Google lança ferramenta de ensino para alunos e professores


Reunindo recursos do Google Drive, Hangout e outros serviços, Google Classroom torna ferramentas online mais interessantes para quem está na escola

Google Classroom: "o professor pode fazer perguntas e receber as respostas em tempo real"

Google Classroom: “o professor pode fazer perguntas e receber as respostas em tempo real”

São Paulo | O Google lança hoje no mundo inteiro o Google Classroom, novo produto da empresa voltado para alunos e professores.

Basicamente, o que a ferramenta faz é organizar recursos do Google Drive, Hangout e outros serviços do Google de forma a torná-los mais interessantes para quem está na escola.

Assim, o professor que tiver acesso ao Classroom vai poder, por exemplo, encaminhar um exercício por meio do Google Drive a seus alunos e receber as respostas de forma organizada em seu e-mail.

No Classroom, o professor pode fazer perguntas e receber as respostas em tempo real, como num chat“, afirmou, em entrevista a EXAME.com, Milton Burgese, diretor de Educação do Google no Brasil.

O Google Classroom surge dentro da Google Apps for Education, iniciativa da empresa que reúne soluções de colaboração em nuvem desenvolvidas para uso em ambiente escolar.

Para ter acesso ao Classroom, o aluno ou professor deve estar vinculado a uma instituição de ensino com conta nesse serviço do Google.
Segundo Burgese, escolas públicas ou sem fins lucrativos precisam se inscrever, mas não pagam para usar o serviço. “No caso de escolas particulares, é cobrada uma taxa relativa ao uso por professores e funcionários“, explica ele.

Já os professores particulares interessados em usar o Classroom precisam comprovar que têm vínculo com alguma instituição de ensino para poderem usar a ferramenta.

Cartilha

Até o fim do mês, o Google deve lançar a versão em português de uma cartilha que ensina os professores a explorar o potencial do Classroom.

Mais de 100 mil educadores de 47 países já se inscreveram para usar o produto. “Em visitas a escolas, tenho ouvido muitas perguntas em relação ao Classroom. Acho que os professores estavam esperando algo assim”, afirmou Burgese.

Por Tiago Lubambo | Publicado originalmente em Exame | 12/08/2014

Anúncios