‘Biblioteca’ digital de um título só


De olho em escolas, Barsa lança versão digital

Demorou, mas a Barsa se digitalizou. Às vésperas de completar 50 anos, a primeira enciclopédia brasileira passa a oferecer a escolas serviço por assinatura de sua versão digital apelidada de Barsa na Rede. Apesar da concorrência com a internet, em especial com a Wikipedia, a Barsa mantém o seu modelo de negócios e, de acordo com informações do Grupo Planeta [detentor da marca] foram comercializadas mais de mil enciclopédias no ano passado, ao preço se R$ 2.450 [nos áureos tempos, de acordo com a empresa, chegaram a vender 100 mil]. Para Maurício Gregorio, presidente corporativo do Grupo Planeta Brasil, o grande diferencial da Barsa é a confiabilidade dos seus mais de 160 mil verbetes. “Para escrever o verbete ‘arquitetura’, por exemplo, a Barsa convidou ninguém menos que Oscar Niemeyer, que atualizou o verbete até pouco tempo antes da sua morte”, comentou o presidente.

A atualização – que na versão impressa é anual – é um dos grandes trunfos da Barsa na Rede. Gregorio conta que hoje a versão digital da enciclopédia ganha atualizações semanais, mas que a ideia é transformar isso em diária. Na nova versão, além da atualização mais frequente, a Barsa promete ser um suporte ao professor em sala de aula que poderá utilizar filmes, áudios, fotos e mapas em aulas mais interativas e dinâmicas. Por exemplo, uma aula sobre holocausto, o professor poderá exibir um vídeo, colocar um áudio de Hitler [com transcrição em português] e ilustrar com dezenas de fotos.

A assinatura, que já está em comercialização, é vendida ao preço de R$ 30 ao ano por aluno. “Isso representa R$ 2,50 a mais na mensalidade de escolas particulares. É uma opção viável para escolas e pais”, defende Maurício. A Barsa na Rede traz ainda mais de 700 vídeos, além de áudios, fotos, mapas, visitas virtuais em museus etc… Duas escolas paulistanas já aderiram ao serviço por assinatura: os colégios São Luiz e o Pueri Domus.

Maurício reconhece que o fôlego do modelo impresso é cada vez mais curto. “Não sei dizer quanto tempo mais vai durar a venda de enciclopédias impressas. Em outros países já não existe mais, mas o Brasil, com as suas dimensões e características, ainda tem fôlego para mais alguns anos”, analisa.

Lançada em 1964 [a preparação começou em 58], a Barsa teve como seus primeiros redatores chefes Antonio Callado e Antonio Houaiss. Desde então, busca especialistas para escrever seus verbetes [além de Niemeyer, Jorge Amado e Gilberto Freyre configuram na lista de redatores da Barsa]. Atualmente, a Barsa conta com 750 colaboradores para atualizar a enciclopédia online e continuar garantindo a credibilidade e a veracidade do seu conteúdo.

Por Leonardo Neto | PublishNews | 24/02/2014

Jason Merkoski é presença confirmada no 5º Congresso Internacional CBL do Livro Digital


Jason Merkoski

Jason Merkoski

O 5º Congresso Internacional CBL do Livro Digital anuncia seu primeiro palestrante internacional: Jason Merkoski, autor do livro Burning the page. Jason Merkoski abordará, na palestra de abertura, a revolução dos livros digitais e o futuro da leitura. Merkoski foi o primeiro evangelista de tecnologia da Amazon. Ajudou a inventar a tecnologia usada em ebooks de hoje e foi membro da equipe de lançamento dos primeiros dispositivos Kindle.

Com o tema Conteúdo em Convergência, o evento acontecerá dias 21 e 22 de agosto, no Auditório Elis Regina, localizado na Av. Olavo Fontoura, 1209, ao lado do Pavilhão do Parque Anhembi, em São Paulo.