Amazon oferece créditos a seus consumidores para compensar cartel de eBooks


Por uma decisão da justiça dos Estados Unidos, a empresa terá de reembolsar os clientes por cada e-book que tenham comprado com preço fixado

Alguns consumidores de e-books da Amazon amanheceram nesta terça-feira, 25 de março, com uma excelente notícia na caixa de entrada: uma compensação financeira por cada e-book comprado durante anos em que a Amazon fixou os preços dos livros digitais.

Calma, a Amazon não é boazinha e se arrependeu de ter fixado para cima preços de e-books entre abril de 2010 e maio de 2012: ela foi considerada culpada pela justiça dos EUA e, por isso, foi obrigada a reembolsar seus consumidores para cada e-book comprado com o preço fixado.

Os valores variam dependendo do local e do tipo de publicação: bestsellers do New York Times rendem US$ 3,17, enquanto outro livros valem US$ 0,73 em créditos. Isso para quem não estiver no estado de Minnesota, nos EUA: lá, os bestsellers valem US$ 3,93 e os outros livros US$ 0,94. Os valores foram adicionados à conta da Amazon e serão usados na próxima compra de e-book ou livro impresso. Ao todo, a Amazon distribuirá US$ 166 milhões entre seus consumidores. E ela não será a única – Barnes and Noble, Kobo, Apple e Sony também precisam devolver uma pequena quantia a seus clientes.

Caso você tenha sido um dos que receberam um pequeno [ou talvez nem tão pequeno] crédito da Amazon, você terá um ano para decidir em qual livro vai gastá-lo – eles expiram no dia 31 de março de 2015, e, 90 dias antes, a Amazon o lembrará do valor que ainda não foi gasto.

Por Daniel Junqueira | Publicado originalmente em Gizmodo | 25/03/2014

Anúncios