Modelo de agência sob investigação no Reino Unido


OFT investiga denúncia de que acordos entre editoras e livrarias ferem as regras de competição

Depois de receber um “significativo” número de reclamações, o Office of Fair Trading [OFT] começou a investigar o modelo de agência aplicado na precificação dos e-books no Reino Unido. O OFT quer saber se os acordos firmados entre algumas editoras e as livrarias ferem as regras de competição. As informações são do site The Bookseller e a matéria pode ser lida na íntegra, em inglês, aqui.

PublishNews | 02/02/2011

Apple confirma mudança na regra sobre aplicativos para eBooks


A Apple confirmou que quer um corte de vendas da Amazon Kindle feito através dos seus aplicativos no iPhone. A gigante empresa de tecnologia disse que não permitirá mais aplicativos para vender conteúdo através de uma ligação separada do seu navegador, a menos que os clientes também tivessem a opção de comprar os mesmos títulos por meio de uma aplicação através do seu próprio sistema, o que acarretaria um custo adicional de 30%.

A aparente confirmação segue um dia de confusão após a Sony afirmar que a Apple rejeitou seu aplicativo de livro digital, pois não permitiria que os clientes comprassem eBooks no ambiente Apple. Inicialmente, não estava claro se isso era uma mudança de regra da Apple ou se era um erro da Sony.

Mas Trudy Muller, porta-voz da Apple, afirmou à Bloomberg que tinha alterado algumas das suas exigências: “Mudamos não termos ou diretrizes de desenvolvedor. O que agora estamos requerendo é que, se um aplicativo oferece aos clientes a possibilidade de adquirir livros fora da nossa app, que também dê opção para os clientes comprarem de dentro da nossa própria app“.

Apps de vendas como as do Kindle da Amazon permite que os usuários comprem conteúdo através de uma janela separada do “navegador” da Apple e que até agora fez com que eles não tivessem de pagar taxa de 30% à Apple.

Alguns sites alegou que, de fato, não houve nenhuma mudança nos requisitos da Apple, mas que a Sony tinha sido apanhada de surpresa depois de tentar fazer as suas compras fora do ambiente de aplicativo da Apple.

Mas, o melhor que podemos dizer, a Apple agora exige que todos os aplicativos disponíveis permitam compras dentro da App Store, o que se torna uma grande dor de cabeça para Amazon, Kobo, WH Smith e Barnes & Noble.

A questão é ainda mais complicada uma vez que significa que preços maiores devem ser aplicados em todos os eBooks onde quer que eles sejam vendidos, ou seja, os varejistas que comercializam através da App Store iria tomar uma ‘batida’ de 30%.

A Amazon se recusou a comentar à imprensa sobre essa política de pagamento, se significaria que ela teria de mudar a sua aplicação Kindle, na Apple.

Segundo o New York Times: “É altamente improvável que a Amazon, a Sony ou outros players estejam dispostos a compartilhar receitas de eBooks ou até mesmo a informação dos clientes com a sua concorrente, a Apple, que vende seus próprios eBooks em seu iBookstore“. O “NYT” relatou que a mudança só está sendo aplicada a livros eletrônicos no momento.

Por Philip Jones | Publicado originalmente em The Bookseller | 02/02/11