Quanto custa produzir um eBook best-seller


Ao contrário do que se diz, o custo de produzir um e-book é similar ao custo de produzir um livro de capa dura. Cerca de 10% do que se gasta com o de capa dura vai para a impressão, acabamento e frete. Editores estipulam um preço de venda e lojas como a Amazon e a Apple recebem uma porcentagem fixa. Essas estimativas foram baseadas em vendas de 75 mil exemplares. As despesas de um e-book incluem custos únicos, como edição e marketing.

Washington Post | 08/02/2011 | Por Andrew Schneider, estudante de MBA da George Washington University

Asda vende e-reader a 52 libras no Reino Unido


The View Quest Mediabox 5in Media Tablet

A rede britânica de supermercados Asda começou a vender nesta segunda-feira [7] o leitor digital mais barato do Reino Unido. O The View Quest Mediabox 5in Media Tablet custa apenas 57 libras [com desconto, 52 libras]. Só para se ter uma ideia, com esse valor é possível comprar dois bilhetes semanais para usar no metrô de Londres. Apesar de vender o e-reader, a rede não dispõe de nenhum e-book.

PublishNews | 08/02/2011

DBW 2011: Dá para assistir pela internet


Digital Book WorldMesmo quem não participou da Digital Book World Conference, realizada em janeiro em Nova York para discutir o livro digital, pode assistir ou ouvir os debates gratuitamente pelo site. Mas só durante essa semana! Entre os temas abordados estavam os direitos autorais, os custos de produção e muito mais. Além disso, foram apresentados resultados de pesquisas.

PublishNews | 08/02/2011

Amazon atualiza software do Kindle e coloca nº nas páginas


O Kindle conta agora com numeração nas páginas, similar aos livros impressos | Foto: Divulgação

A Amazon.com liberou novos recursos para o seu leitor de e-books Kindle, incluindo a numeração de páginas similar aos livros impressos.

Segundo a Amazon, diversos consumidores pediram “números de páginas reais que fossem iguais aos dos livros em papel“. A ideia é citar passagens e referências do livro digital como é feito com o impresso. “Estamos adicionando números de páginas reais. Já fizemos isso em milhares de livros do Kindle, incluindo os 100 mais vendidos“, de acordo com a Amazon.

Outros recursos na nova versão do software para Kindle são o compartilhamento de anotações nos livros de maneira pública [e seguir as notas de outras pessoas, incluindo autores], avaliação das obras lidas após o final do título e um novo layout para os jornais e revistas vendidos pelo leitor.

Segundo a Amazon, uma prévia dos novos recursos já está disponível para os proprietários de Kindle e Kindle 3G de última geração no endereço http://migre.me/3PXkh. Quando liberado pela Amazon, o upgrade será feito pela rede Wi-Fi.

Portal Terra | 08 de fevereiro de 2011 • 12h14