‘Enciclopédia Britannica’ acaba com edição impressa e se torna 100% digital


Em mais um sinal do crescente domínio do mercado editorial digital, a mais antiga enciclopédia em língua inglesa que ainda é impressa está se movendo plenamente para a era digital.

A “Enciclopédia Britannica”, que é impressa desde que foi publicada pela primeira vez, em Edimburgo [Escócia], em 1768, afirmou nesta terça-feira [13] que vai acabar com a publicação de suas edições impressas e continuar com as versões digitais disponíveis on-line.

Site da "Enciclopédia Britannica", que acabou com a edição impressa para se tornar 100% digital

O carro-chefe, a edição impressa com 32 volumes, disponível a cada dois anos, era vendido por US$ 1.400. Uma assinatura on-line custa cerca de US$ 70 por ano, e a empresa lançou recentemente aplicativos que variam de US$ 1,99 a US$ 4,99 por mês.

A empresa disse que vai manter a venda de edições impressas até que o estoque atual de cerca de 4.000 conjuntos se esgote.

A edição impressa tornou-se mais difícil de manter e não era o melhor elemento físico para oferecer a qualidade do nosso banco de dados e a qualidade do nosso editorial,” disse Jorge Cauz, presidente da Encyclopaedia Britannica Inc., à Reuters.

DA REUTERS, EM NOVA YORK | 14/03/2012, 6h42 | Publicado em Folha.com