New York Times passa a cobrar por acesso à edição digital


O jornal “The New York Times” começou a cobrar nesta segunda-feira pelo acesso ao conteúdo de sua edição digital, embora seus leitores ainda possam ler gratuitamente até 20 artigos por mês pelo site.

“‘The New York Times’ dá hoje um importante passo ao passar a trabalhar com assinantes de seus conteúdos digitais nos EUA e no resto do mundo. Desde que fizemos o anúncio, há 11 dias, escutamos muitas opiniões de nossos leitores. Agradecemos seus comentários e, sobretudo, seu compromisso com o ‘Times'”, disse o presidente da editora do jornal, Arthur Sulzberger, em comunicado.

O sistema de pagamento oferece três opções de assinatura: por US$ 15 ao mês os leitores terão acesso ilimitado ao conteúdo do “NYTimes.com” de computadores tradicionais e telefones celulares, por US$ 20 de computadores convencionais e iPads e por US$ 35 de qualquer dispositivo.

Aqueles que já assinam a versão impressa do jornal continuarão tendo acesso ilimitado e gratuito à edição digital por qualquer meio, com exceção de por leitores de livros eletrônicos Kindle e Nook.

Em uma tentativa de manter os mais de 31 milhões de leitores de seu site por mês, a companhia não conta em seu limite de 20 artigos mensais as visitas a partir das redes sociais Twitter e Facebook, enquanto os que chegarem ao “NYTimes.com” através do Google poderão ler até cinco artigos a mais por mês.

Os que chegarem aos artigos do ‘Times’ a partir de buscadores, blogs ou redes sociais poderão lê-los. Isto permitirá que novos leitores descubram nossos conteúdos“, disse Sulzberger, quem ressaltou que haverá um limite diário de links gratuitos nos buscadores mais utilizados.

Agencia EFE | 28/03/2011