Google adquire tecnologia eBook


Após adquirir 25 empresas em 2010, o Google continua a sua onda de compras de ano novo com a da eBook Technologies, fornecedora de dispositivos de leitura de livros eletrônicos e tecnologia de distribuição de conteúdo.

O Google se recusou a fornecer detalhes específicos sobre seus planos futuros do produto. Nenhum preço para o negócio foi divulgado.

Em dezembro, o Google lançou sua plataforma de livros digitais, o Google eBooks. Tendo entrado na concorrência com a Amazon e a Apple, o Google tentou diferenciar-se pela caracterização do seu ecossistema como mais aberto do que o que é oferecido pelos seus rivais.

“Abrir”, no entanto, não significa conteúdo sem fechaduras digitais. Significa permitir que os parceiros tenham um papel significativo. Na verdade, o interesse do Google na eBook Technologies parece estar em proteger os conteúdos dos seus livros e proteger-se contra processos de patentes que poderão vir.

As licenças de tecnologia da eBook Technologies são de empresas vindas de dot com, que foram um boom na virada do segundo milênio: SoftBook Press, NuvoMedia e Gemstar. A companhia também parece ter alguns direitos relacionados com as patentes relevantes.

Por Thomas Claburn | InformationWeek | 14/01/2011

Um pensamento sobre “Google adquire tecnologia eBook

  1. Esta sim é uma notícia nova e fascinante, que poucos vão prestar atenção.

    A eBook Tecnologies é herdeira direta dos primeiros e-readers efetivamente comercializados no mundo: o Rocket eBook e o Softbook. Muito antes de qualquer Kindle, Nook ou iPad. Treze anos atrás.

    O Rocket eBook foi lançado por uma empresa californiana chamada Nuvomedia e o Softbook foi lançado pela SoftBook Press. Embas em 1998.

    Depois de passar por empresas como Thomson, RCA, Gemstar, etc., etc. etc., os sistemas de ambos os e-readers [tanto hardwares, quanto softwares] ficam sendo gerenciados pela ótima [para não dizer perfeita] eBook Tecnologies.

    Tanto o Rocket eBook, quanto o Softbook Pro, mantinham sistemas perfeitos de gerenciamento de conteúdo. O Rocket eBook, por exemplo, além de permitir arquivos padrão OEB [como era chamado antigamente o ePub] encripturados, ao contrário de sistemas péssimos como as atuais plataformas Amazon e Apple, permitiam que os usuários pudessem criar os seus próprios títulos digitais.

    O Google fez um ótimo negócio. Nossa, depois de ler tanta asneiras sobre os eBooks, pela primeira vez em alguns anos eu fiquei animado.

    Parabéns para o pessoal da eBook Tecnologies!

Os comentários estão desativados.