Mais de 3 mil já acessaram biblioteca virtual da Fundação Dorina


No ar desde julho, a Dorinateca já computou mais de 1.200 downloads de conteúdos acessíveis a cegos e pessoas de baixa visão

Fundação Dorina NowillA Fundação Dorina Nowill para Cegos comemora o resultado alcançado pela sua biblioteca virtual, a Dorinateca. Desde que a plataforma foi lançada, em julho passado, mais de 3.400 pessoas conheceram a proposta e mais de 1.200 downloads foram feitos. No site, as pessoas com deficiência visual podem baixar mais de 4 mil títulos do acervo da instituição e as pessoas sem deficiência podem fazer downloads de títulos de domínio público. Os formatos acessíveis e que estão à disposição, gratuitamente, estão em arquivo para impressão em braille, digital acessível Daisy e em áudio.

PublishNews | 18/11/2015

Dorina lança blog para promover a leitura de deficientes visuais


A Fundação Dorina Nowill para Cegos lançou o blog colaborativo Rede de Leitura Inclusiva – Conectando Todos. Lançado no Dia Nacional do Cego, dia 13, a página é um espaço para manter profissionais envolvidos, informados e engajados com o incentivo à leitura inclusiva e à acessibilidade.

“A leitura inclusiva é perceber que a pessoa com deficiência visual tem o direito e o interesse no acesso universal a informação“, diz a coordenadora de Acesso ao Livro da fundação, Ana Paula Silva, que está a frente do projeto de formação da rede de leitura. “Tem um público que precisa ser atingido e nós, como organizações, devemos mostrar para essas pessoas que existem recursos como livro falado, braille, audiodescrição, formas de acessar a informação“, acrescenta.

A rede de leitura inclusiva é formada por educadores, mediadores de leitura, governos, agentes de bibliotecas e de organizações sociais. Desde 2013, a fundação desenvolve um projeto em parceria com estados para a formação de grupos de trabalho voltados à discussão do assunto em cada localidade. Esses grupos existem em 12 estados e o objetivo é que no ano que vem sejam formados em todas unidades da Federação.

O blog lançado hoje pretende ser um espaço de comunicação entre esses gupos de trabalho e também para que organizações e mesmo pessoas que trabalhem com a leitura inclusiva possam trocar informações e disponibilizar um serviço cada vez melhor para a população.

No Brasil, de acordo com o Censo do Instituto Brasileiros de Geografia e Estatística [IBGE], há 6,5 milhões de pessoas com deficiência visual. Dessas, 500 mil são cegas. “O Brasil está começando a perceber essse público, com o retrato mostrado no censo, as organizações começam a abrir propostas de trabalho, estados e prefeituras começam a desenvolver projetos com acessibilidade. Mas ainda é incipiente“, diz Ana Paula.

A Fundação Dorina Nowill dedica-se à inclusão social das pessoas com deficiência visual, por meio da produção e distribuição gratuita de livros em braille, falados e digitais acessíveis, diretamente para pessoas com deficiência visual e para cerca de 2,5 mil escolas, bibliotecas e organizações de todo o Brasil.

A fundação oferece também, gratuitamente, programas de serviços especializados à pessoa com deficiência visual e sua família, nas áreas de saúde, educação especial, reabilitação e trabalho.

Fonte: Agência Brasil | Publicado originalmente em Infonet | 14/12/2014

Livro para cegos é tema de congresso


A Fundação Dorina Nowill para Cegos e o Consórcio Daisy Latino estão com as inscrições abertas para o Congresso Internacional Daisy – Livro Digital, Inclusão e Mercado: novas perspectivas para produção, que ocorre em São Paulo nos dias 4 e 5 de novembro.

O formato Daisy é uma ferramenta de leitura digital que permite à pessoa cega ou com visão subnormal acesso à leitura de forma rápida e estruturada. O usuário pode visualizar o conteúdo do texto em vários níveis de ampliação e ouvir a sua gravação em voz sintetizada de forma simultânea.

A ferramenta possui mecanismos de busca por palavras, notas de rodapé opcional, marcadores de texto, soletração, leitura integral de abreviaturas e de siglas, além de emitir a pronúncia correta de palavras estrangeiras. O evento ocorrerá das 8h às 18h no Hotel Meliá Jardim Europa [Rua João Cachoeira, 107 – Itaim Bibi]. As inscrições variam de R$ 310 a R$ 510.

Confira a programação

04/11/2011

8h – Cadastramento e entrega de material
9h – Abertura
9h15 – Mesa 1: Panorama da produção e distribuição de livros DAISY no mundo em desenvolvimento.
John Jairo Jiménez [INCI – Instituto Nacional para Cegos – Colômbia]
Susi Maluf [Fundação Dorina Nowill para Cegos – Brasil]
Moisés Bauer [ONCB – Organização Nacional dos Cegos do Brasil, CONADE – Conselho Nacional dos Direitos da Pessoa com Deficiência – Brasil]

10h40 – Coffee
11h – Mesa 2: Panorama da produção e distribuição de livros DAISY nos EUA e Canadá
Betsy Beaumon [Diretora do Programa de Alfabetização da Benetech – USA]
Peter Beran [Vice Presidente Senior da Learning Alliance – Tecnologia da Informação –  USA]
Michael Katzmann [Chefe da Divisão de Desenvolvimento de Materiais / NLS/BPH da Biblioteca do Congresso – USA]
Margaret McGrory [Vice Presidente e Diretora Executiva da CNIB – Instituto Nacional para o Cego – Canadá]

12h30 – Almoço
14h30 – Palestra 1: Dorina Daisy Producer – produção compartilhada de livros DAISY em rede na Web
Pedro Milliet [Fundação Dorina Nowill para Cegos – Brasil]
Eduardo Perez [Fundação Dorina Nowill para Cegos – Brasil]
Ricardo Soares [Fundação Dorina Nowill para Cegos – Brasil]

16h – Coffee
16h30 – Mesa 3: Panorama da produção e distribuição de livros DAISY na Europa e Oceania
Stephen King [Diretor de Prevenção e Relações Internacionais do RNIB – Instituto Real Nacional para o Cego – Reino Unido]
Francisco Martínez Calvo [Departamento de Cultura e Esporte da ONCE – Organização Nacional de Cegos da Espanha]
Maarten Verboom [Diretor da Dedicon – Informações Acessíveis para Pessoas com Deficiência – Holanda]
Michael Wright [Diretor Geral da  Nota – Biblioteca Nacional Dinamarquesa para Pessoas com Deficiência – Dinamarca]
Neil Jarvis [Diretor Executivo da Fundação Real da Nova Zelândia para o Cego]

18h – Encerramento
 
05/11/2011
 
9h – Palestra 1: Informações acessíveis para a redução de riscos em desastres e catástrofes ambientais
Hiroshi Kawamura [Presidente do Consórcio DAISY – Japão]

10h30 – Coffee
11h – Mesa 1:  Livros didáticos e seus desafios ao formato DAISY
Betsy Beaumon [Diretora do Programa de Alfabetização da Benetech – USA]
Maarten Verboom [Diretor da Dedicon – Informações Acessíveis para Pessoas com Deficiência – Holanda]

12h30 – Almoço
14h30 – Palestra 2: DAISY 4 e EPUB 3: convergência entre mercado e acessibilidade – desafios e oportunidades
George Kerscher [Secretario Geral do Consórcio DAISY – USA]

16h – Coffee
16h30 – Mesa 2: O futuro do livro DAISY
George Kerscher [Secretario Geral do Consórcio DAISY – USA]
Stephen King [Diretor de Prevenção e Relações Internacionais do RNIB – Instituto Real Nacional para o Cego – Reino Unido]
Hiroshi Kawamura [Presidente do Consórcio DAISY – Japão]
Pedro Milliet [Desenvolvedor de Livros Digitais da Fundação Dorina Nowill para Cegos – Brasil]

18h – Encerramento

PublishNews | 04/10/2011

Brasil sedia Congresso Internacional de Livros Digitais Daisy


Reconhecido internacionalmente como um dos mais modernos recursos de acessibilidade de leitura, o formato DAISY [Digital Accessible Information System] será foco do Congresso Internacional realizado pela Fundação Dorina Nowill para Cegos em parceria com o Consórcio Daisy Latino, que acontecerá em São Paulo, nos dias 4 e 5 de novembro.Na programação estará assuntos como livros didáticos e seus desafios ao formato Daisy; formatos DAISY 4 e EPUB 3: convergência entre mercado e acessibilidade – desafios e oportunidades, compartilhamento de livros acessíveis online, o futuro do livro Daisy, além de um panorama da produção e distribuição deste formato no Brasil, na América do Norte, na Europa e na Oceania.

O formato Daisy é uma ferramenta de leitura digital que permite à pessoa cega ou com visão subnormal acesso à leitura de forma rápida e estruturada. O usuário pode visualizar o conteúdo do texto em vários níveis de ampliação e ouvir a sua gravação em voz sintetizada de forma simultânea.

CBL | 26/09/2011

Fundação Dorina Nowill doa 4.500 livros


No pacote estavam livros acessíveis em diferentes formatos e para diferentes idades, que vão beneficiar bibliotecas de São Paulo

Foto: Karlis Smits

Bibliotecas paulistas ganharam um reforço em seus acervos de livros acessíveis com a doação de 4.500 títulos em Braille, audiolivro e digital acessível feita pela Fundação Dorina Nowill e pela White Martins dentro do projeto Ler sem Ver. Entre os livros doados estão títulos infantis, infantojuvenis, clássicos e best-sellers atuais como A festa no céu, Os corvos de Pearblossom, A bússola de ouro, O senhor dos anéis, Quincas Borba e o Manual dos Direitos da Pessoa com Deficiência. Desses, 900 são em Braille, 2.250 em áudio e 1.350 no formato Daisy. No total, foram beneficiadas 138 bibliotecas e salas de leitura na capital e em outros 74 municípios do interior, que juntas atendem direta ou indiretamente mais de 10 mil deficientes visuais. O projeto foi realizado com o apoio do Governo do Estado de São Paulo através do Programa de Ação Cultural da Secretaria da Cultura conforme determina o artigo 18 da lei 12.268 de 20/02/2006.

PublishNews | 10/08/2011

Recurso inédito de audiodescrição será lançado em SP


Dispositivo reproduzirá em áudio a descrição de todas as imagens do livro

A Fundação Dorina Nowill para Cegos lançará um recurso exclusivo de audiodescrição com a tecnologia Pentop para livros infantis impressos em tinta e braille. A novidade será lançada durante a Reatech, Feira Internacional de Tecnologias em Reabilitação, Inclusão e Acessibilidade, que acontece de 14 a 17 de abril, em São Paulo. Com o recurso, o usuário utilizará uma caneta interativa sobre o papel e o dispositivo reproduzirá em áudio a descrição de todas as imagens do livro. A tecnologia é ativada por um sensor posicionado na ponta da “caneta”, que decodifica o material impresso e reproduz o áudio correspondente.

Gravada em voz humana com efeitos sonoros lúdicos, especialmente voltados para o público infantil, o recurso permite que as crianças cegas e com baixa visão compreendam de forma clara e objetiva as ilustrações do livro e informações que não estão contidas nos diálogos, como por exemplo, cores, expressões dos personagens, objetos, etc. A Feira Internacional ocorrerá no Centro de Exposições Imigrantes [Rodovia dos Imigrantes – Km 1,5 – São Paulo/SP], de quinta e sexta-feira, das 13h às 21h; sábado e domingo, das 10h às 19h.

PublishNews | 13/04/2011

Fundação Dorina Nowill apresenta livros digitais para cegos


Pioneira no desenvolvimento de livros digitais em língua portuguesa, a Fundação Dorina Nowill para Cegos apresenta, durante a 21ª Bienal Internacional do Livro de São Paulo, seu processo de produção de livrs digitais acessíveis a deficientes visuais. Já são mais de 30 mil exemplares distribuídos neste formato, de mais de 700 títulos.

Há três anos a fundação desenvolveu o formato “Daisy” uma ferramenta de leitura digital que permite à pessoa cega ou com baixa visão o acesso à leitura de forma rápida e estruturada. O usuário pode visualizar o conteúdo do texto em vários níveis de ampliação e ouvir a sua gravação em uma voz sintetizada de forma simultânea. A ferramenta possui mecanismos de busca por palavras, notas de rodapé opcional, marcadores de texto, soletração, leitura integral de abreviaturas e de siglas, além de emitir a pronúncia correta de palavras estrangeiras.

Adotado recentemente pelo Ministério da Educação como um dos formatos para livros aprovados no PNBE – Programa Nacional de Biblioteca na Escola e PNLD – Programa Nacional do Livro Didático, o Daisy é reconhecido internacionalmente como o que há de mais moderno em acessibilidade de leitura.

Além do processo de produção de livros digitais acessíveis, a instituição desenvolveu também um leitor de livros neste formato, o DDReader, que permite ajustes de preferências e interfaces personalizadas em três línguas: português, inglês e espanhol. Entre os principais recursos do DDReader estão: acesso a todos os comandos pelo teclado, ecos de comandos em voz sintetizada, histórico de leitura de livros e tutorial incorporado ao aplicativo. O DDreader está disponível para download gratuito no endereço: http://www.fundacaodorina.org.br/ddreader.

“Esta é uma forma de avançar na questão da acessibilidade com soluções de baixo custo para países em crescimento”, diz Alfredo Weiszflog, diretor-presidente voluntário da Fundação Dorina Nowill para Cegos.

Segundo Pedro Milliet, desenvolvedor dos livros em formato Daisy da Fundação, a Dorina está preparada para atender editoras que estejam interessadas no formato, independente da quantidade de títulos de seu catálogo.

Por Redação Yahoo! | Sex, 20 Ago, 03h55