O primeiro ano da Amazon


Na próxima sexta-feira [21], a Amazon completa um de operações com livros físicos no Brasil. A gigante de Seatle avalia como positiva a sua atuação no Brasil. “Estamos acostumados a abrir lojas em todo o mundo e sabemos que não é fácil”, apontou Daniel Mazini, gerente geral de livros impressos da Amazon brasileira. Um dos grandes desafios que, segundo Mazini, preocupava a equipe de Jeff Bezos era em relação à logística. E um ano depois qual o balanço? “Avaliamos a logística com promessas cumpridas, sempre pelo lado do cliente e estamos muito satisfeitos. Atingimos padrões internacionais e o feedback dos nossos clientes é muito bom”, disse ao PublishNews por telefone. Outra preocupação inicial seria a adesão de editoras à varejista. “Quaisquer rumores que havia na nossa relação com os editores foram rapidamente desmistificados. Mantemos uma relação muito saudável com eles”, garante o gerente. Para embasar esse argumento, Mazini aponta o crescimento no catálogo da loja. A Amazon tem hoje em seus estoques 170 mil títulos produzidos no Brasil. Contando com os títulos internacionais, a Amazon comercializa, segundo disse Mazini, 10 milhões de livros impressos e outros 2,7 milhões de e-books.

Por Leonardo Neto | PublishNews | 18/08/2015

Smartphone é o 2º dispositivo mais usado para leitura


Os dispositivos móveis são os aparelhos mais utilizados por boa parte da humanidade, milhões de pessoas ao redor do mundo o utilizam para lazer, mas para muitos também faz parte da rotina profissional. De qualquer forma, é justamente por isso que as fabricantes de dispositivos móveis estão sempre tentando desenvolver novos smartphones e tablets mais aprimorados e com funcionalidades inteligentes para o dia a dia.

Os celulares atuais são utilizados para diversos fins, muitas pessoas escutam músicas, assistem vídeos, usam como GPS, entre outros recursos. É justamente por isso que muitos gadgets específicos acabaram morrendo, como os leitores de MP3. Agora os aparelhos também estão sendo muito utilizados para ler conteúdo digital.

Os leitores digitais chegaram ao público no final da década de 90, atualmente há alguns aparelhos que são muito famosos e o mercado de publicações digitais está aumentando consideravelmente. Porém, ao mesmo tempo que os gadgets do tipo começaram a ficar famosos, muitas pessoas estão utilizando smartphones e tablets com a mesma função.

De acordo com informações do The Wall Street Journal, o futuro dos livros digitais está provavelmente atrelado aos smartphones. Isso não quer dizer que os e-readers vão desaparecer do mercado, mas que atualmente mais pessoas utilizam os dispositivos móveis para ler conteúdo.

As informações foram retiradas de um relatório da Nielsen, concluindo quais são os dispositivos de leitura preferido dos usuários. Em 2012 o resultado indicou que 50% das pessoas entrevistadas preferiam e-readers, como o Kindle da Amazon. Agora, apenas 32% afirmam que utilizam o leitor de e-book como primeira opção. Entre 2009 e 2015 os tablets passaram de 30% a 41% a ser opção dos usuários.

Os smartphones ainda não estão em primeiro lugar, mas a pesquisa revela que o dispositivo é o segundo mais utilizado para realizar leitura. Em 2009 apenas 24% dos entrevistados utilizavam os aparelhos para leitura, agora a porcentagem aumentou para 54%. Certamente o número deve aumentar consideravelmente nos próximos anos, já que mais e mais pessoas estão adquirindo dispositivos móveis. Um recente estudo até afirmou que 84% da população dos Estados Unidos possui smartphones.

Publicado por Tudo Celular | 18/08/2015