Ler e escrever no papel faz bem para o cérebro, diz estudo


São Paulo | Há óbvias vantagens em ler um livro num smartphone, tablet ou e-reader em vez de lê-lo no papel. No livro digital, é fácil buscar uma palavra qualquer ou consultar seu significado num dicionário, por exemplo.

Um e-reader que pesa apenas 200 gramas pode conter milhares de livros digitais que seriam pesados e volumosos se fossem de papel. Além disso, um e-book é geralmente mais barato que seu equivalente impresso.

Mas a linguista americana Naomi Baron descobriu que ler e escrever no papel é quase sempre melhor para o cérebro.

Naomi estudou os hábitos de leitura de 300 estudantes universitários em quatro países – Estados Unidos, Alemanha, Japão e Eslováquia. Ela reuniu seus achados no livro “Words Onscreen: The Fate of Reading in a Digital World” [“Palavras na Tela: O Destino da Leitura num Mundo Digital” – ainda sem edição em português].

92% desses estudantes dizem que é mais fácil se concentrar na leitura ao manusear um livro de papel do que ao ler um livro digital.

Naomi detalha, numa entrevista ao site New Republic, o que os estudantes disseram sobre a leitura em dispositivos digitais: “A primeira coisa que eles dizem é que se distraem mais facilmente, são levados a outras coisas. A segunda é que há cansaço visual, dor de cabeça e desconforto físico.

Esta última reclamação parece se referir principalmente à leitura em tablets e smartphones, já que os e-readers são geralmente mais amigáveis aos olhos.

Segundo Naomi, embora a sensação subjetiva dos estudantes seja de que aprendem menos em livros digitais, testes não confirmam isso: “Se você aplica testes padronizados de compreensão de passagens no texto, os resultados são maios ou menos os mesmos na tela ou na página impressa”, disse ela ao New Republic.

Mas há benefícios observáveis da leitura no papel. Quem lê um livro impresso, diz ela, tende a se dedicar à leitura de forma mais contínua e por mais tempo. Além disso, tem mais chances de reler o texto depois de tê-lo concluído.

Escrever faz bem

Uma descoberta um pouco mais surpreendente é que escrever no papel – um hábito cada vez menos comum – também traz benefícios. Naomi cita um estudo feito em 2012 na Universidade de Indiana com crianças em fase de alfabetização.

Os pesquisadores de Indiana descobriram que crianças que escrevem as letras no papel têm seus cérebros ativados de forma mais intensa do que aquelas que digitam letras num computador usando um teclado. Como consequência, o aprendizado é mais rápido para aquelas que escrevem no papel.

Publicado originalmente em Exame.com | 23/02/2015, às 12:04

Livro digital também foi destaque na última gestão da CBL


Karine Pansa está à frente da Câmara Brasileira do Livro [CBL] desde 2011. Às vésperas de deixar a presidência da entidade — o pleito que deve eleger seu sucessor acontece na próxima quinta-feira [26] –, Pansa assina o Relatório de Gestão 2011-2014. A publicação sintetiza as principais ações dos últimos quatro anos.

A evolução do livro digital no Brasil foi acompanhado pelo Congresso CBL do Livro Digital, que, em 2014, chegou à sua quinta edição. Na primeira edição do congresso, o mercado engatinhava nesse assunto. A única empresa a comercializar conteúdos nesse formato tinha surgido no ano anterior. Já na segunda edição, em 2011, o cenário já era outro. Prova disso, foram os 500 participantes que se inscreveram para ver e ouvir palestrantes nacionais e internacionais discutirem o futuro [e o presente] das publicações digitais. Em 2012, o mercado brasileiro presenciou a chegada da Amazon e da Kobo, mas antes disso, o congresso discutia a nova cadeia produtiva do conteúdo – do autor ao leitor e abordou as perspectivas para o mercado, seus modelos de negócios, aspectos tecnológicos, direitos autorais e o comportamento do leitor. Foi em 2013, na quarta edição do congresso, que a CBL realizou a pesquisa Mercado do Livro Digital no Brasil, que revelou que 68% dos editores e livreiros já tinham comercializado livros em formato digital. No entanto, 58% dos entrevistados disseram que a insegurança em relação ao formato técnico foi uma das razões que impediram a entrada no segmento. Na última edição do congresso, realizada ano passado, os participantes puderam comparar os dados de 2012 com 2013 apurados pela pesquisa Fipe/CBL/SNEL e perceberam que o número de títulos lançados em formato digital saltou de 7.470 em 2012 para 26.054 no ano posterior. O aumento nas vendas também foi relevante, saltando de 227.292 unidades em 2012 para 873.973 no ano seguinte.

Fonte: PublishNews | 23/02/2015

Leitores de Sorocaba ganham acesso gratuito à biblioteca digital


Os moradores de Sorocaba [SP] apaixonados por leitura têm agora uma nova maneira de viajar pelo mundo das histórias. Uma parceria realizada pela Secretaria da Cultura [Secult], junto à Biblioteca Municipal “Jorge Guilherme Senger”, com o site Árvore de Livros disponibiliza gratuitamente cerca de mil títulos de diversos gêneros literários para empréstimo on-line.

Sensacional. É assim que o estudante de Publicidade e Propaganda, Renan Klinguelfus, descreve a parceria. Ele aderiu à ferramenta assim que ficou sabendo da novidade. “Quando li que teriam vários livros gratuitos para qualquer pessoa, já procurei como me cadastrava e mandei o e-mail”, conta.

Morador do bairro Vila Independência, Renan acredita que a parceria trouxe facilidade para a vida dos leitores. “É uma biblioteca que fica longe, então é ótimo ter disponível o livro digital e isso de poder emprestar on-line torna a leitura responsável porque você não vai salvar o livro da internet e enviar para as pessoas”, destaca.

Ele, que já emprestou um e-book de poesias, afirma que a ferramenta é fácil e prática. “Dá para ajustar a letra, a cor e o tamanho. Li pelo celular e funcionou muito bem”, completa. A iniciativa, segundo ele, beneficia desde estudantes do ensino fundamental até universitários.

Segundo o coordenador da biblioteca municipal, André Mascarenhas, qualquer pessoa pode solicitar a participação. Para ter acesso ao sistema, o interessado deve enviar nome completo, data de nascimento e e-mail de contato para o endereço atendimentobiblioteca@sorocaba.sp.gov.br e aguardar um e-mail de confirmação.

Após o cadastro da senha, o leitor tem acesso a um acervo com títulos das mais variadas categorias, como biografias, infanto-juvenis, pedagógicos, negócios, entre outros. Os livros podem ser acessados em diversos dispositivos, como smartphones, tablets e notebooks e ficam disponíveis para leitura por 15 dias. Como não há necessidade de baixa-los, o sistema oferece maior segurança contra atos de pirataria.

Desde que a parceria foi assinada, mais de 180 pessoas, com idade entre 20 e 50 anos, solicitaram inclusão no serviço. “Consideramos a parceria importante para democratizar ainda mais o acesso às novas tecnologias de leitura e mostrar que é possível ter acesso tanto ao livro impresso como o digital de maneira que sejam ferramentas complementares para o estudo e aquisição de conhecimento”, destaca André.

‘Árvore’ em Salto

A Biblioteca Municipal de Salto [SP] também fechou parceria com o site de empréstimo de e-books. Os interessados em ter acesso às publicações devem comparecer à biblioteca para solicitar o cadastro de segunda a sexta-feira, das 8h às 20h, e aos sábados, das 8h às 14h. É necessário levar RG, CPF, comprovante de residência, uma foto 3×4 e o endereço de e-mail. A biblioteca municipal fica na Praça Paula Souza, 30, no Centro.

G1 – 23/02/2015