Papel pode ser reutilizado até 260 vezes


Taiwan: O “i2R e-Paper” é um tipo de papel, mas não papel como nós o conhecemos –não ainda, afirmaram os responsáveis por seu desenvolvimento, de Taiwan.

O produto usa uma impressora térmica, do mesmo tipo empregado em máquinas de fax. Quando a mensagem não é mais necessária, o papel pode ser apagado com um botão – pronto para ser usado novamente até 260 vezes.

Pesquisadores do Instituto de Pesquisa Tecnológica Industrial, onde o papel foi desenvolvido, dizem que ele é o substituto ideal para letreiros de papel e cartazes que são produzidos aos milhares ao redor do mundo.

Acho que a maior inovação é que aparelhos com painéis tradicionais normalmente precisam de eletricidade para mostrar letras, mas nossa tecnologia torna isso mais parecido com o uso de papel normal“, disse John Chen, vice-presidente do Instituto e diretor-geral do Centro de Tecnologia de Painéis.

Em primeiro lugar, ele não requer eletrodos padronizados – é muito leve, macio e pode-se escrever novamente nele. Dessa perspectiva, ele é um papel eletrônico autêntico“.

O que diferencia o “i2R e-paper” é o seu revestimento – um filme plástico coberto com um tipo de cristal líquido cuja estrutura é similar à de moléculas de colesterol.

O composto não requer uma luz traseira para a impressão e pode produzir diferentes cores.

Quando conectado a uma fonte de eletricidade, o que está impresso pode ser apagado. Também há uma impressora modificada que apaga o papel ao fazê-lo rolar para trás.

Um pedaço do papel do tamanho de uma folha A4, que já está sendo produzido, custa cerca de 60 dólares taiuaneses, aproximadamente 2 dólares. Os envolvidos no projeto esperam que ele esteja disponível para consumidores dentro de dois anos.

Reuters Life! | 08/08/2011

Conheça o Graphicly, o ‘YouTube dos quadrinhos’


Graphicly

Para quem gosta de HQs, o Graphicly é um ótimo serviço. Baseado em HTML5, já é conhecido nos EUA como o “YouTube dos quadrinhos”, por permitir a visualização on-line das histórias, pelo navegador.

O Graphicly também disponibiliza códigos “embedáveis” para que qualquer um publique as revistas — que vão desde editoras consagradas, como a Marvel, até pequenas editoras independentes – em blogs ou sites.

Há espaço também para você montar sua biblioteca virtual de quadrinhos, discutir com outros membros e deixar comentários ou indicações nas revistas que você leu. Você pode ainda ler os quadrinhos em tablets ou celulares, e há bastante coisa gratuita para quem quer conhecer sem gastar dinheiro.

O Graphicly aceita login com sua conta de Facebook. O pagamento das revistas pode ser feito com cartão de crédito internacional.

Por Alexandre Orrico | Publicado originalmente em Blog do TEC | 08/08/2011, às 19h15

Guardian lança série de eBooks


O The Guardian acaba de lançar a Guardian Shorts, uma série de e-books baseada nas suas reportagens e matérias. A série vai abortar artigos de temas variados, como esporte, políticas públicas e eventos culturais; o primeiro título é Phone Hacking: How the Guardian Broke the Story, com introdução de Alan Rusbridger, que conta em detalhes como o escândalo se desenrolou. Os e-books são todos em inglês e custarão entre U$ 3,20 e U$ 6,60 e estarão à venda na Amazon e na iBookstore. Algumas histórias estarão disponíveis gratuitamente. Os títulos deverão ter o formato de uma publicação jornalística de cerca de 5 mil palavras ou uma coleção de artigos, com até 30 mil palavras.

Por Lisa Campbell | The Guardian | 08/08/2011