O case Bookset


A era digital revolucionou diversos setores da vida em sociedade, sendo difícil apontar um segmento que não seja influenciado pelas novas tecnologias de comunicação e informação.

Foi pensando nessa transformação que as empresas BooKPartners, conceituada no segmento de livros, e a Futurelab, responsável por introduzir novas tecnologias no mercado brasileiro, criaram uma ferramenta digital inovadora que facilita o acesso ao conhecimento.

Trata-se da Bookset. Uma plataforma online de armazenamento e disponibilização de livros em uma estante virtual, que pode ser acessada de qualquer dispositivo móvel ou computador conectado à internet. Desenvolvida em HTML5, uma linguagem tecnológica de vanguarda que abre novas opções de aplicação de conteúdo na web, a Bookset é compatível com todos os browsers de navegação disponíveis no mercado.

A plataforma Bookset facilita a atuação de editoras, universidades e estudantes, oferecendo recursos de gerenciamento e acesso otimizado ao acervo digital de Bibliotecas virtuais em instituições de ensino e órgãos públicos.

Conheça a seguir os benefícios dessa plataforma pioneira, que vai ampliar a conexão dos leitores com o universo dos livros digitais em http://www.bookset.com.br.

Segurança e praticidade na aquisição de títulos

Agilidade
Possibilita a venda rápida de títulos, e os pedidos são supridos de forma dinâmica e online.

Gestão online
Todo o processo, da venda à distribuição e leitura é realizado online, e as editoras têm total controle sobre os títulos comercializados.

Conteúdo
Os livros digitais possibilitam o uso de recursos de áudio e vídeo tornando a leitura uma experiência interativa.

Segurança
Sistema anti-cópia e direitos autorais garantidos, o conteúdo é lido via navegador, impossibilitando o download e a distribuição ilegal.

Facilidade para editoras, estudantes e universidades

Acervo digital
Parceria com as principais editoras do país, incluindo as universitárias, para oferecer o melhor conteúdo nas diversas áreas do conhecimento.

Conteúdo dinâmico
A BookSet permite às universidades inserirem no acervo teses, dissertações e trabalhos de conclusão de curso, contemplando toda sua produção acadêmica.

Interface prática e moderna
Tanto editoras, como bibliotecas e estudantes, têm acesso a sua estante virtual de forma interativa, por meio de uma interface gráfica agradável e intuitiva.

Gerenciamento da Biblioteca Virtual ao alcance de um clique

Comodidade
Redução do tempo demandado para o preparo dos livros desde o recebimento até a disponibilização.

Reposição por demanda
Sistema orgânico que otimiza a gestão da biblioteca, sugerindo a reposição dos títulos.

Disponibilidade
Controle dos empréstimos com acompanhamento simultâneo ao número de títulos disponíveis.

Pluralidade
Pode ser acessada tanto de um computador convencional como por tablets ou smartphones.

Praticidade
Diminuição de volumes físicos permitindo uma reorganização dos ambientes de leitura e estudo.

[Quase] Tudo pronto


Amazon Kindle

Amazon Kindle

A DLD, a distribuidora de livros digitais que reúne Rocco, Sextante, Objetiva e Record, finalmente se acertou com a Amazon. Há mais de um ano a varejista americana negocia, negocia, mas nada concluía. Agora, se acertaram. Só falta assinar.

Tudo caminha mesmo para que a Amazon faça sua estreia no Brasil entre o final deste mês e a primeira quinzena de dezembro. Inicialmente, venderá apenas e-books e o Kindle.

Por Lauro Jardim | Coluna Radar | Veja | terça-feira, 13 de novembro de 2012

Venda de livros digitais é tema de curso


Aulas ocorrerão nos dias 29 e 30/11 na Universidade do Livro

A Universidade do Livro [Praça da Sé, 108, Centro, São Paulo] promove nos dias 29 e 30/11 o curso “O papel das editoras nas vendas sem papel – Os novos desafios da comercialização de livros eletrônicos”. As aulas ocorrerão das 18h às 21h30 e serão ministradas pelo publicitário e diretor da área de negócios internacionais da EDICEI [Editora no Conselho Espírita Internacional], Fernando Quaglia. No programa serão abordados temas como o marketing tradicional vs. o marketing digital; estratégias diferenciadas para comercializar e-books; as características do mercado de e-books no Brasil; a comercialização em plataformas internacionais, entre outros. O objetivo é apresentar os canais comerciais mais adequados para vender livros eletrônicos. Para mais informações e inscrições, acesse.

PublishNews | 13/11/2012

Hachette tem mês excepcional


A publicação de The Casual Vacancy de J.K. Rowling e o crescimento das vendas de e-books ajudaram a Hachette UK a registrar um mês excepcional em setembro, liderando as vendas do mercado editorial do terceiro trimestre. […] O CEO da Hachette UK Tim Hutchinson disse que as vendas de livros impressos e e-books de The Casual Vacancy “continuam excedendo as expectativas”. […] E-books representaram 20% do total de vendas do varejo de livro adultos no Reino Unido, e 20% nos Estados Unidos, o que representa 6,4% das vendas líquidas da divisão editorial do grupo Lagardere. […] Em outra nota, a HUK declarou que o mês de setembro registrou o maior nível de vendas digitais da história, um aumento de 125% em relação a setembro 2011, com os top 20 títulos de e-books refletindo amplamente as vendas dos bestsellers impressos.

Por Charlotte Williams | The Bookseller | 13/11/2012

Taxando a Amazon: uma investigação


Amazon.co.uk está sendo investigada pelas autoridades fiscais do Reino Unido. A investigação cobre os anos de 2004 a 2010, que inclui o período em que a propriedade da companhia britânica foi transferida para uma empresa em Luxemburgo. A Amazon EU foi estabelecida em 2004, visando a redução das taxas de imposto do grupo por meios legais. O negócio no Reino Unido foi transferido para Luxemburgo em 2006 em uma complexa transação que envolveu quatro acionistas proprietários. […] Os registros da Amazon EU mostram que ela possuía 134 empregados em 2010, gerando um volume de negócios de US$ 9,5 bilhões. Naquele mesmo ano, a Amazon.co.uk empregou 2.265 pessoas, mas registrou um volume de negócios de apenas US$ 233 milhões […] A investigação pode ser uma rotina de auditoria fiscal para a Amazon.co.uk. Não há indicação de que a Amazon tenha infringido nenhuma lei em sua busca por menos impostos. Porém, pode ser que envolva questões de transferência de preço.

Por Ian Griffiths | The Bookseller | 13/11/2012

Bibliotecas investem em tecnologia para não perder público


O ambiente calmo das bibliotecas favorece a concentração e é considerado ideal para o bom desempenho nos estudos. Com receio de perder frequentadores, algumas estão investindo em modernidade.

Um exemplo é a biblioteca do Centro Cultural Banco do Brasil [CCBB] do Rio de Janeiro, que investiu em equipamentos. Wi-fi e cadeiras ergonômicas estão no pacote.

Já outras se especializaram em determinadas áreas, como a biblioteca do Instituto Nacional de Matemática Pura e Aplicada [Impa]. Ela tem o maior acervo de livros e publicações de matemática da América Latina, disponíveis também na forma digital.

Apesar disso, a diretora da Fundação Biblioteca Nacional, Antonieta Cunha, garante que os livros impressos não perderam força. “Uma biblioteca tem o aprofundamento do conhecimento que, com certeza, não está na internet. A internet dá dicas para você chegar a esse conhecimento mais profundo”, ressalta ela.

Para a professora da UFF Andréa Pavão, os investimentos em modernidade ainda não refletem a condição atual do Brasil e devem demorar a se firmar no futuro. “No Brasil, a leitura é um privilégio de classe. 60% das escolas públicas do país não têm bibliotecas. Então, a leitura digital ainda não está muito democratizada. O acesso a computador no Brasil ainda é muito elitista”, aponta a professora.

Globo News | 13/11/2012