Serviço de subscrição para eBooks: como Netflix, como Spotify ou nada disso?


Os serviços mensais de “coma o quanto puder” já são realidade para música, filmes e TV. Será que serão populares para e-books também? Um movimento feito recentemente pela Oyster lança algumas dúvidas sobre isso. A Oyster lançou recentemente um serviço de varejo tradicional, que complementa o serviço de assinatura de US$ 10 mensais lançado há pouco mais de um ano e meio atrás. Os serviços de subscrição estão na fase de “o que vem primeiro, o ovo ou a galinha”. Por um lado, eles são um jeito totalmente novo de se consumir livros, por outro lado, a maior parte das editoras não está embarcando no modelo com entusiasmo. Nos EUA, há três serviços disponíveis: o Oyster, Scribd e Kindle Unlimited, da Amazon. Scribd e Oyster têm títulos de três das cinco maiores editoras [HarperCollins, Macmillan e Simon&Schuster], mas não tem nada da Penguin Random House ou da Hachette. E, mesmo dessas três editoras, os serviços têm apenas os livros de fundo de catálogo.  Refletindo a relação muitas vezes irritadiça entre editoras e Amazon, as Big Five não oferecem nenhum título importante pelo Kindle Unlimited.

Por Bill Rosenbaltt | Forbes | 24/04/2015

Anúncios