eBooks conquistam mais espaço no mercado editorial brasileiro


Aos poucos os e-books estão conquistando cada vez mais adeptos no Brasil. O crescimento na venda dos livros digitais no mercado nacional supera outros países como os Estados Unidos, segundo projeções da empresa de consultoria alemã Rüdiger Wischenbart [RW].

Depois do primeiro ano com as principais empresas do segmento internacionais – Amazon, Apple, Google e Kobo – o faturamento total do segmento “trade” de e-books, isto é, livro não didático, religioso ou técnico, subiu de 1,17% para 2,5%. A confirmação desses números, no entanto, deve ser divulgada em agosto pela RW.

A estimativa é que a Amazon já ocupe 30% do mercado brasileiro, junto com a Apple, também com 30%. Google e a Saraiva dividem a segunda posição com 15%, em seguida vem a Kobo com 5% e outros menores também com 5%.

Os números não denotam que se lê mais no Brasil, no entanto. Uma explicação para este fenômeno é a alta nas vendas de tablets e smartphones no Brasil nos últimos meses. Em 2013, as vendas somaram 7,9 milhões de tablets e 35 milhões de smartphones, de acordo com a IDC.

Fatores como a entrada da Amazon no mercado de produtos físicos e a possível aprovação das modificações na Lei 10.753/2010, que inclui a proposta de isentar equipamentos cuja função primordial seja a leitura de textos em formato digital, devem favorecer o crescimento de e-books nos próximos anos.

Acieg | 24/04/14

Anúncios