Kindle Fire está esgotado e detém 22% do mercado americano de tablets, diz Amazon


Jeff Bezos, presidente-executivo da Amazon, apresenta o tablet Kindle Fire, em setembro do ano passado | Emmanuel Dunand - 28.set.11/France-Presse

Jeff Bezos, presidente-executivo da Amazon, apresenta o tablet Kindle Fire, em setembro do ano passado | Emmanuel Dunand – 28.set.11/France-Presse

A Amazon disse nesta quinta-feira [30] que seu tablet Kindle Fire detém 22% das vendas de tablets nos Estados Unidos e que o dispositivo está esgotado.

Ele chegou às lojas em novembro do ano passado a um custo menor que o líder do mercado iPad, da Apple. A Amazon vai realizar um evento para a imprensa na próxima semana em Santa Monica, Califórnia, alimentando as especulações de que lançará novos aparelhos.

Desde o lançamento do Kindle Fire, o Google desenvolveu o Nexus 7, um tablet com tela de sete polegadas que obteve bons resultados de vendas. O Nook Tablet, da Barnes & Noble lançado no último outono, também é popular no mercado americano.

A Amazon disse que o tablet está esgotado, mas o comunicado não informou quando o produto volta ao mercado e nem quantos dispositivos foram vendidos pela companhia.

DA REUTERS | Publicado em Folha de S.Paulo | 30/08/2012 – 19h55

StoryBundle


Undersea by Geoffrey Morrison

Undersea by Geoffrey Morrison

Novidade boa pessoal!

No ótimo StoryBundle o leitor pode obter sete eBooks de Literatura Fantástica a um preço do tipo “pague-o-que-você-acha-que-vale“. E, pasmem, os títulos da StoryBundle não têm DRM.

Na pratica isto quer dizer que o leitor pode baixar e ler os títulos em praticamente todos os hardwares que você possuir.

E, cá pra nós, as capinhas estão joia, hein!? Demais, show!

POR EDNEI PROCÓPIO

Amazon.com.br


Domínio vai para a mão da Amazon após sete anos de disputas

Quem acessa o domínio www.amazon.com.br continua caindo no site da brazuca Amazon Corporation, com sede em Belém do Pará. Mas, se antes este era claramente o domínio da empresa, agora há um redirecionamento para www.amazonet.com.br, onde o site da empresa paraense está hospedado. Segundo o jornal Brasil Econômico, a Amazon levou a melhor na briga com esta empresa e, a partir de 14 de setembro, depois de sete anos de disputa, o endereço nobre fica disponível para a empresa de Seattle. O jornal não deixa claro como e qual teria sido o acordo entre as duas Amazons. A notícia originalmente foi veiculada no Blog do Jotacê, que você pode acessar aqui.

Por Carlo Carrenho | PublishNews | 30/08/2012

Barnes & Nobles anuncia parceria com varejistas ingleses


Nook será vendido nas livrarias Foyles e Blackwell’s

A Barnes & Noble, rede norte-americana de livrarias e proprietária da plataforma Nook de livros digitais, revelou no último dia 28 que a loja de departamentos John Lewis seria o “principal varejista” na Inglaterra para os leitores Nook. E ontem, dia 29/8, a Barnes & Noble anunciou parcerias com outros três grandes varejistas do Reino Unido. O primeiro é a rede Argos, uma espécie de Lojas Americanas da terra dos Beatles.

O Segundo varejista é a Blackwell’s, uma rede de livrarias acadêmicas. E finalmente a Foyles, tradicional livraria londrina marcada pela excelência e que já conta com cinco lojas na capital inglesa e uma em Bristol. Estes parceiros passarão a oferecer os leitores Nook monocromáticos ainda este ano, para aproveitar as vendas de fim de ano. Leia o release completo aqui.

Por Carlo Carrenho | PublishNews | 30/08/2012

Kobo substitui Google


Empresa firma acordo com American Booksellers Association

A American Booksellers Association, ABA, anunciou ontem sua nova parceria com a Kobo. A empresa irá substituir o Google, cujo contrato seria finalizado em janeiro de 2013, em acordo que permite aos membros da associação vender seus e-books e e-readers pela plataforma da Kobo.

Em nota a Kobo conta que desenvolveu um programa especificamente para as livrarias independentes. O acordo começa a valer em outubro, e as 400 livrarias que utilizavam o serviço do Google Books devem passar a vender os e-readers e acervo de quase 3 milhões de e-books da Kobo. Mas o acordo deve ir além, segundo o jornal americano Wall Street Journal, a Kobo buscará parcerias com as quase 2.000 livrarias associadas à ABA. E a Kobo não será apenas uma plataforma de vendas online, a empresa dará assistência na parte de treinamentos, marketing, vendas e questões de logística às livrarias da associação.

Já Jeremy Greenfield, do Digital Book World, reiterou que o acordo entre ABA e Kobo não é exclusivo. De fato, alguns concorrentes já começaram a aparecer. A nova livraria online Zola, que deve iniciar suas operações em setembro deste ano, contou ao Digital Book World que a associação confirmou a possibilidade de uma parceria Zola-ABA, e que a Zola já teria “centenas” de livrarias independentes confirmadas para a nova empreitada.

Como não podia deixar de ser, o acordo levanta expectativas e perguntas sobre a chegada da Kobo no Brasil, se esta fará acordo com livrarias específicas, como faz em outros países, ou se vai procurar um acordo mais abrangente como o da ABA.

Por Iona Teixeira Stevens | PublishNews | 30/08/2012

Kobo contrata primeira funcionária no Brasil


Camila Cabete, da Xeriph, será a “Kobowoman” no país

A Kobo fechou ontem contrato com Camila Cabete, da Xeriph, para ser sua gerente sênior de relações com editores no Brasil. É a primeira funcionária a ser contratada pela empresa no país, marcando de vez a chegada no Brasil e na América latina. Pieter Swinkels, diretor da Kobo, disse ao PublishNews que a empresa deve aterrissar em solo brasileiro ainda este ano, e que todos estão muito animados com a expansão da empresa. “O mercado brasileiro é enorme, o negócio de e-books está crescendo rapidamente, tem muita coisa acontecendo, então naturalmente tínhamos interesse no Brasil.” Sobre a contratação de Camila Cabete, ele se mostra muito entusiasmado: “Nós estamos muito felizes que ela se juntará a nossa equipe, eu e ela montaremos a relação da Kobo com o Brasil.

Camila também está feliz com o novo emprego, que começa já na próxima segunda-feira. “Sempre me identifiquei muito com a marca, acho a cara do Brasil. A Kobo tem coisas que vão se adequar perfeitamente ao nosso país.” Entre os destaques da nova empregadora, Camila enfatiza o meio social da Kobo, a plataforma de self-publishing, que vem atender uma demanda muito grande do mercado brasileiro, e os aparelhos e-readers. Apesar de não saberem ainda onde montarão escritório, a Kobo chega na América latina com todo seu aparato, inclusive os novos e-readers que planejam lançar em breve.

Por Iona Teixeira Stevens | PublishNews | 30/08/2012