Random House compra comunidade teen online Figment


FigmentA Random House Children’s Books [RHCB] adquiriu a Figment, uma comunidade online para adolescentes, fundada em 2010 e que atraiu mais de 300 mil usuários. O site provou ser uma plataforma eficiente de marketing e promoção de títulos Jovens Adultos. O Figment reúne principalmente jovens entre 13 e 18 anos, conta com mais de 20 mil grupos e fóruns de discussão e também trabalha com editoras no lançamento de livros de Jovens Adultos.

Por Calvin Reid | Publishers Weekly | 29/10/2013

Amazon e Goodreads: o casamento imperfeito


Usuários rejeitam novas políticas da rede social

GoodreadsEm Frankfurt, na conferência Publishers Launch, o CEO da Goodreads Otis Chandler não escondeu a empolgação ao mencionar que os Kindles Paperwhite da Amazon incluem agora o aplicativo da rede social. De fato, esse equilíbiro entre o social e a leitura privada é uma das principais preocupações dos produtores de leitores digitais, e tudo indicava que os 20 milhões de leitores da Goodreads se beneficiariam de sua compra pela Amazon [e vice-versa, claro], em maio deste ano. Mas parece que o casamento é um pouco problemático. Após mudanças na política de moderação dos comentários da empresa [que os usuários do site atribuíram à Amazon], a rede social está “presenciando” uma série de protesto de leitores. A Goodreads não permite mais que resenhistas façam comentários sobre o comportamento e personalidade do autor, e chegou até a remover comentários, o que enfureceu ainda mais os usuários. Os “protestantes” começaram então a “hydrar”, ou seja, replicar resenhas deletadas [curiosamente, assim como o termo “meme”, essa ação própria da internet também tem origem grega, vem do monstro Hydra, que ganhava mais cabeças quando tinha uma cortada]. A jornalista Laura Miller aponta, em seu artigo sobre esse atrito, uma possível causa do perrengue que a Goodreads está passando: de consumidores, os leitores da rede social viraram agora produto.

Por Iona Teixeira Stevens | PublishNews | 29/10/2013

Aplicativo “Monstros vs Robôs” incentiva leitura no meio digital para crianças


Na semana de abertura da festa da literatura sob os jacarandás da Praça da Alfândega, em Porto Alegre, um aplicativo [app] de incentivo à leitura no meio digital para crianças, de três a seis anos de idade, é a ferramenta capaz de aproximar o público infantil do livro. Não o real e físico, mas o virtual e interativo.

O designer gráfico gaúcho Leonardo Amora Leite, 37 anos, antecipa-se à 59ª edição da Feira do Livro de Porto Alegre, que começa na sexta-feira, para divulgar em primeira mão o livro digital Monstros vs Robôs. Uma obra para ser lida em várias plataformas, do tablet ao smartphone. A edição impressa está a caminho.

História e joguinhos

Além de ser uma história que mexe com o imaginário dos pequenos, o app traz jogos para eles brincarem. Leonardo, que é designer de jogos, fez todo o processo, da programação ao texto, da arte à trilha musical.

O livro digital é escrito e narrado em português e inglês. O download custa R$ 4,35 [US$ 1,99], mas uma versão reduzida da obra e dos jogos pode ser baixada gratuitamente.

– Minha intenção era desenvolver um aplicativo capaz de estimular o gosto pela leitura nas crianças. Por isso, optei por uma narrativa simples com imagens coloridas. Já o quebra-cabeça estimula a percepção visual e lógica, além de exercitar a motricidade – afirma.

Boa recepção no Exterior

O livro digital de Leonardo foi analisado pelo Story Times, um dos mais importantes sites de críticas de aplicativos para crianças do mercado norte-americano e internacional. O site recomenda o livro. Você pode ler a crítica, em inglês, neste link: http://digital-storytime.com/review.php?id=827

A empresa do designer gráfico gaúcho também conquistou o selo de qualidade Knows, dado por uma entidade chamada Moms with apps [mães com aplicativos]. Ele garante que não há nada que possa prejudicar os pequenos. O Amora Leite já é até parceiro. Veja no link: http://momswithapps.herokuapp.com/members

Mais sobre a obra

O tema

– Nino, um garoto que usa a imaginação para vencer o medo de dormir no escuro, é o personagem central de Monstros vs Robôs.

Forma e apresentação

– O aplicativo contém um livro de dez páginas, com textos curtos, mais de 20 cenas interativas e narração em português e inglês.

– A cada página a criança descobre sons, músicas e animações divertidas.

Descubra os personagens

– Entre as brincadeiras escondidas na história estão 30 quebra-cabeças que, ao serem montados, revelam os nomes dos personagens na trama.

O autor

– Leonardo trabalhou para a Southlogic, empresa desenvolvedora de games com sede em Porto Alegre, posteriormente vendida à francesa Ubisoft, que chegou a ser a quarta maior publicadora de jogos do mundo.

– Ele criava jogos eletrônicos para várias plataformas como NDS, PSP, PS2, 360 e outras.

– Em 2011, criou a sua própria empresa e o site http://www.amoraleite.com

Outros trabalhos

– O processo de elaboração do livro digital Monstros vs Robôs durou um ano. Além desse primeiro livro para tablets, ele já ilustrou outros dois livros infantis e jogos exclusivos para crianças.

Assista ao trailer

www.youtube.com/watch?v=9UJJTzdn_DY

Onde baixar

Versão paga – R$ 4,35 [US$ 1,99]

Android: https://play.google.com/store/apps

Apple: https://itunes.apple.com/us/app

Versão reduzida gratuita

Android | http://bit.ly/HbiSGU

Apple | http://bit.ly/16fyqTo

Diário Gaúcho | 29/10/13