eBooks sobre eBooks


O’reilly tem títulos sobre Epub 3 e HTML 5 para editores

O mercado editorial às vezes parece dividido em dois: os que falam em siglas eletrônicas, como Epub, HTML etc. e os que imaginam que essas siglas escondem mundos complicadíssimos. É sempre bom então encontrar manuais ou guias bem elaborados sobre o assunto. A O’Reilly, editora conhecida no mundo da informática pelos livros de computação que estampam representantes da fauna nas capas, tem dois e-books sobre duas linguagens de programação fundamentais para a produção editorial digital. What is Epub 3 e HTML 5 for publishers. Ambos podem ser adquiridos gratuitamente no site da editora, após cadastro. Complementando a “e-blioteca” sobre e-books, vale e pena também conferir o estudo The Global eBook Market: Current Conditions & Future Projections, organizado pelo consultor Rüdiger Wischenbart sobre o mercado digital e suas tendências em 2013. Os títulos estão disponíveis em inglês.

Iona Teixeira Stevens | PublishNews | 14/08/2013

Para pesquisador de Harvard, ‘digital não ameaça bibliotecas’


Ainda moleque, o americano Matthew Battles estava jogando beisebol quando acertou a vidraça da biblioteca da cidadezinha onde vivia. Ao buscar a bola, o garoto de 12 anos encontrou filas e filas de prateleiras cheias de livros.

Seria possível dizer que Battles e as bibliotecas “viveram felizes para sempre”, caso soubéssemos se bibliotecas como a de Petersburg viverão felizes para sempre.

É justamente sobre o futuro delas, as bibliotecas, especialidade de Battles, que o pesquisador fala hoje, no Rio.

Diretor do laboratório de cultura digital da Universidade Harvard [EUA], o metaLAB, Battles faz a palestra de abertura do seminário “Múltiplos e Contemporâneos: A Literatura.com”, do Centro Cultural Banco do Brasil.

O ciclo, com curadoria das pesquisadoras Valéria Lamego e Cristiane Costa, terá outros quatro debates, até dezembro, com escritores, críticos literários e editores. A ideia é debater os desafios da literatura contemporânea diante das novas tecnologias.

Battles diz que não são poucos. “As novas mídias estão alterando completamente a maneira como escrevemos e experimentamos a leitura“, diz ele à Folha.

Um dos maiores efeitos disso é o caráter imediato que a escrita passou a ter. Pode vir a público, a um grande público, logo após ser concluída, sem passar por longos processos de edição.

Battles diz não ter dúvida nenhuma de que nunca se escreveu e leu tanto quanto nos tempos atuais. E o que será feito de tanta escrita?

A efemeridade e o dinamismo da internet são enormes desafios para a preservação. Como preservaremos fenômenos que aparecem subitamente, florescem e morrem logo depois?“, pergunta.

Autor de um livro chamado “A Conturbada História das Bibliotecas” [ed. Planeta, 2004], ele começou sua carreira trabalhando numa das bibliotecas de mais prestígio do mundo, a Widener, de Harvard, onde guardam as obras raras da instituição.

Lá aprendi que os meios de escrever e publicar mudaram de forma radical na história, mas as bibliotecas continuam. O digital não será uma ameaça“, diz Battles, que é consultor da Digital Public Library of America [www.dp.la], a maior biblioteca digital do mundo [onde bolas de beisebol não entram].

PALESTRA DE MATTHEW BATTLES
QUANDO quarta-feira [14], às 18h30
ONDE Centro Cultural Banco do Brasil [r. Primeiro de Março, 66, centro, Rio de Janeiro, tel. 0/xx/21/3808-2020]
QUANTO grátis

POR CASSIANO ELEK MACHADO | Publicado e clipado originalmente em Folha Online | 14/08/2013, às 03h43