Jornais e revistas, papel e digital


Portugal: Recentemente, o Jornal de Notícias, Diário de Notícias e O Jogo juntaram-se ao grupo de jornais que disponibilizam versões integrais da edição diária em formato digital, pronto a ser lido em iPad, iPhone ou em qualquer computador, smartphone ou tablet com acesso à internet. A tendência não é nova, mas esta é uma área em clara expansão. Será que financeiramente também é mais vantajoso? A era digital abre novas possibilidades de leitura diária de títulos estrangeiros de referência que até agora era mais difícil: demorava tempo e custava dinheiro.

Mas comecemos pelos jornais portugueses. No caso do JN, DN e O Jogo, é possível consultar a edição e-paper gratuitamente até ao dia 15 de Março. Após essa data, será preciso assinar para ter acesso ao jornal digital. O preço cifra-se nos 19 euros por mês, ou 99 euros por ano. Ou seja, cada edição fica entre 63 cêntimos [se assinar mensalmente] e 28 cêntimos [se assinar anualmente]. Um preço bastante abaixo da versão em papel. O Público também disponibiliza gratuitamente durante dois meses uma aplicação para iPad, com vários conteúdos. Além disso, o jornal disponibiliza a versão diária em formato PDF, mas é preciso ser assinante para ter acesso. O semanário Sol também tem uma aplicação para iPhone e iPad que permite aceder às últimas notícias e é totalmente gratuita.

No mercado internacional o cenário é muito mais atractivo, até porque passa a ser possível ler, diariamente e a preços reduzidos, importantes publicações estrangeiras. Um bom local para o fazer é o Zinio [www.zinio.com], um verdadeiro quiosque online onde pode encontrar e subscrever revistas e jornais de todo o mundo. Geralmente a preços bastante mais convidativos do que uma assinatura da edição em papel. Se é fã incondicional de música, por exemplo, a Rolling Stone ou o New Musical Express são certamente do seu interesse. No caso da revista americana, uma subscrição digital de 26 edições fica-se pelos 20 dólares [cerca de 15 euros], ao contrário dos 130 dólares [cerca de 96 euros] do preço de capa.

Depois do pagamento, pode ler a revista integralmente em PC, Mac, iPad e iPhone. Já 51 edições do NME ficam por cerca de 80 dólares [60 euros]. Ou seja, bastante mais barato do que os 143 dólares que pagaria se quisesse receber a revista em casa.

As ofertas não ficam por aqui: se o seu desporto favorito é mesmo o futebol, pode subscrever mensalmente o jornal espanhol Marca por 28 dólares [20 euros] e lê-lo no seu computador ou tablet. Se o seu interesse passa mais pelo design e pelas últimas tendências, pode querer assinar a versão digital da Wallpaper, que custa apenas 55 dólares [40 euros] e tem acesso a 12 edições. A versão impressa ficaria por 120 dólares [88 euros]. E até pode optar por aceder às versões digitais de revistas de celebridades, como 52 edições da Hola! por cerca de 100 dólares [73 euros].

Além das vantagens de preço, as edições digitais das publicações trazem ainda outras: o acesso ao arquivo é mais facilitado e pode até comprar edições anteriores com facilidade. Há, no entanto, algumas desvantagens: para aceder às versões digitais tem de ter um computador, um tablet ou um smartphone, gadgets que geralmente são caros. Além disso, a leitura pode não ser tão fácil e intuitiva, caso ainda não esteja habituado aos novos suportes.

franciscoferreira@faroldeideias.com

Preços dos tablets ainda é elevado

Ler num iPad pode até ser uma experiência interessante, mas a verdade é que o preço destes aparelhos ainda não é para todas as bolsas. No site Pixmania, o tablet da Apple cifra-se nos 509 euros. Já um iPhone custa, pelo menos, 561 euros. Um BlackBerry deverá custar à volta de 300 euros, mas a leitura nestes dois últimos aparelhos não será tão fácil.

SITES

Os jornais portugueses estão a render-se aos formatos digitais

www.zinio.com

cimdn.newspaperdirect.com/epaper/

cimojogo.newspaperdirect.com/epaper/

pdf.publico.pt/

tunes.apple.com/pt/app/sol-online/

Por Francisco David Ferreira | Para o Diário de Notícias | 23/02/2011