eBooks infantis em debate


Saiba como foi o curso ‘Literatura infantil e uso responsável da tecnologia’ realizado pelo PublishNews em parceria com o Alt+Tab

A designer Andrea Bellotti saiu do Rio de Janeiro para participar do curso >Literatura Infantil e uso responsável da tecnologia, em São Paulo. Para ela, a experiência vai ajudar muito no seu mestrado sobre e-books infantis. “Pude ouvir os relatos e as impressões de profissionais atuantes em um mercado novo”, comentou. Andrea se juntou a cerca de 25 pessoas interessadas em debater e praticar a literatura infantil no meio digital. Denis Antônio foi colega de Andrea. Editor de literatura infanto-juvenil na Editora Escala, acredita que o curso estimulou o diálogo entre quem está produzindo esse tipo de literatura em plataformas digitais. Realizado pelo PublishNews em parceria com o núcleo de formação digital Alt+Tab e apoio da Livraria Martins Fontes, o curso aconteceu nos dias 31/3 e 01/4 e foi conduzido por Renata Nakano, da Edições de Janeiro, e por Camila Werner, da Brinque Books, ambas com larga experiência no mercado.

As duas conduziram as discussões e vários exercícios. Ao final de cada aula, a turma era dividida em grupos e trabalhava com livros físicos para propor formatos e soluções digitais. Renata Nakano lançou uma provocação: “nem sempre livros que se valem de aplicativos são interativos. Nem sempre há diálogo, apenas reação. Às vezes um livro impresso pode ser mais interativo do que o digital!”.

Juntaram-se a esse debate outras questões importantes: quando a obra deixa de ser livro e se transforma em brinquedo? Game também pode ser literatura? Falta repertório nos editores brasileiros para se produzir e-books de qualidade? A conclusão a que se chegou é que, embora ainda não haja respostas definitivas, quem não começar a experimentar o novo suporte pode ficar para trás. Para Camila Werner, somente o investimento no mercado digital vai possibilitar entender o que esses leitores desejam.

Por Vanessa Rodrigues | PublishNews | 08/04/2014

Anúncios