Curso ensina a planejar bibliotecas digitais


Encontro acontece no dia 28 de novembro, em São Paulo

Estão abertas as inscrições para o curso Planejamento de bibliotecas digitais, com a profissional da informação Liliana Giusti Serra. O foco é apresentar as etapas necessárias para planejamento de projetos de bibliotecas digitais enfocando os aspectos práticos gerenciais e não as questões estritamente tecnológicas. O encontro fornecerá subsídios aos bibliotecários para planejamento, acompanhamento e tomada de decisão em projetos de bibliotecas digitais. A aula ocorre no dia 28 de novembro, das 9h às 18h, na Ação Educativa [Rua General Jardim, 660, Vila Buarque, São Paulo/SP]. O investimento é de R$ 140. Para mais informações, clique aqui.

PublishNews | 05/11/2015

Bibliotecas de MT colocam consulta ao acervo na web


O acervo de nove bibliotecas públicas de Mato Grosso agora pode ser consultado online, por meio do site www.bibliotecasmt.com.br.

A ferramenta de pesquisa integra um projeto do Sistema Estadual de Bibliotecas, coordenado pela Secretaria de Estado de Cultura, Esporte e Lazer [Secel], que contempla, entre outros objetivos, a democratização do acesso e o estímulo à leitura entre a população.

De acordo com a bibliotecária Ana Heloíza Farias Pereira, a proposta é integrar num único sistema o acervo de todas as bibliotecas do Estado, chegando a 25 instituições até o final deste ano.

Hoje são 152 bibliotecas cadastradas em Mato Grosso, dentre estaduais e municipais. Inicialmente, o projeto disponibiliza o acervo de instituições em Água Boa, Nova Mutum, Campinápolis, Marcelândia, Pontal do Araguaia, Vera, Peixoto de Azevedo, Barra do Bugres e Cuiabá. Parte delas já apresenta todo o conteúdo catalogado para consulta, outras estão em processo de inclusão das obras para pesquisa.

Em média, cada instituição possui 10 mil volumes.

Ana Heloíza explica que, antes de utilizar a ferramenta, os profissionais das instituições passaram por capacitação nos municípios, com supervisão e orientação feita por servidores da Secel.

De forma geral, as bibliotecas no Estado usavam o sistema de tombo, com registro e consulta manual das obras. A informatização do acervo, além de facilitar o acesso à informação, aumenta as possibilidades de pesquisa pelo cidadão. Após essa fase inicial, vamos ampliar a rede, oferecendo o suporte técnico e acompanhando o processo de integração de mais instituições”.

O sistema da rede de bibliotecas de Mato Grosso foi criado com base no programa Biblioteca Livre [Biblivre], um software de catalogação e difusão do acervo de bibliotecas públicas e privadas, coordenado pela Fundação Biblioteca Nacional e o Instituto Cultural Itaú.

A consulta do acervo é simples e didática. O cidadão acessa o site, escolhe a biblioteca de interesse e depois define as opções de busca, que pode ser feita por bibliografia, autoridade, vocabulário e distribuição.

Em cada link, a pessoa encontra explicação sobre o tipo de pesquisa que está acessando e as orientações sobre como encontrar o livro no site.

Além das informações de acervo, futuramente haverá possibilidade de interatividade com as instituições, por meio de um chat que está em fase final cadastro dos atendentes”, ressalta a bibliotecária.

Midia News | 25/06/2015

Cebrap lança a sua Nova Biblioteca Virtual


Cebrap acaba de lançar a sua Nova Biblioteca Virtual. Ela constitui-se como uma das principais ferramentas do site do Cebrap e uma importante vitrine das pesquisas realizadas pela casa. Projeto chega com uma série de novidades que deixam a busca por conteúdos mais amigável, intuitiva e rápida. “Quando começamos a desenvolver o site nossa principal intenção, além de divulgar esse importante acervo, era de oferecer ao usuário uma solução simples, ágil e muito bem organizada”, explicam Alexandre Abdal e Maria Carolina Vasconcelos Oliveira, coordenadores da iniciativa e pesquisadores do Cebrap.

Outro destaque é a disponibilização em vídeo, com tradução em libras, dos Seminários do Cebrap, realizados mensalmente no auditório do Cebrap. “A Biblioteca Virtual presta um grande serviço público na medida em que torna todos esses conteúdos disponíveis gratuitamente para pesquisadores e interessados em geral”, afirma Angela Alonso, diretora Científica do Cebrap.

Além da organização de conteúdos já digitalizados, como Estudos Cebrap, Cadernos Cebrap, pesquisas, artigos e livros de pesquisadores, o projeto prevê, em sua próxima etapa, a organização e digitalização do acervo físico do Cebrap. “Há, no acerco físico do Cebrap, um grande volume de material que ainda não se encontra digitalizado e que será organizado na nova plataforma. Porém, ainda será preciso o apoio de novos investidores”, lembram Alexandre Abdal e Maria Carolina Vasconcelos Oliveira. Possíveis interessados em apoiar a iniciativa devem entrar em contato por meio do bibliotecavirtual@cebrap.org.br.

Clique aqui para conhecer a Nova Biblioteca Virtual do Cebrap.

Sobre o Cebrap

Fundado em 1969, por um grupo de professores, em sua maioria afastados das universidades pelo regime militar, o Cebrap destacou-se na cena nacional com seminários, publicações e pesquisas marcados por um caráter de resistência política e produção de conhecimento crítico independente. Ativo há mais de quatro décadas, o Cebrap – uma instituição sem fins lucrativos – já realizou mais de 500 projetos de pesquisa, trabalhou com cerca de 200 parceiros nacionais e internacionais e se consolidou como centro de pesquisa em humanidades de alto padrão, referência na produção de conhecimento de ponta nas diferentes ciências sociais, na filosofia como também na crítica literária e artística, albergando alguns dos maiores intelectuais do país, e funcionando como fórum de debate sobre os grandes problemas nacionais.

Jornal do Brasil | 17/06/2015

Preciosidades da Biblioteca Monteiro Lobato são digitalizadas


Acervo é comporto por livros didáticos desde o fim do século 19 até meados da década de 1970

A Biblioteca Monteiro Lobato [Rua General Jardim, 485, Vila Buarque, São Paulo/SP] abriga o Acervo Histórico do Livro Escolar – AHLE, constituído por títulos de uso escolar resguardado pelas antigas Bibliotecas Infantis. O espaço reúne várias fases da história e da educação no País desde o fim do século 19 até meados da década de 1970. Cartilhas, primeiras leituras e manuais de ensino, entre outros, compõem esse acervo especial, que contempla todas as disciplinas escolares dos cursos primário e secundário. Mais de 30 títulos antigos já foram digitalizados. Para mais informações, clique aqui.

PublishNews | 26/05/2015

Centro Cultural São Paulo passa a emprestar eBooks


O Centro Cultural São Paulo, que possui uma das melhores e mais bem avaliadas bibliotecas públicas do País, agora também empresta eBooks virtualmente. A novidade foi anunciada na quinta-feira, 12 de março, durante as comemorações do Dia do Bibliotecário, e já começou a funcionar imediatamente, com o cadastro dos primeiros usuários que poderão ler os livros digitais em tablets, no computador ou no smartphone, mesmo com a internet desligada. A Biblioteca Digital do CCSP opera com a plataforma da Árvore.

Para celebrar a parceria com a Árvore de Livros, que inclui também ações em conjunto com a Associação Brasileira de Municípios, o Observatório do Livro e da Leitura e a Fundação Palavra Mágica, o CCSP promoveu uma palestra para seus funcionários e usuários da biblioteca, com transmissão online, com Galeno Amorim, ex-presidente da Biblioteca Nacional, que abordou o tema “Dos tabletes de argila aos eBooks, uma revolução na palma da mão”.

Palestra

Nada teve impacto tão grande ou deu tanta contribuição à edificação da civilização quanto os livros. Desde a pré-história até os dias atuais, eles armazenam e transmitem legados, o conhecimento acumulado pelas gerações e os valores de cada época. Dos tabletes de argila de seis mil anos atrás ao pergaminho, do papiro ao papel até os eBooks da atualidade, o que evoluiu mesmo, e de forma espetacular, foi o suporte no qual ele é impresso. Afinal, um livro é, essencialmente, o conteúdo que carrega. O digital começa a deflagrar uma profunda, embora silenciosa, revolução, em especial entre os mais jovens. E chega, enfim, ao Brasil. Mas será que nossas escolas e bibliotecas estão preparadas para isso?!

Esses foram assuntos abordados na quinta-feira [12 de março] por Galeno Amorim, professor, autor de 16 livros – entre os quais, Retratos da Leitura no Brasil – e consultor internacional em políticas públicas do livro e leitura, em palestra no Centro Cultural São Paulo.

Saiba mais sobre Galeno Amorim

Presidiu a Fundação Biblioteca Nacional e o Centro Regional de Fomento ao Livro na América Latina e no Caribe [Cerlalc/Unesco], único organismo internacional dedicado à questão da leitura. Foi o responsável pela criação do Plano Nacional do Livro e Leitura [PNLL], dos ministérios da Cultura e da Educação, e seu primeiro coordenador. Criou e dirigiu inúmeros programas e instituições de fomento à leitura no Brasil. Fundador do Blog do Galeno, especializado na questão da leitura, é presidente da Fundação Observatório do Livro e da Leitura e cofundador da Árvore de Livros.

Notícias do Blog do Galeno | Edição 389 | 13 a 19 de março de 2015

Deputados aprovam criação da Biblioteca Digital do Mato Grosso do Sul


A Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul [AL-MS] aprovou em sessão de quarta-feira [4] projeto de emenda constitucional que cria a Biblioteca Estadual Digital. A proposta segue agora para apreciação do governador Reinaldo Azambuja [PSDB].

De acordo com a proposição, a biblioteca disponibilizaria à toda população o o acervo do Arquivo Público Estadual, a literatura e toda a forma de expressão cultural do estado, além de reunir o Patrimônio histórico e cultural, receber exposições e ser fonte de pesquisa para estudantes. A Biblioteca Digital ficará disponível nas escolas em caso não haver uma biblioteca física.

Em sua justificativa, os deputados Júnior Mochi [PMDB], Antônio Carlos Arroyo [PR], Lauro Davi [PROS], Maurício Picarelli [PMDB], Onevan de Matos [PSDB], Pedro Kemp [PT], Rinaldo Modesto [PSDB] e Lídio Lopes [PEN] argumentam que a alteração na Constituição Estadual visa adequar a lei com a era digital, além de incentivar os jovens à leitura.

G1 | 04/03/2015

Biblioteca dispõe 3 mil livros raros para download


Sabia que você pode ter acesso a mais de três mil livros antigos diretamente do seu computador? Mas fique tranquilo: não é necessário usar o torrent ou alguma ferramenta ilegal para download. Basta acessar o acervo digital da Biblioteca Brasiliana Guita e José Mindlin.

Se você não Conhece, a Brasiliana é uma biblioteca pública inaugurada recentemente dentro da USP, em São Paulo. Ela é o resultado de uma doação da coleção de livros do bibliófilo José Mindlin [1914 – 2010], que ao longo de sua vida, reuniu um acervo de 40 mil livros considerados como raros por diversos historiadores.

Na página Oficial da Biblioteca, você pode fazer uma busca por todas as obras, mas poderá visualizar apenas 3 mil dessas obras desse acervo, que atualmente está sendo digitalizada pela própria biblioteca. Além de visualizar estes livros, você também pode fazer do download deste material, que considerado fonte de história pura por muitos especialistas.

Like a Nerd | 06/05/2014

Biblioteca da Câmara conclui digitalização de 200 obras raras


Foi concluído o projeto de digitalização de 200 obras raras do acervo da Biblioteca Pedro Aleixo, da Câmara dos Deputados. Os livros e periódicos, que datam dos séculos 16 ao 20, já podem ser acessados gratuitamente na página Biblioteca Digital na internet.

No total, a Câmara possui cerca de 4.600 obras raras e 108 títulos de periódicos raros. As 200 obras digitalizadas foram selecionadas a partir de aspectos como conteúdo, elevado valor histórico e demanda de consultas.

Entre os títulos digitalizados recentemente estão coletâneas da legislação do Império e edições do Jornal das Trincheiras [órgão da Revolução Constitucionalista de 1932]. A obra mais antiga que está disponível no formato digital é um relato em latim, do ano de 1537, sobre as grandes expedições de navegadores como Cristóvão Colombo e Américo Vespúcio.

Preservação do acervo

O projeto de digitalização foi concluído seis meses antes do previsto, já que a expectativa era finalizá-lo em dezembro deste ano. A digitalização foi feita com o uso de escâneres planetários, equipamentos que registram o material impresso em alta resolução sem danificar as páginas do arquivo.

As publicações digitalizadas estão disponíveis no site www.camara.leg.br, nos menus “Documentos e Pesquisa”, “Biblioteca Digital” e “Obras Raras”. Para acessar, clique aqui.

Câmara dos Deputados | 30/07/2014 | Da Redação PT

Observatório da Língua Portuguesa lança biblioteca digital para a cidadania


O OLP – Observatório da Língua Portuguesa, em parceria com a AVL – Associação para o Voluntariado de Leitura está a criar uma Biblioteca de Livros Digitais [BLD] com obras dirigidas a crianças e jovens, centradas em temas de cidadania. O projeto integra-se no programa “Cidadania Activa”, cujo “objectivo primordial é o fortalecimento da sociedade civil portuguesa e o progresso da justiça social, da defesa dos valores democráticos e do desenvolvimento sustentável”, informou o OLP em comunicado.

A Biblioteca de Livros Digitais para a Cidadania e Interculturalidade [BLD], que será colocada numa plataforma do sítio de internet da OLP, potenciará também a projecção da Língua Portuguesa como veículo de ensino e aprendizagem, transmissora de valores humanísticos, ampliará mais facilmente a rede nacional de voluntariado para a promoção da leitura e facilitará e estimulará o trabalho dos voluntários de leitura, indica o OLP.

Na fase de arranque, a biblioteca será constituída por 15 volumes, destinados aos estudantes do ensino básico e secundário e potenciará a inclusão de crianças em risco. “Os livros digitais a produzir abordarão o valor da democracia e da participação cívica, a defesa dos direitos das minorias e da igualdade de género, o combate contra discriminações e desigualdades sociais, o racismo, a xenofobia, a linguagem de ódio, induzindo a compreensão intercultural, a interiorização de valores de tolerância e o respeito mútuo, a partir do conhecimento e reflexão sobre diversas realidades culturais“, explica o comunicado.

Complementarmente, serão elaborados vídeos com sugestões de abordagem pedagógica e de atividades relacionadas com os livros publicados, de forma a dinamizar a sua utilização pelos docentes, voluntários de leitura e pelas famílias.

Este projecto é financiado pela Noruega, Lichenstein e Islândia, no âmbito dos fundos do Mecanismo Financeiro do Espaço Económico Europeu, destinados às Organizações Não-Governamentais [ONG], sendo a Fundação Calouste Gulbenkian a entidade gestora que lançou o concurso para o programa dirigido às ONG.

O OLP- Observatório da Língua Portuguesa, como promotor e a AVL – Associação para o Voluntariado da Leitura, como parceiro, consideraram que o Programa abria novas perspetivas nas atividades das duas organizações e decidiram concorrer com a apresentação do projeto “Biblioteca de Livros Digitais para a Cidadania e Interculturalidade”.

O processo de candidatura decorreu em duas fases de selecção, tendo a decisão final determinado a sua aprovação e financiamento para uma execução ao longo de 2014 e 2015. A responsabilidade dessa execução cabe ao OLP, presidido por Eugénio Anacoreta Correia, e à AVL, presidida por Isabel Alçada, sendo coordenadora do projecto Maria Eduarda Boal, também membro do OLP.

Portugal Digital | 29/03/14

Editora lança nova biblioteca digital


Editora colocar a disposição mais de 1.500 títulos nas áreas de direito e de gestão

Desde o início o ano, o PublishNews tem noticiado a criação de bibliotecas digitais. Primeiro veio a Árvore de Livros, depois a Biblioteca Xeriph e, agora, é a Saraiva que lança a sua biblioteca digital proprietária [a editora já faz parte da pioneira Minha Biblioteca]. A Saraiva colocou a disposição de instituições de ensino superior o seu catálogo de mais de 1.500 títulos nos segmentos de Direito e de Gestão. A ideia é oferecer e-books para cursos e disciplinas de direito, administração, economia, contabilidade de marketing.

Para Otello Betolozzi Neto, diretor de Novos Negócios da Saraiva, a biblioteca deles sai na frente por já ter na rua o Saraiva Soluções de Aprendizagem que já oferece uma biblioteca virtual, além de atividades digitais e kits de livros impressos voltados para esse mesmo público. Mas um serviço não concorre com os outros? Otello garante que não. “A Biblioteca Saraiva é uma solução pensada tendo em mente a ementa do curso ou da disciplina. Pode até haver uma sobreposição ou outra dos serviços, mas ela tem seu público”, argumenta.

O modelo de negócios da Biblioteca Digital Saraiva é semelhante ao já praticado pela Minha Biblioteca: as instituições de ensino podem escolher os títulos e pagam pelo preço de capa, com descontos em escala. Com isso a Saraiva garante que todos levam vantagens: a instituição, os professores e os alunos. Com o acervo digital, a universidade ganha diferencial competitivo e reduz gastos com espaço físico e manutenção de acervo; os professores têm mais variedade de títulos e autores e os alunos que têm acesso integral aos livros de todas as disciplinas.

Por Leonardo Neto | Publicado originalmente em PublishNews | 13/03/2014