Apple compra empresa especializada em HTML5


Aquisição sugere que a fabricante está interessada em ampliar a exibição de conteúdos em diversos dispositivos

A Apple comprou a Particle, uma consultoria especializada em aplicações web e projetos de marketing que usam HTML5. A compra foi finalizada em setembro deste ano por um valor não divulgado e começa a dar pistas sobre os planos da empresa da maçã.

Segundo o site GigaOm, a nova aquisição sugere que a dona do iPad e iPhone está buscando novas maneiras – dentro da linguagem HTML5 – de exibir conteúdos em uma variedade de dispositivos, uma vez que a Particle é especialista no assunto.

No site da consultoria, eles afirmam que têm trabalhado para levar aplicações leves, baseadas em HTML5, para set top boxes, consoles de videogames e até sistemas operacionais como Chrome OS e Android.

É importante lembrar que mesmo uma pequena aquisição para a Apple pode significar um grande lançamento. A compra da SoundJam, por exemplo, deu origem ao iTunes, a Chomp virou a App Store, a Fingerworks ajudou a criar o iOS, e o Siri se tornou o sistema de inteligência artificial do iPhone.

Será que vem uma nova Apple TV por aí?

Sobre a Particle

A consultoria foi criada em 2008 e um de seus financiadores foi o cantor e ator Justin Timberlake. Além de interpretar Sean Parker no filme “A Rede Social”, Timberlake se envolveu de verdade em investimentos no setor de tecnologia, incluindo uma participação na Specific Media, empresa que comprou a rede social MySpace em junho do ano passado. Entre os clientes da Particle estão Google, Sony e Motorola, além de Cisco, Barnes & Noble e Zynga.

Publicado originalmente e clipado à partir de OLHAR DIGITAL | 17 de Outubro de 2012, às 18:30h

Amazon já tem endereço e CEO para atuar no Brasil


Expectativa é que a venda de livros digitais comece agora em novembro; Alexandre Szapiro será o líder a operação

O presidente-executivo da Amazon, Jeff Bezos: no Brasil pela primeira vez, a empresa vai iniciar a operação pelo mercado de eBooks

O presidente-executivo da Amazon, Jeff Bezos: no Brasil pela primeira vez, a empresa vai iniciar a operação pelo mercado de eBooks

São Paulo | A Amazon, maior empresa americana de comércio eletrônico, está às vésperas de iniciar sua operação no Brasil.

Segundo reportagem de Veja.com, a filial nacional da empresa já está instalada em um escritório dentro do complexo empresarial Rochaverá, localizado no bairro da Vila Almeida, ao lado do shopping Morumbi, na zona sul de São Paulo.

Para liderar a operação nacional, a Amazon terá o executivo Alexandre Szapiro, que deixou a Apple Brasil em agosto passado. A expectativa é que a venda de e-books comece no mês de novembro.

Em documento enviado à Junta Comercial, a empresa informou também que o empresário Mauro Widman deixou o comando da empresa para se dedicar apenas aos negócios relacionados ao Kindle. Widman chegou à Amazon em janeiro deste ano, após comandar a criação da área de e-books da Livraria Cultura.

O cadastro da Amazon na Junta também confirma que a empresa executará “vendas e varejo geral, no país e/ou estrangeiro, de quaisquer produtos, incluindo, entre outros, produtos eletrônicos portáteis físicos ou digitais que processem dados e tablets, inclusive aqueles que permitam a leitura de livros digitais”.

No Brasil, pela primeira vez, a Amazon vai iniciar a operação junto ao consumidor final pelo mercado de e-books. Antes, a empresa já oferecia o serviço de computação em nuvem para empresas.

Por Vinicius Aguiari | INFO | 17/10/2012, às 15:16

FNDE busca parcerias para disponibilização de obras digitais


ASCOM-FNDE [Brasília] | Empresas interessadas em estruturar e operar serviço virtual, público e gratuito, para disponibilização, por meio da internet, de conteúdos digitais do Ministério da Educação [MEC] podem enviar propostas para firmar parceria com o Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação [FNDE]. As propostas podem ser entregues de hoje até o dia 15 de outubro de 2013 à Coordenação Geral dos Programas do Livro [CGPLI/FNDE, Setor Bancário Sul, Quadra 2, Bloco F, Brasília, DF, CEP 70.070-929].

O objetivo é constituir acordos de cooperação, sem ônus para o FNDE, para distribuição remota de obras digitais voltadas para professores, alunos e outros agentes da rede pública de ensino – universo estimado em até 50 milhões de usuários. Devem ser disponibilizados títulos do Programa Nacional do Livro Didático [PNLD], do Programa Nacional Biblioteca da Escola [PNBE] e de outras iniciativas do MEC. Cada lote de obras digitais será disponibilizada para públicos específicos, com regras para controle de acesso e garantia aos direitos autorais e à propriedade intelectual dos acervos.

Veja o edital de convocação para a formação de parcerias tecnológicas

FNDE | 17/10/2012