Brasil no iTunes


A editora Nossa Cultura acaba de disponibilizar no iTunes Store 31 de seus títulos, que incluem best-sellers como “A Vida É um Milagre”, de Eduardo Shinyashiki. Em breve todo o catálogo da editora, a primeira do Brasil a entrar no iTunes, estará on line. O download de cada livro sai por US$ 4,95. Os conteúdos também podem ser baixados na Audible.com, da Amazon, por meio de assinatura mensal ou anual.

Por Marcos Flamínio Peres | Folha de S. Paulo | 22/11/2010

Site da ABDR é invadido por hackers


O site da Associação Brasileira de Direitos Reprográficos [ABDR] foi invadido neste fim de semana por hackers. E não foram arruaceiros digitais quaisquer que cometeram o ato. A invasão tinha endereço certo, pois as mensagens deixadas nas áreas invadidas traziam textos copiados de outros sites que criticam a atuação exemplar da entidade na luta contra a pirataria de livros no Brasil. Em uma das “notícias” deixadas pelos meliantes virtuais logo na página de abertura do portal, um texto mal redigido, copiado do site eBooksBrasil, condenava a atuação da ABDR junto ao site norte-americano Scribd, que teria retirado do ar os e-books publicados ali legalmente [segundo o texto] pelo eBooksBrasil. Outros textos inseridos no site eram um curto manifesto com idiotices do tipo “Viva a Cultura Livre. Queremos dedicar este ato de protesto à presidenta eleita Dilma” – este era um texto original e não copiado – e uma notícia antiga extraída do site do projeto Cultura Livre sobre uma ação civil pública ajuizada contra a ABDR pelo Instituto de Direito do Comércio Internacional e Desenvolvimento [IDCID].

Além deste texto, foram colocados links para filmes no YouTube, um deles em que mostra o jurista Túlio Vianna defendendo a descriminalização da pirataria em um programa de TV obscuro. O ataque cibernético foi feito de forma anônima, como convém aos covardes. A equipe do projeto Cultura Livre, por exemplo, nem sabia da ação. “Nosso projeto é internacional e não incentiva tal atitude”, explicou Marilia Maciel, do projeto carioca.

Assim que soube da invasão pelo PublishNews, a ABDR retirou seu site do ar e o republicou minutos depois. A entidade promete reagir. “Este é mais um exemplo de violação de direitos autorais. Isso nos incentiva a trabalhar mais e mais intensamente contra a pirataria”, declarou Dalton Morato, diretor da entidade. “Tomaremos as medidas cabíveis; isso não é brincadeira, é crime”, completou. Sobre a questão envolvendo a retirada de conteúdo do eBooksBrasil do Scribd, a questão é um pouco complexa, mas Dalton se dispôs a esclarecê-la: “A ABDR só age a partir de solicitação de seus associados. Nunca ocorreu de alguém colocar conteúdo legítimo em um site e a ABDR mandar tirar. Ocorre que nem sempre os autores e tradutores entendem direito a cessão de direitos autorais e autorizam a divulgação de obras cujos direitos tinham cedido para uma editora”.

Se alguém está se dando ao trabalho de invadir o site da ABDR é porque o trabalho desta importante entidade para o mercado editorial tem surtido bons efeitos. Entre suas ações, além do combate direto às fotocópias em universidades, destaca-se o projeto A Pasta do Professor [www.pastadoprofessor.com.br]. Trata-se de uma iniciativa pioneira de editoras brasileiras que tem por objetivo disponibilizar o conteúdo de suas obras para ser adquirido de forma fracionada, como a boa, velha [e pirata] pasta do professor. Não será um ataque de hackers anônimo, covarde e criminoso que impedirá a ABDR de continuar seu trabalho.

Por Carlo Carrenho | Texto publicado originalmente em PublishNews | 22/11/2010