Casa da Palavra promoveu concurso em que desafio era resumir livro em 140 caracteres


Tuíte de gaúcho convence editora a publicá-lo

Num cenário retrofuturista, os heróis da literatura brasileira do século 19 investigam os crimes do ousado assassino serial Antoine Louison.

Foi assim, em exatos 139 caracteres, que o escritor Enéias Tavares passou pela primeira etapa de um concurso de ficção científica promovido pela editora Casa da Palavra.

O desafio era resumir a trama de um romance num formato de Twitter, cujas mensagens são de no máximo 140 caracteres. Enéias acabaria vencendo mais de 1.500 concorrentes com o livro “A Lição de Anatomia do Temível Dr. Louison”, um exemplar da corrente “steampunk”, surgida no final dos anos 80.

O “steampunk” é um subgênero retrofuturista da ficção científica, o oposto do cyberpunk, com um pé no século 19 e outro no amanhã.

O gaúcho Enéias Tavares, 32, é professor de literatura clássica na Universidade Federal de Santa Maria [UFSM] e especialista nos “Livros Iluminados” do britânico William Blake [1757-1827].

“A Lição de Anatomia…” mistura inúmeras referências da literatura brasileira do século 19, associando livremente as obras e personagens de Machado de Assis [1839-1908], Aluísio de Azevedo [1857-1913] e Lima Barreto [1881-1922] a serviçais-robôs e zepelins.

É um parente amalucado de Júlio Verne [1828-1905] e da série de televisão dos anos 1960 “James West”.

INFLUÊNCIAS

O Brasil já tem uma tradição no terreno da ficção científica, e Enéias Tavares conhece bem os autores brasileiros da área.

“Além de A Máquina Voadora’ [1994], de Braulio Tavares, sempre sugiro o primeiro livro de ficção científica nacional, que é O Doutor Benignus’ [1875], de Augusto Emílio Zaluar”, diz Tavares sobre suas preferências.

Dos contemporâneos, adoro a obra de Fabio Fernandez, bem como os romances de Felipe Castilho [Ouro, Fogo & Megabytes’, de 2012] e Nikelen Witter [Territórios Invisíveis’, lançado no mesmo ano].

Mas o idiossincrático roteirista de quadrinhos inglês Alan Moore [“Watchmen” e “A Liga Extraordinária”] é uma das fontes de inspiração mais palpáveis em “Lição de Anatomia”.

Alguns amigos, quando leram pela primeira vez o meu romance, disseram que era A Liga Extraordinária’ com heróis brasileiros, o que foi o melhor elogio que eu poderia ter recebido“, conta o escritor.

A Lição de Anatomia” traz uma espécie de “samba do crioulo doido” do mundo cibernético. Mas a graça está toda aí.

Faz muito tempo que a literatura brasileira contemporânea, tão comportada, não se deixa levar pela imaginação, conversando com o próprio passado.

A LIÇÃO DE ANATOMIA DO TEMÍVEL DR. LOUISON
AUTOR Enéias Tavares
EDITORA Casa da Palavra
QUANTO R$ 34,90 [320 págs.]

CADÃO VOLPATO ESPECIAL PARA A FOLHA | 30/08/2014 | CADÃO VOLPATO é autor de “Pessoas que Passam pelos Sonhos” [Cosac Naify].