eBooks e o mito do cauda longa 


Jeremy Greenfield

Jeremy Greenfield

Uma das promessas da distribuição digital é o fato de que tudo pode ser encontrado, nada sai de estoque e, portanto, pode crescer e tornar-se um negócio significativo para criadores e distribuidores. As barreiras drasticamente reduzidas prometeram que a proporção de receitas provenientes dos livros fora de estoque aumentaria, criando uma “cauda longa”. A disponibilidade de best-sellers permaneceria a mesma, mas a disponibilidade de todo o resto iria aumentar. A publicação de livros sempre foi um negócio baseado em hits. Arrasa-quarteirões eram a diferença entre um ano lucrativo e um deficitário. Não é claro por que a promessa da cauda longa não se concretizou ainda na indústria do livro, mas uma correlação interessante surgiu: como a concorrência no varejo de e-books diminuiu, cresceu as receitas em cauda longa. É muito cedo para tirar conclusões, mas uma coisa é certa: na indústria do livro, arrasa-quarteirões e best-sellers ainda são os elementos mais importantes do negócio.

Por Jeremy Greenfield | Forbes | 23/06/2014

Anúncios