Livrus e Simplíssimo são cases no Congresso do Livro Digital


Startups apresentam seus projetos durante
4º Congresso Internacional CBL do Livro Digital

O empreendedorismo no emergente mercado do livro digital parece ir de vento em popa — novos modelos de negócios na área surgem a cada oportunidade. Mas como fazer para transformar ideias em negócios? O que é determinante para a sobrevivência de um business focado em livros digitais, em seus primeiros meses de vida? Que questões e desafios surgem para o novo empreendedor, e como encará-los?

Com o tema “O empreendedorismo no mercado do livro digital – Transformando Ideia em Negócios“, dois empreendimentos voltados para o livro digital são analisados pelos seus fundadores. O case será apresentado durante o 4º Congresso Internacional CBL do Livro Digital com o testemunho dos fundadores de duas startups, Livrus Negócios Editoriais e Simplíssimo Livros, em um relato das suas vivências e experiências com a abertura e a manutenção dos seus negócios.

As apresentações dos cases serão breves [um terço do tempo de apresentação, para cada um dos dois ministrantes]. O terço final do tempo restante será reservado para participação e perguntas do público presente. Serão enfatizados os desafios que precisam ser superados no início do negócio, a postura que o mercado espera dos novos empreendedores e os problemas práticos que surgem pelo caminho [e algumas soluções adotadas].

Anote em sua Agenda

Case: O empreendedorismo no mercado do livro digital
14 de junho, sexta-feira, das 10 às 11 horas
4º Congresso Internacional CBL do Livro Digital
Centro Fecomercio de Eventos | Auditório B | 1º. Andar

Ednei Procópio

Ednei Procópio

Ministrantes

Ednei Procópio | Especialista em livros digitais, trabalha com o assunto desde 1998. Já escreveu livros sobre o tema e mantém o blog eBook Reader. É Diretor Executivo da Livrus Negócios Editoriais, empresa criada com o objetivo levar autores e obras para a Era Digital.

Eduardo Melo

Eduardo Melo

Eduardo Melo | Fundador e Diretor Executivo da Simplíssimo Livros, empresa especializada em produção e publicação de eBooks. Eduardo, que trabalha com eBooks desde 2007, também é editor-chefe do site de notícias Revolução eBook. Sua formação acadêmica inclui graduação em História e mestrado em Letras.

5 pensamentos sobre “Livrus e Simplíssimo são cases no Congresso do Livro Digital

  1. Pingback: O empreendedorismo no mercado do livro digital | Revolucaoebook.com.br - notícias e opiniões sobre ebooks, livrarias e o mercado do ebook - Revolucaoebook.com.br

  2. Vamos lembrar que “marketing digital” só tem o sobrenome “digital”, mas continua sendo marketing. Ler livros de marketing faz parte do conhecimento de marketing digital. O livro de Al Ries e Jack Trout é um marco na história do marketing.Esse livro mostra a famosa lei “é preferível ser o primeiro a ser o melhor” ou ainda “se não for o primeiro em uma categoria, crie uma nova categoria em que você seja o primeiro” e por aí vai.Já que o marketing é uma batalha de percepções, talvez você se pergunte: “O que fazer para melhorar a percepção de meu produto?Essa linha de pensamento é falha. Presume que a questão básica no marketing é “melhorar” a percepção. É uma tarefa difícil porque é quase impossível mudar uma decisão depois de tomada (Veja o Capítulo 3, “A Lei da Mente”).A questão básica no marketing é criar uma categoria em que se possa ser o primeiro. É a Lei da Liderança: É melhor ser o primeiro do que ser o melhor. É muito mais fácil penetrar na mente primeiro do que tentar convencer alguém a mudar para um produto melhor do que aquele que penetrou primeiro na mente.Marketing não é uma batalha de produtos, mas uma batalha de percepções.Todas as 22 Leis propostas têm total aderência com a internet e a economia digital. É um livro que certamente irá acrescentar-lhe muito sobre marketing digital sem falar uma palavra de internet.

  3. Um livro digital (livro eletrónico/eletrônico ou o anglicismo e-book) é um livro em formato digital que pode ser lido em equipamentos eletrônicos tais como computadores , PDAs , Leitor de livros digitais ou até mesmo celulares que suportem esse recurso.

  4. Recentemente, a Amazon anunciou o lançamento de mais um novo serviço: o aluguel de livros didáticos e das primeiras incursões em jogos para redes sociais da empresa.

  5. O que movimenta quase um terço do mercado editorial brasileiro, estimado pela Fipe em R$ 4,8 bilhões, e sustenta muitas editoras, são as compras governamentais. O governo ainda não compra e-book, mas começa a adquirir obras em CD-Rom. Quando o livro digital estiver na mira dos ministérios e secretarias, aí sim todo o investimento poderá ser compensado. A Amazon sabe disso e, antes de inaugurar sua loja, já conversava com o Ministério da Educação.

Os comentários estão desativados.