Universidade do Piauí abre biblioteca virtual com 30 mil livros


A Universidade Estadual do Piauí é a primeira instituição pública de ensino do Estado a disponibilizar para seus estudantes, professores e servidores, uma Biblioteca Virtual em sua página na internet. A Biblioteca Digital da Uespi é disponível aos estudantes, que são 13 mil nos cursos regulares, e aos estudantes dos cursos feitos por ensino à distância, usando logins e senhas que são utilizadas para o acesso aos seus boletins de notas e histórico escolar, aos professores e aos servidores, através de 16 mil chaves.

O diretor das Biblioteca Física da Uespi, Aureste de Sousa Lima, afirmou que a Biblioteca Virtual possui mais 30 mil livros de todas as áreas do conhecimento nas áreas de ciências humanas, de ciências sociais aplicadas, que tem o maior acervo de livros digitais, ciências exatas e ciências da saúde.

Se você faz parte dos cursos da área de ciências da saúde têm acesso aos livros de Medicina, de Enfermagem, Odontologia. A área que tem muitos livros é a área de ciências sociais aplicadas. Nós temos muitos livros de Direito, de Comunicação, de Turismo”, afirmou Aureste de Sousa Lima.

Ele disse que a Biblioteca Virtual de 30 mil títulos tem como base de dados o serviço Minibiblioteca, mas a Uespi está em fase de contratação de uma base de dados mais ampla, com maior número de livros.

Os investimentos na Biblioteca Virtual da Uespi são em torno de R$ 400 mil. Na base de dados da Minibiblioteca, a Uespi está investindo 180 mil pelo contrato anual e na nova base serão gastos 290 mil pela licença anual,

Os investimentos por aluno no primeiro contrato dá R$ 7 mil por ano para cada aluno. Só o primeiro contrato. O segundo contrato é muito mais oneroso, o de R$ 290 mil”, falou Aureste de Sousa Lima.

A base de dados Minibiblioteca é de São Paulo.

Com a entrada da Uespi na área de biblioteca virtual surge uma pergunta que não quer calar. Se a Uespi é uma instituição pública, logo paga com recursos dos impostos dos contribuintes, tem uma biblioteca física, que permite a pesquisa e uso de seus livros por pessoas de toda a comunidade piauiense, por que os piauienses que não são seus alunos, professores e servidores não têm acesso aos seus livros virtuais?

Aureste de Sousa Lima sorri, de forma desconfortável, ao ouvir a pergunta, mas explica:

O objetivo dessa assinatura é dar suporte às nossas atividades de ensino, pesquisa e extensão. Essa biblioteca assinada tem um limite de usuários. Por isso, a gente restringiu o acesso aos alunos, professores e técnicos administrativos, os operadores de nossa instituição. São as pessoas que estão precisando de imediato, estão precisando mais porque a função é dar mais suporte ao que a gente tem no físico”, declarou Aureste de Sousa Lima.

Por Efrém Ribeiro | Publicado originalmente em Meio Norte | 08/07/2015

Anúncios