Wikipedia sai do ar contra lei antipirataria nos EUA


A página americana do Wikipedia saiu do ar a meia-noite de hoje [18], horário de Washington [EUA], em protesto contra a lei antipirataria que está sendo discutido no país. O protesto deve deixar o site fora do ar por 24 horas. Segundo Immy Wales, um dos fundadores do site, a manifestação deve atingir 25 milhões de pessoas no mundo.

Por mais de uma década, nós gastamos milhões de horas construindo a maior enciclopédia da história humana. Agora, o Congresso dos EUA está considerando uma legislação que poderia prejudicar a internet livre e aberta. Por 24 horas, para aumentar a conscientização, estamos tirando a Wikipedia do ar”, diz o comunicado em sua home page.

Já o Google publicou, “Diga ao Congresso que não censure a internet”, em sua versão em inglês.

De acordo com a Fox News, Facebook, Amazon e Google, também poderão ficar fora do ar de maneira coordenada para participar do protesto. Isso poderá ocorrer as 11h horário de Brasília.

A versão em português do Wikipedia continua no ar, mas com um comunicado criticando a lei dos EUA. “A Wikipédia precisa da internet para continuar livre. Os projetos de lei SOPA [Stop Online Piracy Act] e PIPA ameaçam as wikipédias em todos os idiomas”.

A lei começou a ser aplicada com mais rigor devido a representantes da indústria da música e do cinema, que querem evitar a perda de vendas de seus produtos de forma gratuita na web.

Disney, Universal, Paramount e Warner Bros, grandes estúdios de Hollywood, apoiam a lei. Mas Amazon, Google, eBay, Twitter, Facebook, PayPal, Zynga, Mozilla e outras empresas são totalmente contra.

As empresas responsabilizam os sites pelo conteúdo publicado ou distribuído ilegalmente, e pedem que elas encontrem um caminho para impedir o uso ilegal. Caso o site seja penalizado, pode ocorrer o fechamento do mesmo e até cinco anos de prisão para seus proprietários.

Publicado originalmente em TECH GURU | 18 de janeiro de 2012 | 12:00

Google consegue 4,5 milhões de assinaturas contra SOPA, diz NYT


Em protesto contra os projetos de lei Stop Oline Privacy Act [Sopa] e Protect IP Act [Pipa], o Google convidou usuários, nesta manhã, a assinar uma petição para dizer não a essas propostas “antes que seja tarde demais”. O apelo da gigante da internet já parece ter gerado grande impacto: por enquanto, 4,5 milhões de pessoas deram seus nomes para o abaixo-assinado, segundo New York Times.

Os projetos de lei propõem barrar a pirataria e a violação de direitos autorais na internet. Apesar de trazerem à tona questões pertinentes para se pensar na era do uso indiscriminado de conteúdo na web, elas são agressivas e ameaçam a liberdade de expressão, segundo especialistas e sites que as analisaram.

Por Nayara Fraga | O Estado de S. Paulo | 18/01/2012

Livro digital em debate


A livraria Fnac de Porto Alegre promove hoje, às 19h30, um bate-papo com Paulo Tedesco e Gustavo Lima. O primeiro é editor e consultor gráfico-editorial, já Lima é fundador da “Buqui Livros Digitais”, livraria e editora especializada em e-books. O encontro versará sobre as mudanças do livro em papel para o formato digital. A entrada é franca. A livraria está localizada no Barra Shopping Sul [Av. Diário de Notícias, 300]. Mais informações pelo site

PublishNews | 18/01/2012