Conheça a história de Jane Austen e baixe seus livros gratuitamente


A escritora inglesa Jane Austen escreveu romances que se tornaram famosos até os dias atuais. Conheça a sua trajetória e faça download gratuito de 8 livros seus

Você conhece Jane Austen? Ela é considerada por muitos como uma das maiores personalidades femininas na história da literatura. Nascida no interior da Inglaterra em uma cidade chamada Steventon, em 1775, Jane foi uma das primeiras escritoras a ser amplamente reconhecida ainda em vida.

Sua família pertencia à burguesia agrária da época, e seu pai era o reverendo George Austen que, além de atuar na agricultura, também era uma espécie de professor particular para várias crianças da cidade onde moravam. Por isso, Jane Austen obteve pouca instrução fora do âmbito familiar.

Jane possuía sete irmãos e entre eles somente uma mulher, Cassandra Austen. As duas eram muito amigas e muito do que se sabe sobre a vida da escritora foi descoberto em cartas que elas trocaram quando se tornaram adultas.

O contato com a literatura aconteceu ainda muito cedo. O pai de Jane era um ávido leitor de romances e, por isso, possuía muitas obras dentro de casa. O reverendo sempre instigou a leitura e a escrita em todos os seus filhos, mas ele percebeu desde cedo que uma de suas filhas tinha um grande dom.

Durante a adolescência, a jovem escreveu algumas obras para divertimento da família e sem grandes pretensões, como Love and Freinship [sic], de 1790. Em 1803, Jane conseguiu vender o seu primeiro romance pelo valor de 10 libras esterlinas, o Northanger Abbey. Porém, ele só foi publicado 14 anos depois.

Depois da morte do seu pai em 1805, a família Austen se deparou com problemas financeiros. Jane investiu na sua habilidade como escritora, desenvolveu romances como Sense and Sensibility e, em 1810, a obra foi aceita por um editor e publicada.

Sua primeira publicação foi anônima, somente com a assinatura “By a Lady”. O livro foi um sucesso, e isso a animou para tentar publicar outra obra. Em janeiro de 1813, Pride and Prejudice foi lançado e rapidamente foi aceito por toda a sociedade. Pouco tempo depois, sua identidade tornou-se conhecida por todos e ela passou a receber os créditos por seus livros.

Enquanto viva, ela também lançou Mansfield Park [1814], livro o qual todas as edições foram vendidas em menos de 6 meses, e Emma [1815], obra que Jane dedicou ao príncipe regente.

Em julho de 1817, Jane Austen faleceu devido a complicações na saúde, provavelmente Doença de Addison. Após a sua morte, foram publicadosPersuasion, obra completa, e Sandition, que estava incompleto.

Existem poucos retratos de Jane Austen. O único considerado autêntico é o que está presente em Memórias, de Austen-Leigh, feito por Cassandra. Além disso, existem dois museus em homenagem à autora: um localizado em Bath, cidade onde ela viveu boa parte da vida adulta, e outro em Chawton, lugar em que morreu.

Os livros de Jane Austen retratavam o cotidiano e os principais temas abordados eram o amor, o entretenimento e as dificuldades da vida. Além disso, a autora dava ênfase às descrições de seus personagens e dos lugares que eles frequentavam. A religião é algo presente em suas obras também, provavelmente por ser filha de um reverendo anglicano.

Jane Austen, mesmo se tornando famosa pelo seu trabalho, também enfrentou críticas de grandes escritores. Mark Twain, por exemplo, dizia que uma boa biblioteca é aquela que não possui nenhum exemplar da obra de Austen, mesmo que não exista nenhum outro livro. Charlotte Brontë também declarou abertamente que desprezava o trabalho de Jane.

Que tal tirar a sua própria conclusão? A seguir, baixe gratuitamente 8 obras de Jane Austen:

1.» Sense and Sensibility, de Jane Austen

2.» Pride and Prejudice, de Jane Austen

3.» Persuasion, de Jane Austen

4.» Northanger Abbey, de Jane Austen

5.» Emma, de Jane Austen

6.» Lady Susan, de Jane Austen

7.» Love and Freindship [sic], de Jane Austen

8.» Mansfield Park, de Jane Austen

Universia | 25/03/2014

Kobo Aura e Kobo Arc 7HD nomeados para o Red Dot: vencedores do Product Design Award 2014


Um painel de 40 especialistas em design selecionou o Kobo Aura e o Kobo Arc 7HD como Red Dot: Premiados no Product Design 2014, em um grupo com cerca de 5.000 inscrições de 53 países. Esta vitória aumenta a lista crescente de realizações de design da Kobo, que incluem o Red Dot: Product Design Award 2013 para o Kobo Arc, Design Award alemão para o Kobo Aura HD e Good Design Award para o Kobo Glo.

Kobo Publishers’ Digest

Amazon oferece créditos a seus consumidores para compensar cartel de eBooks


Por uma decisão da justiça dos Estados Unidos, a empresa terá de reembolsar os clientes por cada e-book que tenham comprado com preço fixado

Alguns consumidores de e-books da Amazon amanheceram nesta terça-feira, 25 de março, com uma excelente notícia na caixa de entrada: uma compensação financeira por cada e-book comprado durante anos em que a Amazon fixou os preços dos livros digitais.

Calma, a Amazon não é boazinha e se arrependeu de ter fixado para cima preços de e-books entre abril de 2010 e maio de 2012: ela foi considerada culpada pela justiça dos EUA e, por isso, foi obrigada a reembolsar seus consumidores para cada e-book comprado com o preço fixado.

Os valores variam dependendo do local e do tipo de publicação: bestsellers do New York Times rendem US$ 3,17, enquanto outro livros valem US$ 0,73 em créditos. Isso para quem não estiver no estado de Minnesota, nos EUA: lá, os bestsellers valem US$ 3,93 e os outros livros US$ 0,94. Os valores foram adicionados à conta da Amazon e serão usados na próxima compra de e-book ou livro impresso. Ao todo, a Amazon distribuirá US$ 166 milhões entre seus consumidores. E ela não será a única – Barnes and Noble, Kobo, Apple e Sony também precisam devolver uma pequena quantia a seus clientes.

Caso você tenha sido um dos que receberam um pequeno [ou talvez nem tão pequeno] crédito da Amazon, você terá um ano para decidir em qual livro vai gastá-lo – eles expiram no dia 31 de março de 2015, e, 90 dias antes, a Amazon o lembrará do valor que ainda não foi gasto.

Por Daniel Junqueira | Publicado originalmente em Gizmodo | 25/03/2014

“A Revolução dos eBooks”, por Ednei Procópio


POR EDNEI PROCÓPIO

Hoje, terça-feira, dia 25, às 18h30, estarei lançando [simultaneamente em versão impressa e digital] o meu terceiro livro sobre os eBooks. Será na Livraria Martins Fontes da Avenida Paulista, aqui em São Paulo, e tenho o prazer convidar os colegas que acompanham este blog.

Na ocasião, ministrarei uma palestra sobre assunto onde tratarei dos dois eixos centrais que considero importante para a boa manutenção do mercado editorial brasileiro. O primeiro seria o eixo econômico, aquele que viabiliza e sustenta toda a cadeira produtiva do livro. E o segunda eixo é o político que, inevitavelmente, precede o primeiro quando se trata de políticas públicas voltadas ao livro em especial as bibliotecas públicas digitais, os livros digitais didáticos, etc…

Nos meus primeiros dois livros, eu já havia tratado e, de certo modo, refletido toda uma revolução tecnológica prevista por inúmeros especialistas como Michael Hart, Don Tapscott, Chris Anderson e Tim Berners-Lee, líderes que aprecio e cujas ideias projetaram as mídias digitais ao mainstream.

Costumo sempre reafirmar em minhas palestras, cursos e entrevistas que esta revolução tecnológica não só, finalmente, alcançou o mundo dos livros como também transformou profundamente a realidade de seu mercado criando novos horizontes, possibilidades e, claro, desafios. E a questão central agora são exatamente os desafios. O mercado editorial, mesmo com sua consagrada manufatura de produção cultural, alcançou níveis alarmantes de riscos em seu histórico modelo de negócios.

Modelo de negócios para os livros digitais é, portanto, neste meu novo livro, a preocupação central. Nele, faço uma análise profunda do futuro mercantil dos livros frente a uma iminente revolução causada pelo advento da Internet. Em “A Revolução dos eBooks” busco desmistificar os livros digitais usando conceitos básicos que ajudarão profissionais a desbravarem o que considero como um cenário único de oportunidades.

Nos vemos lá! Eddie

Iba dá acesso ilimitado às revistas digitais


O serviço conta com títulos da Abril e de outras editoras

Como o PublishNews adiantou em fevereiro, o iba, plataforma de venda, distribuição e consumo de conteúdo digital, colocou no ar o seu ‘Netflix’ de revistas. A nova ferramenta – apelidada de iba clube –permite que usuários acessem todas as edições digitais de quatro revistas mensais que escolher, podendo complementar o plano com publicações quinzenais e semanais por um valor adicional. O primeiro mês é gratuito para todos os usuários. O serviço conta com títulos da Abril e de outras editoras, como Editora Waves, Editora Alto Astral, Editora Rickdan e Editora Europa. A ideia é expandir o portfólio, ofertando revistas de outras editoras e planos para e-books.

PublishNews | 25/03/2014

Organização do Congresso do Livro Digital selecionará cases


Congresso Internacional CBL do Livro DigitalEstá marcado para os dias 21 e 22 de agosto a 5ª edição do Congresso Internacional CBL do Livro Digital e a entidade está sugerindo que associados ou interessados na área sugiram cases de sucesso, dentro dos seguintes temas: bibliotecas, selfpublishing, proteção contra a pirataria, o novo papel dos revisores e outros profissionais da cadeia produtiva do livro, social commerce e e-books para o público infantil, além de ações de marketing e outras questões práticas. Os cases serão selecionados pela Comissão do Congresso do Livro Digital. As sugestões devem ser enviadas para o e-mail digital@cbl.org.br. Neste ano, os cases selecionados serão apresentados durante a 23ª Bienal Internacional do Livro.

PublishNews | 25/03/2014