A construção de um cânone na esfera digital


Por Ednei Procópio

A I Feira Nordestina do Livro [Fenelivro], inicia amanhã [28] e vai até o próximo dia 7 de setembro. O evento, promovido pela Associação do Nordeste de Distribuidores e Editores de Livros [Andelivros] e pela Câmara Brasileira do Livro [CBL], em parceria com a Companhia Editora de Pernambuco [Cepe], será realizado no Centro de Convenções de Pernambuco.

É a primeira edição do evento. Pelo que pude apurar, a I Feira Nordestina do Livro terá uma programação com workshops, palestras, minicursos e vai contar com uma área de 4 mil m², cerca de 200 estandes e mais de 200 autores convidados. A previsão, segundo os organizadores, é a de que o evento atraia cerca de 150 mil visitantes.

Entre um dos espaços do evento estaremos eu, Maurem Kayna e meu amigo Roberto Bahiense, da Nuvem de Livros, com quem venho trocando ideias e experiências nos últimos anos sobre os eBooks [no Brasil e no mundo].

Achei um pouco exótico o título da nossa mesa na Fenelivro, “A construção de um cânone na esfera digital“, mas, como evangelista dos livros digitais em pelo menos uma década e meia, estou tentando tirar de qualquer iniciativa algum resultado prático que possa ajudar-nos com modelos flexíveis e assertivos para o nosso mercado.

O mercado editorial está inserido em uma esfera de oportunidades que poderia resolver questões seculares, aqueles problemas que não eram possíveis de se solucionar até o advento da Internet. Mas, antes de elucubrações imprecisas, precisamos conceituar o que seria esta esfera digital da qual trata o título da mesa. Esta esfera pode ser a própria digitalização da economia industrial do livro ou até mesmo, preciso melhorar meu entendimento sobre esse assunto, a economia do compartilhamento das coisas.

É fato que o número de superfícies para o acesso, consumo e leitura dos livros, nesta esfera digital, só cresce. A base instalada de devices que podem portabilizar os livros chegam hoje a casa dos 180 milhões de telas. Segundo pesquisa realizada pela eMarketer, o Brasil é o 6º país com o maior número de smartphones. Uma projeção realizada pela mesma empresa norte-americana, revela que em 2018 o Brasil terá 71,9 milhões de smart devices. E, segundo os números da FGV [de abril de 2015], o número de hardwares conectados à verdadeira grande rede de relacionamentos, a Internet, já ultrapassa a casa dos 306 milhões.

Nos Estados Unidos, por exemplo, um mercado na qual sempre nos espelhamos, 84% da população possui celulares inteligentes capazes de portabilizar os livros, e é por esta mesma razão que 54% de smartphones são utilizados para leitura naquela região.

A abundância de reading devices, no entanto, cuja onipresença não garante conexão, não garante também mais eficiência na publicação, comercialização e divulgações dos livros. A questão central que talvez o mercado editorial ainda não tenha enxergado é que a esfera digital na qual vem se inserindo é repleto do que eu chamaria de “zonas de contradições”, eclipsadas por outras esferas políticas, sociais, econômicas e educacionais.

E é nesse contexto que Maurem Kayna, Roberto Bahiense, e eu, iremos conversar, trocar ideias e experiências para encontrar instrumento de medida, um cânone, ou um conjunto de modelos, capaz de eliminar da indústria criativa do livro suas históricas “zonas de contradições”.

Nos vemos por lá!

Anote aí na sua agenda!

A construção de um cânone na esfera digital
I Feira Nordestina do Livro | Fenelivro
Dia 03/09, quinta-feira, às 15h
Centro de Convenções de Pernambuco, Sala Ariano Suassuna
Com Maurem Kayna, Ednei Procópio [Livrus] e Roberto Bahiense [Nuvem de Livros]

Congresso do Livro Digital e Feira do Livro Didático no Colégio Santa Cruz


O Congresso do Livro Digital e Feira do Livro Didático no Colégio Santa Cruz de São Paulo, será realizado no sábado, 21 de setembro próximo.

Evento aberto ao público, possibilita que o colégio colabore com a discussão sobre os rumos da educação na era digital.

No Congresso, especialistas e profissionais da transição do material didático analógico para o digital, debaterão sobre as tendências deste tema e produzirão uma arena onde todos os envolvidos na cadeia de negócios do livro possam conversar diretamente entre si.

Alguns dos palestrantes como Marcelo Tas, Silvio Meira e Sergio Herz apresentaram recentemente seus trabalhos no 4º Congresso Internacional CBL do Livro Digital, com muito sucesso e retomarão os temas no ColégioSanta Cruz.

Já a Feira mostrará a abrangência da produção de conteúdo didático, do impresso ao digital, privilegiando toda publicação didática, desde os sistemas de ensino, passando pelos livros impressos, pelas empresas de desenvolvimento de conteúdo didático digital e pelos os ambientes e plataformas de ensino virtual.

Para ficar por dentro da programação e conhecer mais sobre o evento, acesse o site: http://www.feiradolivrodigital.com.br.

10º Salão do Livro de Imperatriz recebe palestra sobre eBooks


Palestra O LIVRO NA ERA DIGITAL será ministrada durante o 10º SaLImp.

Ednei Procópio | Fonte: Maurício Burim/SE

Ednei Procópio | Fonte: Maurício Burim/SE

O livro não é mais lido apenas no papel. Está também onipresente em uma miríade de suportes suspensos e em uma diversidade de aparelhos tecnológicos, móveis e de comunicação. E uma série de meios é o que está transformando definitivamente a realidade dos livros através de uma convergência digital e cultural sem precedentes.

Este é o tema da palestra O LIVRO NA ERA DIGITAL que será ministrada por Ednei Procópio, especialista em eBooks desde 1998, durante o 10º Salão do Livro de Imperatriz. A palestra tratará das emergentes mídias digitais que estão influenciando diretamente no concorrido tempo dos consumidores modernos e transformando o hábito de leitura em todo o mundo.

A palestra O LIVRO NA ERA DIGITAL promete também um review de todo o mercado editorial convencional presente, frente às transformações das mídias digitais, do ponto de vista exclusivamente dos negócios ou da atualização enquanto profissional.

ANOTE NA AGENDA

Dia: 29 de junho de 2012, sexta-feira
Horário: 14h30
Entrada gratuita
Docente: Ednei Procópio, especialista em livros eletrônicos.

ONDE

10º Salão do Livro de Imperatriz
Centro de Convenções de Imperatriz
Imperatriz | MA

Começa o TOC de Buenos Aires


Conferência sobre mercado digital acontece em uma feira onde as editoras não sentem urgência para criar e-books

Em meio a uma feira onde as editoras participantes demonstram pouca preocupação com o e-book, teve início a conferência focada em publicações digitais Tools of Change for Publishing (TOC), hoje pela manhã, na cidade de Buenos Aires, como parte das atividades da Feira do Livro da capital argentina.

O evento, realizado pela primeira vez na América Latina, começou com o alerta de George Slowik Jr., sócio da Publishers Weekly: “se vocês não fizerem [e-books], alguém vai fazer”. E seguiu com a fala de Rüdiger Wischenbart, consultor de produtos culturais, que deu um panorama sobre o mercado de livros na Europa: queda de um dígito nas vendas de livros físicos nos principais mercados [Reino Unido, Alemanha e França] e muita dúvida sobre como encarar diferentes assuntos: e-readers que não funcionam em certos territórios, livros que na internet concorrem com itens dos mais diversos, de livros a roupas, e as plataformas de venda que fazem de tudo – de vender ou emprestar e-books até publicá-los, como faz a Amazon – e provocam “uma grande confusão”.

Sediado no centro La Rural, o mesmo local onde a feira do livro ocupa 45 mil m2, o TOC reúne cerca de 120 participantes pagantes, que até o fim do dia vão assistir a palestras e mesas sobre questões latentes do mundo digital.

O curioso é que, fora do salão onde acontece o TOC, boa parte das editoras que estão expondo seus livros para o público no La Rural, majoritariamente sediadas na Argentina, parecem não sentir nenhuma urgência para digitalizar suas publicações. No mercado argentino, além da inexistência de uma base de dispositivos de leitura e da pouca oferta de e-books, prevalece uma barreira importante, que são os baixos índices de comércio eletrônico.

O TOC é realizado pela O’Reilly e pela Feira do Livro de Frankfurt e pela Feira do Livro de Buenos Aires. O PublishNews apoia a conferência.

Por Roberta Campassi | PublishNews | 20/04/2012