Biblioteca digital, uma instituição sem paredes e limitações físicas


A implantação de um projeto de biblioteca digital representa uma nova forma de tratamento dos acervos das instituições. Organizar as informações de forma a permitir a consulta – independente de localização física ou geográfica dos pesquisadores e dos documentos – amplia o alcance da biblioteca e, consequentemente, da instituição mantenedora. A possibilidade de aliar a oferta de conteúdos com práticas de ensino representa um avanço tecnológico e educacional, consolidando a trajetória de instituições e preparando-as para atuar no ensino a distância, permitindo aos alunos e professores o acesso a mais variada gama de recursos até então inimagináveis pelas barreiras físicas e geográficas.

O modelo digital representa também um melhor investimento em acervos, evitando a duplicidade de documentos uma vez que eles estão disponíveis em seus locais de origem. Em suma, as bibliotecas digitais vieram para transformar a forma como são vistos os acervos, ampliando seu volume, alcance e comunidade atendida, permitindo acesso a conteúdos e serviços, contribuindo, desta forma, com a preservação de documentos, a disseminação das informações e a divulgação do conhecimento.

A biblioteca digital é uma evolução no tratamento dado à informação e aos documentos. Ela é formada por documentos eletrônicos – tanto os que já nasceram digitais como os que foram convertidos por meio de captura de imagem – em diversos formatos, armazenados em repositórios seguros que permitem a utilização simultânea por diversos usuários, com controle dos documentos por meio de políticas de acesso. Por este instrumento é possível disponibilizar íntegras aos usuários, ampliando o acesso aos registros e demolindo as paredes da biblioteca física, abrindo possibilidades de localização de informações em qualquer lugar do mundo, no horário desejado pelos usuários.

Para a construção de uma biblioteca digital é necessária a adoção de padrões de formatos de dados e protocolo de comunicação, sem os quais não é possível fazer o harvesting [colheita], ou seja, a coleta dos registros e documentos existentes em uma instituição e compartilhados com projetos colaborativos. Existem diversos projetos de bibliotecas digitais como a Europeana, Gallica, a Word Digital Library. No Brasil, destacamos o projeto da Biblioteca Nacional Digital [BND], a Biblioteca Digital de Teses e Dissertações [BDTD], a Biblioteca Digital Jurídica [BDJur, do Superior Tribunal de Justiça] e o LexML [Rede de Informação Legislativa e Jurídica, do Senado Federal], estes últimos, projetos da área jurídica. O módulo Biblioteca Digital do SophiA Biblioteca permite a criação de diversos repositórios, além de realizar o harvesting com provedores de serviços, intensificando o alcance do acervo, da biblioteca e da instituição. Dentre as outras funcionalidades constam o streaming para arquivos de áudio e vídeo, não ocorrendo o download dos arquivos.

http://www.prima.com.br | 18/03/2015

Anúncios