Chinesa, paralisada, escreve biografia usando os olhos


Uma mulher de 62 anos de idade, de Chengdu, no sudoeste da China, provou que determinação pode superar as mais debilitantes doenças. Gong Xunhui está com seu corpo praticamente todo paralizado, devido a uma doença neuro-motora que progressivamente a impossibilitou de se mover e falar.

No entanto, ela mostrou muita força ao concluir a escrita de sua biografia mesmo estando nesta condição. De acordo com o Daily Mail, Xunhui escreveu cerca de 150 mil caracteres apenas piscando os olhos. Para ser ainda mais incrível, a senhora pretende doar todos os recursos arrecadados com a venda do livro a ações de caridade.

Gong teve que superar mais do que apenas os impactos físicos da doença para escrever sua biografia. Enquanto ela ‘contava’ sua história aos jornalistas, trocando teclas por piscadas, ela refletia a respeito de momentos felizes de sua existência.

Ela relembra quando conheceu seu marido, em 1976, apresentado pelo seu avô. Os dois se apaixonaram quase imediatamente e se casaram após cinco meses.

A vida do casal foi boa por muitos anos, em que eles tinham sucesso na relação e na carreira, com uma lavanderia de roupas e criaram o único filho que tiveram.

No entanto, a tragédia chegou cedo.

No outono de 2002, Gong começou a sentir os primeiros sintomas da doença progressiva que viria a destruir parte de sua vida. Gong lembrou: “Na época, eu tinha tonturas. Minha perna direita começou a parecer mole e eu não tinha força para movê-la”.

Apesar de se consultar com numerosos profissionais da área médica, a doença só foi descoberta após quase um ano dos primeiros indícios. A doença da chinesa é a mesma sofrida pelo gênio Stephen Hawking, a Esclerose Lateral Amiotrófica ou ELA. Ela recebeu uma previsão de vida de três a cinco anos.

Gong recordou que não conseguia parar de chorar no quarto do hospital ao saber. Naquela noite, o sono não veio, no lugar milhões de pensamentos sobre o quão difícil seria seu futuro passaram a ocupar sua mente. Com o passar dos anos, a doença progrediu e até ela ficar completamente paralisada.

Hoje, a mulher só é capaz de mover sua cabeça e não pode mais falar, tornou-se completamente dependente de seu marido, mas não deixou que a melancolia tomasse conta de todos os seus dias.

“Eu não quero submeter ao destino, ‘Gong anunciou ao marido um dia,” eu ainda estou vivo. Eu quero continuar a viver a minha vida e não esperar a morte. ‘

A partir daquele dia, o casal começou a trabalhar em sua biografia.

Para alguém que só podia mover a cabeça, o processo de escrita é extremamente difícil, mas foi possível com a ajuda da tecnologia. Uma câmera de vídeo colocado na frente de Gong capturou o movimento de seus olhos, que por sua vez dirigiu um programa em um computador usado para digitar palavras e frases.

O processo é muito lento e demorado, mas resultou em uma bela conquista.

Publicado originalmente em Portal Yahoo | 20/10/2015