escrever e publicar uma fábula para adultos.

Nascida em São Lourenço [MG], a autora mora em Barra Mansa desde os 7 anos. Começou a escrever contos infantis em meados de 2000. Quando foi trabalhar em outra cidade [Barra do Pirai], ficava com tempo livre à noite e surgiu a vontade de escrever. Foi quando criou os “Contos da Lili”, com o inusitado personagem Azeitona no Palito.

Depois veio a oportunidade de participar de antologias com textos infantis e para adultos e a concretização de um sonho, que era escrever um livro solo sobre a história do seu tio-avô que foi padre no século passado e tem um mistério a ser desvendado.

Sempre trabalhou na área comercial, seja em comércios ou indústrias da região, quando em janeiro recente, por conta de fechamento da empresa onde trabalhava, ficou com mais tempo para os seus projetos literários e resolveu divulgar e comercializar o primeiro volume da trilogia “Day by day”, pessoalmente, praticamente um corpo a corpo.

Quando começou a escrever essa trilogia? Por que a opção por três livros sobre o mesmo tema? Quais os títulos de cada livro?

A vontade nasceu em minha adolescência, o sonho de publicação, porém, tornou-se possível apenas em 2012. Em 2013 publiquei de forma independente a primeira parte com apenas 156 páginas, em 2014 enviei o texto completo do primeiro volume para a editora Livrus, que passou a me acompanhar.

A opção por uma trilogia deu-se por conta de ser uma história que se passa em vários períodos, precisando de muitas pesquisas e investigações, por ter um texto bastante interessante e com bastantes assuntos a serem explorados. Se agradar aos leitores, passará de trilogia para uma série. O primeiro volume: “Day by day”. O segundo volume: “Day by day, a busca é surpreendente“. O terceiro volume: “Day by day, a busca é encontro“.

"Algumas pessoas não entram em livrarias por achar que o livro no Brasil é caro" - Eliana Neri

“Algumas pessoas não entram em livrarias por achar que o livro no Brasil é caro” – Eliana Neri

Todos os textos dos três livros já estão prontos? Ou apenas o primeiro de “Day by day”?

O primeiro está pronto e já estou comercializando pessoalmente e pelos sites da editora. A versão digital já está sendo cadastrada em canais online também.

O segundo volume já está com cem páginas digitadas. Se eu não fizer mais nada, só escrever, em apenas dois meses o segundo volume poderá ficar pronto.

E em mais ou menos seis meses o terceiro volume ficaria pronto, mas creio que isso ainda não seria possível para mim.

É um livro espiritualista? Ou nada tem a ver com esse gênero? Como você classifica essa trilogia, do ponto de vista mercadológico?

Apesar de o personagem principal ser um padre e outros dois personagens terem uma grande fé em Deus, não o considero espiritualista, mas quem ler apenas o primeiro volume terá a impressão de que talvez seja. Mas não foi proposital. Acho mesmo que o livro pode ter várias classificações do ponto de vista mercadológico, tipo aventura, autoconhecimento, ficção, suspense e até espiritualista também, por que não?

Como foi [ou está sendo] o processo criativo dessa trilogia? Muito diferente do seu trabalho anterior com livros infantis?

Sim, completamente diferente dos trabalhos anteriores com livros infantis, que são pura ficção. A trilogia “Day by day” é uma mistura de ficção e fatos reais, para tal tive que fazer pesquisas, viagens, entrevistar pessoas. Então, é bem diferente sim. Até o processo criativo é mais demorado.

Os seus livros saem por uma editora, certo? Isso facilita, de certa forma, que sua obra seja mais vendável do que um livro lançado no esquema de produção independente?

A trilogia é o meu primeiro livro por uma editora, tirando, é claro, as antologias, mas livro solo é o primeiro. O livro publicado por editora tem melhor aceitação no mercado pelas livrarias e pelos leitores, isso é fato. Como é minha primeira experiência por editora, só daqui a alguns meses é que saberei o resultado, é uma experiência nova. Mas o fato é que a qualidade do livro é superior porque tive uma equipe cuidando de tudo, desde a revisão do meu texto até a capa.

Que análise você faz do atual mercado literário na região, no Brasil e no mundo?

Creio que cresceu bastante o interesse das pessoas pelos livros, com muitos autores e novos gêneros. Nós autores ainda sonhamos em publicar um livro que caia no gosto popular, que as pessoas gostem, comentem, indiquem. O mercado editorial brasileiro e mundial passa por transformações profundas e nós escritores temos que acompanhar essas transformações. Compreendê-las, tentar nos situar para publicar os nossos livros.

Quais seriam os caminhos para facilitar o acesso aos livros e à produção de obras literárias?

A produção de obras literárias não é nada barata, devido à complexidade de profissionais que se faz importante para tal, tipo: preparação, diagramação, revisão de texto, capista, gráfica, profissional de marketing etc. Existe um custo envolvido.

Mas creio que baixar os preços dos livros facilitaria o acesso. Algumas pessoas não entram em livrarias por achar que o livro no Brasil é caro.

E precisamos de mais eventos literários, feira de livros, saraus etc. Quanto mais as pessoas tiverem acesso aos livros, melhor.

Para quem pretende começar a produzir literatura, quais as dicas?

Ler bastante e focar no objetivo.

Serviço

Day by day

Autora: Eliana Neri

Preço: R$ 32

Para adquirir o livro entrar em contato pelo e-mail [eliana.neri@uol.com.br]

Facebook ou telefone [24] 9-9845-1204

Página do livro no site da editora

Por Cláudio Alcântara | Coluna Olho Pop | Publicado originalmente em OLHO VIVO | 21/04/2015, às 11:25

Editora Livrus marca presença no Congresso e Feira do Livro Digital 2013


PALESTRA | AUTOPUBLICAÇÃO NA ERA DIGITAL

ANOTE NA SUA AGENDA. É DIA 21, SÁBADO


No mês da primavera, a Editora Livrus traz oportunidades únicas para os nossos autores. São ações que irão contribuir para esclarecer a respeito do novo cenário editorial brasileiro. As ações são gratuitas e serão oportunidades únicas de conhecer de perto o futuro dos livros no Brasil e no mundo.

PALESTRA AUTOPUBLICAÇÃO NA ERA DIGITAL

A palestra Autopublicação na Era Digital foi especialmente criada para quem deseja saber mais sobre os novos meios de edição e abordará a produção, comercialização, Direitos Autorais e outros temas ligados ao universo dos livros.

SERVIÇO GRATUITO DE APOIO AO ESCRITOR

Esta iniciativa inédita no País disponibilizará um canal direto com o escritor com dúvidas relacionadas à sua carreira literária. A ação pretende contribuir de maneira decisiva, oferecendo um suporte que inclui itens como:

  • O registro do livro na Biblioteca Nacional;
  • A apresentação de textos originais nas editoras;
  • As questões que envolvem a publicação de impressos e digitais;
  • As opções de plataformas de edições independentes;
  • A comercialização e distribuição de títulos;
  • A divulgação e promoção de obras em diversos meios;
  • Os Direitos Autorais e Copyright;
  • Agenciamento Literário.

DIA 21, SÁBADO

PalestraAutopublicação na Era Digital
Onde: Na Sala Desenvolvedores e Tendências
Horário: Das 10h às 11h00

AçãoServiço Gratuito de Apoio ao Escritor
Onde: No Espaço de Expositores
Horário: Das 9h às 17h00

LocalColégio Santa Cruz
Endereço:Av. Arruda Botelho, 255 • Alto de Pinheiros • SP

Livrus e Simplíssimo são cases no Congresso do Livro Digital


Startups apresentam seus projetos durante
4º Congresso Internacional CBL do Livro Digital

O empreendedorismo no emergente mercado do livro digital parece ir de vento em popa — novos modelos de negócios na área surgem a cada oportunidade. Mas como fazer para transformar ideias em negócios? O que é determinante para a sobrevivência de um business focado em livros digitais, em seus primeiros meses de vida? Que questões e desafios surgem para o novo empreendedor, e como encará-los?

Com o tema “O empreendedorismo no mercado do livro digital – Transformando Ideia em Negócios“, dois empreendimentos voltados para o livro digital são analisados pelos seus fundadores. O case será apresentado durante o 4º Congresso Internacional CBL do Livro Digital com o testemunho dos fundadores de duas startups, Livrus Negócios Editoriais e Simplíssimo Livros, em um relato das suas vivências e experiências com a abertura e a manutenção dos seus negócios.

As apresentações dos cases serão breves [um terço do tempo de apresentação, para cada um dos dois ministrantes]. O terço final do tempo restante será reservado para participação e perguntas do público presente. Serão enfatizados os desafios que precisam ser superados no início do negócio, a postura que o mercado espera dos novos empreendedores e os problemas práticos que surgem pelo caminho [e algumas soluções adotadas].

Anote em sua Agenda

Case: O empreendedorismo no mercado do livro digital
14 de junho, sexta-feira, das 10 às 11 horas
4º Congresso Internacional CBL do Livro Digital
Centro Fecomercio de Eventos | Auditório B | 1º. Andar

Ednei Procópio

Ednei Procópio

Ministrantes

Ednei Procópio | Especialista em livros digitais, trabalha com o assunto desde 1998. Já escreveu livros sobre o tema e mantém o blog eBook Reader. É Diretor Executivo da Livrus Negócios Editoriais, empresa criada com o objetivo levar autores e obras para a Era Digital.

Eduardo Melo

Eduardo Melo

Eduardo Melo | Fundador e Diretor Executivo da Simplíssimo Livros, empresa especializada em produção e publicação de eBooks. Eduardo, que trabalha com eBooks desde 2007, também é editor-chefe do site de notícias Revolução eBook. Sua formação acadêmica inclui graduação em História e mestrado em Letras.

O que a Amazon sacou


Por Greg Bateman | Publicado originalmente em Publishnews| 04/04/2012

Sede da E-Ink em Cambridge, Massachusetts, EUA, ano de 2006 – a alguns minutos de caminhada da Universidade de Harvard e do MIT. Russ Wilcox, fundador da empresa, faz um discurso já familiar. Ele diz que o iPod e o mp3 revolucionaram a indústria da música. Para o vídeo, foi o DVD e o streaming na internet. Por que, ele pergunta, a indústria editorial não passou por uma revolução desde a criação da imprensa?

Certamente, não foi por falta de tentativas. Outro dia, Ednei Procópio, fundador da Livrus, em São Paulo, me mostrou com orgulho sua coleção de leitores de livros eletrônicos desde 1998. Minha aventura com os e-books começou em 2006, quando trabalhei no lançamento do Sony Reader, na sede da Sony, em Tóquio. Juntos, engenheiros e executivos da empresa havíamos refletido sobre as lições aprendidas com o fracassado lançamento do Sony Librie em 2004. Excelente aparelho, nenhum conteúdo. O novo Sony Reader era um produto bonito – uma obra de arte eletrônica – e confortável para segurar tanto com a mão direita quanto com a esquerda. Ele ostentava uma tela nítida e legível sob a luz do sol. Dezenas de milhares de e-books estavam prontos na ocasião do lançamento. Mas, embora estivesse tão à frente em vários sentidos, o Sony Reader não impressionou os leitores. O que estava faltando?

No fim de 2006, depois de comer uma tigela de noodles apimentado e bolinhos chineses fritos, eu me encontrava na tão [mal] falada linha de produção da Foxconn China. Saindo fresquinho da fábrica estava o protótipo da Lab126 do Kindle. Era grande, pesado e, francamente, não tinha uma aparência muito legal. O aparelho nos lembrava o Commodore 64 com um estojo de couro que parecia ser o resultado do trabalho manual de um escoteiro mirim. Eu não saquei a ideia. Como é que a primeira incursão própria da Amazon no mercado de eletrônicos poderia ter sucesso com essa criança feia?

Tudo fez sentido quando eu liguei o aparelho pela primeira vez algumas semanas mais tarde no laboratório da E-Ink. Após 30 segundos, o aparelho acorda e diz “Oi, Greg. Nós recomendamos estes 3 livros para você”. Um click e outros poucos 30 segundos depois, O código da Vinci magicamente aparece na tela. Tamanhos de fonte ajustáveis, marcador de página. Nenhum cadastro maluco, nem complicações com DRM, nem a necessidade de configurar a rede sem fio. Somente a pura experiência de leitura, sem interrupções. Aha!

O resto, claro, é história. Porque a Amazon “sacou” – uma experiência que vai da descoberta de conteúdo à compra do livro sem obstáculos –, leitores de todo o mundo estão lendo 40% mais títulos do que antes. Com o Kindle, aconteceu a primeira revolução real na indústria desde a criação de Gutenberg. Quem escreverá o próximo capítulo da nossa saga editorial digital?

Greg Bateman

Greg Bateman

Por Greg Bateman | Publicado originalmente em Publishnews| 04/04/2012

Greg Bateman, expert em tecnologia e empreendedor do negócio de e-books, é conhecido pelo seu envolvimento na criação de produtos extremamente bem-sucedidos, como os smartphones da Samsung e o Kindle, da Amazon. Na Vook, ele desenvolveu uma eficiente cadeia de produção de centenas de e-books por semana. Greg, que nasceu nos Estados Unidos, viveu nove anos no exterior, onde intermediou várias parcerias envolvendo Coreia, China, Japão e EUA. Hoje mora no Brasil, em São Paulo. Ele é pesquisador visitante da Universidade de Tóquio, tem duas graduações pela Universidade da Califórnia em Berkeley [engenharia elétrica/ciência da computação e literatura japonesa] e um MBA pela Columbia Business School.

A coluna E-Gringo discute a fundo o negócio e o lado técnico dos e-books a partir de uma perspectiva global. Às quartas-feiras, quinzenalmente, ela vai apresentar plataformas e tendências do mundo todo e, claro, do Brasil. Para enviar comentários, escreva para greg@hondana.com.br .

Como saber quais eBooks os leitores querem adquirir?


Depois de algum tempo sem conseguir postar, voltamos.

É que eu estive cuidando pessoalmente dos detalhes do funcionamento e implementação de duas novas plataformas voltadas 100% aos livros na era digital.

A primeira é a plataforma CANAL, Cadastro Nacional do Livro, projeto que eu coordeno dentro da Câmara Brasileira do Livro. O projeto está na fase de testes com cerca de umas oito editoras selecionadas pela entidade. Aliás, eu irei fazer a primeira demostração pública da plataforma CANAL durante a próxima Feira de Bogotá, na Colômbia, a convite da Cerlalc, quando o Brasil será o País homenageado.

Mas este tema é para outro post. A novidade que eu gostaria de compartilhar vem da outra plataforma, a da Livrus.net, da startup que toco aqui mesmo em São Paulo.

Criei um modo de ajudar as editoras a tomar a decisão sobre qual título de seu catálogo ativo deve ser convertido para o formato eletrônico.

É uma tela, uma planilha, que mede a tiragem de livros conforme a demanda dos leitores e ajuda o departamento comercial a decidir quando um determinado título deve migrar para a versão eletrônica, uma vez que todos sabemos que a versão impressa, aqui no Brasil, é a que ainda nos traz os verdadeiros lucros.

Apresentei a abordagem nos cursos que ministrei mas até hoje ninguém pareceu interessado em testar. Não estou reclamando, isso é até normal por aqui. Então eu resolvi uma nova abordagem. Menos teórica e mais prática. Vamos ver se agora funciona. A ideia é simples.

A editora se cadastra na plataforma Livrus.net.

Tela de cadastro da Livrus.net

Tela de cadastro da Livrus.net

Após inserir informações sobre a editora, endereço do site da empresa, logotipo, etc., a editora então monta, atualiza e divulga o seu próprio catálogo. Não importa se os livros estão no formato eletrônico, impresso ou em áudio. Clique na imagem abaixo para conhecer como funciona.

Catálogo da Editora

Catálogo da Editora

Até aqui, no entanto, não temos ainda a decisão sobre a conversão de um determinado conteúdo para o formato eletrônico. Ou seja, o que temos é apenas os metadados dos livros. Clique na imagem abaixo para conhecer.

Página do Livro

Página do Livro

Botão desejo comprar

Botão desejo comprar

Aí vem a mágica: 0 leitor passa ater a possibilidade de acessar a página do livro clicar no botão “DESEJO COMPRAR“. Deste modo o livro entra automaticamente em sua biblioteca virtual e na sua lista de interesse.

Com isso a editora tem a possibilidade não só de saber quantos leitores tem o interesse em ler aquele determinado livro em versão eletrônica, como também saber quem são os leitores interessados na aquisição da obra digital.

O botão que criamos, “DESEJO COMPRAR“, serviria também para que as editoras soubessem quantos leitores estariam interessados em comprar a versão impressa sob demanda, caso o livro estivesse fora do catálogo, mas preferimos iniciar os testes com o botão disponível somente para a versão eletrônica mesmo. Aliás, à partir de agora, se você vir este botão em outros sites já sabe quem o criou.

A informação sobre quais eBooks o leitor quer adquir, ficam armazenados na tags dos livros. E também há um histórico que pode ser acompanhado nas bibliotecas virtuais pessoais.

Este sistema já está no ar, embora esteja também em fase de testes. Na verdade, poderíamos dizer que a plataforma Livrus.net está em beta desde que nasceu, né (!), mas não gostaríamos que acontece com o nosso projeto o que ocorreu com o Orkut, que morreu antes mesmo de sair da versão beta. Por isso a gente prefere criar as ferramentas e já colocar no ar, mesmo cientes de que muitos vão copiar a ideia.

O resultado por enquanto é o seguinte: cerca de aproximadamente 100 leitores estão se cadastrando diariamente na Livrus para criar as suas bibliotecas e testar a ferramenta.

Espero que as editoras também gostem e usem. A criação da página e do catálogo são gratuitos para as editoras. Sabemos dos desafios tanto de tirar os contratos da gaveta quanto de investir em conversões. Mas pelo menos agora a editora pode tentar medir o interesse do seu público leitor antes, e depois tomar melhor as suas decisões.

No próximo post, explico como funcionará o botão “EMPRESTAR” um livro eletrônico.

Emprestar um livro eletrônico? Isso mesmo o que você leu. Criamos uma ferramenta para o leitor emprestar um livro eletrônico sem infringir os Direitos Autorais.

Duvida?

Sigam-me os bons!

EDNEI PROCÓPIO

Editora Livrus lança primeiro eBook do país em HTML5


Os e-books vieram para ficar e a cada dia novas tecnologias surgem para enriquecer esse formato.

O segmento dos e-books, hoje em franca expansão, acaba de receber nova evolução: o lançamento de “O Jogo dos Papeletes Coloridos”, de Paulo Santoro Almeida, primeiro livro multimídia digital integrado composto na linguagem HTML5. Publicado pela Editora Livrus, de São Paulo, e destinado a princípio ao público adulto, mas provavelmente atraindo também os jovens pelo conteúdo musical, esta história de ficção traz dois importantes avanços:

– diversamente dos e-books que são baixados para um aparelho determinado, ficando lá residentes, essa linguagem permite ao livro ficar hospedado em “nuvem”, permitindo através de login e senha junto ao portal da Editora, acesso de qualquer lugar, por qualquer dispositivo;

– o HTML5 permite a integração de vídeos, músicas, animações no corpo do livro, trazendo junto ao texto inovadora experiência de leitura, mais envolvente e interativa – até então só havia no mercado livros animados dirigidos ao público infantil, baseado em softwares construídos para uso como aplicativos dedicados.

Quanto ao livro, traz quatro histórias simultâneas, levadas a um interessante desfecho. Como pano de fundo, O Jogo dos Papeletes Coloridos traz em futuro indistinto a disputa de dois líderes pela direção mundial, num mundo sem violência, mas arruinado pela devastação ambiental. De personalidades opostas, embatem-se intelectualmente com fúria e maestria, motivados sem o saber a esses papéis em sua juventude, quando expostos a um Jogo do qual desconhecem o significado. Entre outros personagens, temos Gablas, que tem como profissão ser mágico de palco, em busca de sua realização pessoal, em face de decisões e caminhos que todos tomamos na vida; e Mina, a mais nova da Família Benjamim, que, à medida que agoniza em praça pública, recorda emocionada sua vida, permitindo ir-se descobrindo sua identidade e de suas irmãs, levando o livro convergir a um final inesperado.

O lançamento tem ainda outra característica particular: todas ilustrações, pinturas, os doze vídeos relacionadas aos capítulos, bem como todas as músicas compostas, são do autor do livro, Paulo Santoro, resultando numa obra bastante coesa. Natural de São Paulo e engenheiro por formação, atuou como executivo nas áreas de finanças, em bancos e no varejo, mas sem deixar de cultivar aquelas habilidades ao longo dos anos. Agora, estas novas tecnologias permitiram convergir todas essas manifestações artísticas, materializado-as num produto digital.

A responsável pelo lançamento é a Editora Livrus, que visualizou na linguagem HTML5 o suporte tecnológico mais adequada para o livro digital. O leitor ao adquirir sua edição através do portal Livrus.net, plataforma digital de conteúdo editorial, recebe ao invés de um link para download, dados de login e senha, para acesso de seu livro através deste site. Passa a ter, então, acesso de qualquer lugar, por qualquer dispositivo, a qualquer hora, seja um notebook, tablet, smartphone ou ultrabook, consolidando de fato o conceito de plena mobilidade.

Dados Completos da Obra:

Título: O Jogo dos Papeletes Coloridos
Autor: Paulo Santoro
Editora: Livrus
Caracteres: 189.170
ISBN: 978-85-64855-18-2
Assunto: Literatura
Edição: 1º edição [2012]
Formato: HTML5
Preço: R$ 29,90

Links:

a] O trailer do livro

b] A página do livro na editora

c] Página do livro no facebook

d] Entrevista do autor sobre e-books em “Pequenas Empresas Grandes Negócios” [TV Globo]

Por Tatiane Cunha | WEBINSIDER | 5 de março de 2012