Vendas de livros eletrônicos crescem 115%


As vendas de livros eletrônicos nos Estados Unidos cresceram mais de 115% em janeiro frente ao mesmo período do ano anterior, revelou um relatório divulgado pela Associação de Editoras Norte-Americanas nesta quinta-feira.

De acordo com o relatório, as vendas líquidas de livros eletrônicos cresceram para US$ 69,9 milhões em janeiro de 2011, ante US$ 32,4 milhões no mesmo período de 2010, dando continuidade ao rápido aumento da demanda por livros digitais e à queda nas vendas de livros em papel.

Grandes mudanças tecnológicas têm preocupado a indústria editorial, que vêm combatendo livros eletrônicos e tablets como o iPad enquanto a comercialização em geral de livros nos Estados Unidos declina.

Venda de livros de capa dura caíram de US$ 55,4 milhões em janeiro de 2010 para US$ 49,1 milhões ante igual mês de 2011. Títulos de capa mole caíram 30% no mesmo período, segundo a associação. Porém, as vendas no setor de educação superior ficaram relativamente estáveis, caindo levemente de US$ 387,6 milhões em janeiro do ano passado para US$ 382 milhões no mesmo mês deste ano.

Reuters | 17/03/2011

Arquivos mais baixados para Kindle são jogos


Entre os bestseller do Kindle, jogos roubam a cena / Foto: Reprodução

RIO – A Amazon lançou uma campanha para promover jogos nos leitores eletrônicos Kindle, em que oferece uma série de títulos por US$ 0,99 nos EUA. Com isso, cinco deles conquistaram o topo da lista dos títulos mais vendidos para Kindle na loja virtual.

O ‘Scrabble’, famoso game de palavras que pode ser jogado em rede, ocupa o primeiro lugar da lista. Em segundo, vem o jogo de cartas ‘Solitare’, em terceiro um livro de trama dramática e policial, seguido de mais uma versão de ‘Solitare’ e de outros jogos como Sudoku, que aparece na sétima posição.

Todos os jogos postos à venda pela Amazon estão na lista dos cem mais vendidos. A Amazon defende a proposta como uma forma de descansar os olhos da leitura e encara os dados de forma positiva. Versões de games foram incluídas nos leitores para que usuários não prefiram os tablets apenas por causa dos jogos.

Os jogos estão disponíveis para compra apenas nos Estados Unidos, e usuários de países como Canadá e Austrália se lamentam de não poder baixá-los, diz o “El País”.

O Globo | 17/03/2011

Revista da Cultura já pode ser lida no iPad


A Livraria Cultura acaba de lançar uma nova versão da sua Revista da Cultura exclusiva para iPad e iPhone.

Com nova roupagem, a poublicação mensal apresenta conteúdo interativo com links exclusivos para reportagens, arquivos sonoros, textos extras, álbuns de fotos e imagens, além de arquivos de vídeo. “O leitor poderá escolher o que quer ler e ver na revista, conferir entrevistas com o áudio do que não foi para o papel e as opções de capas que não foram escolhidas”, diz Pedro Herz, presidente do Conselho Administrativo da Livraria Cultura.

Além do formato para iPad e iPhone, a Revista da Cultura já possui uma versão on-line, que é enviada por e-mail para mais de 1,6 milhão de clientes cadastrados e 25 mil exemplares impressos disponíveis gratuitamente em todas as lojas da rede mês a mês. Quem optou por receber em casa, paga apenas o frete.

PublishNews | 17/03/2011