Ganhe uma medalha de ouro na Olimpíada das Descobertas


Por Greg Bateman | Publicado originalmente em Publishnews| 02/08/2012

Para as livrarias tradicionais de tijolo e cimento, melhorar a capacidade de descobertas é razoavelmente simples. Tudo que você precisa fazer é encontrar uma forma de colocar seus livros na entrada da loja, bem ali onde todo mundo passa ao entrar. Um especialista em marketing chamaria isso de “placement”.

Você pode fazer algo parecido no digital – conseguindo um placement na primeira página, seu conteúdo vai vender exponencialmente mais do que se estivesse enterrado na página 17. Para aqueles que possuem algum amigo trabalhando como chefe de merchandising em alguma livraria online, é mais fácil conseguir um bom placement. Mas para o resto, “rankings” podem servir muito a nosso favor.

Placement nos rankings também é bastante simples. Quanto mais seus livros vendem, mais alto eles sobem nos rankings, e a maioria das lojas possui rankings em suas homepages. Estar no top-100 garante uma medalha de bronze – seu eBook “existe” para pessoas navegando atrás de conteúdo. A maioria dos leitores para de olhar depois do posto número 30 – então se o seu eBook está melhor do que isso, você ganhou uma de prata. Claro que estar entre os top-10 garante uma medalha de ouro. Todo este sistema de ranking parece paradoxal, no entanto. “Meu livro precisa estar alto no ranking para vender, mas para estar alto no ranking ele precisa vender bem.” Aqui está uma dica rápida: não vou contar como precificar seus livros [isso virá num post futuro], mas garanto que um livro com preço razoável vai subir mais rápido no ranking.

Os sistemas de rankings das livrarias possuem suas limitações. Como você pode imaginar, ajustando o preço é possível “enganar” o sistema. Apesar de que, na minha opinião, um preço justo é definitivamente uma grande estratégia, também é possível colocar seus livros como “grátis” temporariamente para subir no ranking, premiando editoras menores que tem menos a perder. Também estes rankings estão limitados a somente uma loja. E se a Apple ainda não tem aquele livro incrível que todo mundo adora? Bom, o New York Times começou uma “e-“ versão de sua famosa lista de best-sellers que cobre todas as principais livrarias. Eu adoraria ver uma lista parecida aqui no Brasil [está ouvindo, Globo?] – é só uma questão de tempo, acho.

A descoberta social também é outra grande ferramenta – quem sabe quais eBooks você iria gostar mais do que seus amigos e familiares? Com sete milhões de usuários, Goodreads tem feito um incrível trabalho de criação de uma comunidade de leitores [apesar do site só estar disponível em inglês] com seus amigos, familiares e leitores com gostos parecidos. Se você quer aprender todos os detalhes sobre “descoberta social”, veja a apresentação bem informativa do CEO Otis Chandler aqui. Também estou muito impressionado com as boas resenhas estilo “peer review” [e rankings associados] da recém-chegada iDreamBooks [estou menos impressionado com o nome do site].

Como você pode notar, nenhuma dessas grandes ferramentas de descoberta chegou ao Brasil ainda – mas pode ter certeza que quando os eBooks alcançarem uma massa crítica, vão aparecer muitas formas de ajudar leitores ávidos a matar sua vontade de ler. E pessoalmente, eu adoraria ver uma forma brasileira de descobertabilidade – talvez camisetas de futebol com “Companhia de Letras” impresso na frente???

Espero que todos tenham “descoberto” algo interessante neste post.

Greg Bateman

Greg Bateman

Por Greg Bateman | Publicado originalmente em Publishnews| 02/08/2012

Greg Bateman, expert em tecnologia e empreendedor do negócio de e-books, é conhecido pelo seu envolvimento na criação de produtos extremamente bem-sucedidos, como os smartphones da Samsung e o Kindle, da Amazon. Na Vook, ele desenvolveu uma eficiente cadeia de produção de centenas de e-books por semana. Greg, que nasceu nos Estados Unidos, viveu nove anos no exterior, onde intermediou várias parcerias envolvendo Coreia, China, Japão e EUA. Hoje mora no Brasil, em São Paulo. Ele é pesquisador visitante da Universidade de Tóquio, tem duas graduações pela Universidade da Califórnia em Berkeley [engenharia elétrica/ciência da computação e literatura japonesa] e um MBA pela Columbia Business School.

A coluna E-Gringo discute a fundo o negócio e o lado técnico dos e-books a partir de uma perspectiva global. Às quartas-feiras, quinzenalmente, ela vai apresentar plataformas e tendências do mundo todo e, claro, do Brasil. Para enviar comentários, escreva para greg@hondana.com.br .