Waterstones fecha com a Amazon


Notícia pegou o mercado editorial do Reino Unido de surpresa

A rede de livrarias Waterstones surpreendeu o mercado editorial britânico hoje de manhã ao anunciar um acordo comercial com a Amazon, quando se imaginava que a empresa estava negociando com a Barnes & Noble. De acordo com o comunicado da Waterstones, foi firmada uma parceria para que a rede venda os e-readers Kindle em suas lojas dentro do Reino Unido – são, ao todo, quase 300 unidades. A empresa também mencionou que oferecerá “serviços novos de leitura digital” por meio da parceria, mas não revelou muitos detalhes.

O diretor executivo da Waterstones, James Daunt, disse em entrevista ao site da The Bookseller que os clientes da Amazon “querem o Kindle”. “Nós nos perguntamos, ‘o que nossos clientes querem?’: a resposta foi o Kindle. E, uma vez feito isso, ficou evidente para nós que era o melhor negócio”, disse. Ele admitiu que a Waterstones sondou outras opções, mas recusou-as. Segundo ele, também já era tarde para desenvolver um aparelho próprio. “O melhor dispositivo no mercado é o Kindle“, completou.

A Waterstones vai reformular lojas e criar “inovações” que incluem áreas digitais, internet sem fio gratuita e novos cafés ainda neste ano, segundo o comunicado da empresa. Daunt disse à The Bookseller que, cada vez que um usuário do Kindle comprar um e-book dentro do ambiente da Waterstones, a rede ficará com uma parte da venda. “O futuro da Waterstones está em suas lojas físicas, vendendo livros físicos, mas fazendo outras coisas em torno disso, como café e leitores digitais”, disse ele.

O anúncio acontece depois de a Barnes & Noble, principal concorrente da Amazon, ter anunciado uma sociedade com a Microsoft, em que a empresa de software fará um investimento de US$ 300 milhões no Nook, unidade de livros digitais da B&N. É mais uma demonstração de que esse mercado está em pleno processo de configuração.

Segundo Daunt, a parceria deve começar na prática no outono do hemisfério norte, ou seja, entre o fim de setembro e dezembro. A Waterstones já tem sua plataforma de e-books e vai continuar com ela. As editoras também continuarão negociando seu catálogo de e-books com Amazon e Waterstones separadamente.

Por Roberta Campassi | PublishNews | 21/05/2012