Google alcança acordo com editoras dos EUA sobre eBooks


Apenas 20% do conteúdo total de cada obra é acessado gratuitamente

Google: o objetivo do Google Library Project é, segundo o site oficial da empresa tecnológica, "facilitar a busca de livros relevantes"

Google: o objetivo do Google Library Project é, segundo o site oficial da empresa tecnológica, “facilitar a busca de livros relevantes”

Los Angeles | A associação americana de editoras [AAP, na sigla em inglês] e o Google anunciaram nesta quinta-feira um acordo sobre a digitalização de conteúdos protegidos por direitos autorais para o projeto da biblioteca virtual [Library Project] da empresa tecnológica.

O acordo entre ambas as partes, que pôs fim a um litígio que já durava sete anos, veio após o Google ter aceitado que as editoras decidissem se querem ou não que suas obras façam parte da coleção de materiais digitalizados pela companhia californiana, os quais estão disponíveis na ferramenta Google Books. No entanto, apenas 20% do conteúdo total de cada obra é acessado gratuitamente.

Aquelas editoras que optarem por deixar que seus trabalhos façam parte da base de dados do Google terão a possibilidade de solicitar uma cópia digital para seu uso, sendo que o acordo não impede que as editoras americanas possam assinar outros contratos individuais com o Google para o uso de seus trabalhos.

A disputa legal entre a AAP e o Google começou em outubro de 2005, quando cinco editoras [The McGraw-Hill Companies, Pearson Education, Penguin Group, John Wiley & Sons e Simon & Schuster] processaram a Google por infringir as leis de direitos autorais de propriedade intelectual.

O objetivo do Google Library Project é, segundo o site oficial da empresa tecnológica, “facilitar a busca de livros relevantes, especialmente aqueles que não podem ser encontrados de nenhum outro modo, como os livros descatalogados, sem violar os direitos de autores e editores”.

Publicado originalmente e clipado á partir de EXAME.COM | 04/10/2012, às 17:32

Google chega a acordo com editoras sobre direitos autorais


O Google e um grupo de editoras chegaram a um acordo, encerrando sete anos de litígio sobre os direitos autorais e a missão da empresa de tecnologia de desenvolver a maior biblioteca digital do mundo.

A companhia e a AAP [Associaçãos dos Editores Norte-Americanos, na sigla em inglês] disseram nesta quinta-feira [4] que as editoras dos Estados Unidos podem decidir participar na produção de livros e revistas disponíveis para o Google digitalizar, para o seu projeto de biblioteca. Outros termos do acordo não foram divulgados.

Logotipo do Google em San Francisco; empresa chegou a acordo em relação a direitos autorais de livros

Logotipo do Google em San Francisco; empresa chegou a acordo em relação a direitos autorais de livros

Isso mostra que os serviços digitais podem proporcionar meios inovadores para descobrir conteúdo e ao mesmo tempo respeitar os detentores de direitos autorais“, disse em comunicado Tom Allen, presidente da AAP.

O processo foi arquivado pelos membros da AAP McGraw-Hill Companies, Pearson Education e sua irmã Penguin Group, John Wiley & Sons e Simon & Schuster, da CBS.

O Google digitalizou cerca de 15 milhões de livros no que foi chamado de um esforço para ofecerer acesso mais fácil ao conhecimento do mundo.

A empresa foi processada em 2005 pela Authors Guild, associação sem fins lucrativos que reúne autores e profissionais do ramo literário, e pela AAP por violar as leis de direitos autorais, mas chegou a um acordo anterior em que concordou em pagar US$ 125 milhões aos autores que tiveram seus livros digitalizados e localizar e compartilhar receitas com autores de obras que ainda seriam digitalizadas.

O acordo divulgado nesta quinta, entretanto, não põe fim à ação que a Authors Guild move contra o Google.

DA REUTERS | Clipado de Folha de S.Paulo | 04/10/2012 – 16h07

Google chega a acordo com editoras sobre livros digitais


O processo foi aberto contra a companhia em 2005 por editoras como McGraw-Hill Companies, Pearson Education e John Wiley & Sons

Editoras norte-americanas podem escolher entre deixar disponível ou remover seus livros e periódicos do Library Project, disse o Google em um comunicado

Editoras norte-americanas podem escolher entre deixar disponível ou remover seus livros e periódicos do Library Project, disse o Google em um comunicado

Google informou nesta quinta-feira ter chegado a um acordo com a Associação Americana de Editoras [AAP, na sigla em inglês] para fornecer acesso a livros e periódicos protegidos por direitos autorais digitalizados pela companhia para seu projeto de catálogo Library Project.

O processo foi aberto contra o Google em 2005 por cinco editoras que são parte da AAP, incluindo McGraw-Hill Companies, Pearson Education e John Wiley & Sons.

Editoras norte-americanas podem escolher entre deixar disponível ou remover seus livros e periódicos do Library Project, disse o Google em um comunicado.

O acordo, entretanto, não afeta o atual processo enfrentado pelo Google com a entidade que representa escritores, a Authors Guild, segundo a nota.

Por Siddharth Cavale | Clipado de Exame | 04/10/2012