Livro eletrônico atormenta o mercado editorial francês


Durante 30 anos, a livraria da família de Thierry Meaudre foi protegida da concorrência das grandes varejistas por uma lei que proíbe grandes descontos na venda de livros. Agora ele espera que o governo francês também o proteja de uma nova ameaça: o livro eletrônico. Enquanto as pequenas livrarias e editoras ficam à mercê do mercado em muitos países, o setor é protegido em boa parte da Europa.

O Reino Unido é a única grande economia europeia que permite aos varejistas dar o desconto que quiserem, diz Anne Bergman-Tahon, diretora da Federação de Editoras Europeias. Uma lei francesa de 1981 proíbe a venda de livros com desconto maior que 5% do preço de capa, uma iniciativa para proteger as pequenas livrarias das parcas margens de lucro que as grandes redes podem absorver quando oferecem enormes descontos. Mas os livros eletrônicos, que não são cobertos pela lei de 1981, geralmente são vendidos por 25% a menos que as obras impressas.

Valor Econômico | Por Max Colchester | Publicado originalmente em The Wall Street Journal | 24/09/2010

Fundador da Smashwords faz palestras no Brasil


Mark Coker, o fundador da Smashwords, estará no Brasil na semana que vem para duas palestras – uma no Rio [28] e outra em São Paulo [29] – e para acertar os últimos detalhes da parceria para e-books e impressão sob demanda entre a sua empresa e a Singular, braço digital da Ediouro.

A Smashwords está mexendo com o mercado americano ao publicar, sem burocracia, livros digitais de autores independentes. Até agora, já foram mais de 20 mil. “Estou indo ao Brasil para aprender sobre o mercado editorial brasileiro e para ajudar autores e editores a publicar e-books”, disse Coker.

Além da palestra do maior nome do segmento self publishing da atualidade, intitulada “Como os livros independentes vão transformar o futuro da edição”, Luis Umani Iglesias, diretor de divisão Indigo Brasil da HP, também fala neste encontro organizado pela Singular. Seu tema será “A impressão digital e o futuro”. Na sequência, uma mesa vai reunir profissioanais e um autor que já estão lidando com livros digitais.

O evento é fechado, mas o PublishNews tem 8 ingressos para cada um dos encontros. Para concorrer, basta mandar um e-mail para promocao@publishnews.com.br respondendo, em até três linhas, a pergunta “O que não pode faltar em um livro digital?” Os autores das melhores respostas ganham o ingresso. Não se esqueça de informar o nome, endereço completo e telefone. A promoção se encerra ao meio-dia da próxima segunda-feira [27].

1º ciclo de palestras sobre os vários futuros do livro

Rio de Janeiro– 28 de setembro
Av. Epitácio Pessoa, 1164 – Lagoa – Rio de Janeiro/RJ

São Paulo – 29 de setembro
Casa do Saber
Rua Doutor Mario Ferraz, 414 – Jardins – São Paulo/SP

14h – Como os livros independentes vão transformar o futuro da edição
Mark Coker, CEO e fundador da Smashwords

15h – A impressão digital e o futuro do livro
Luis Umani Iglesias
Diretor de divisão Indigo Brasil da HP

16h – Mesa: Os vários futuros do livro
Cezar Taurion
Gerente de Novas Tecnologias da IBM Brasil

Claudio Soares
E-publisher da Singular Digital

Ricardo Neves
Consultor e autor do livro Ruptura

Lula Vieira
Diretor de Marketing da Ediouro

Roberto Cassano
Diretor de Estratégia da Frog

Rodrigo Velloso (apenas em SP)
Google

Mark Coker

Luis Iglesias

Por Maria Fernanda Rodrigues | Publicado originalmente em PublishNews | 24/09/2010

Fliporto celebra cultura digital


Arte, ciência e tecnologia marcam a quarta edição do polo virtual da Festa Literária Internacional de Pernambuco

Pioneirismo, interatividade e democratização no acesso ao meio virtual. Com este propósito, nasceu, em 2006, a Fliporto Digital, este ano instalada na Biblioteca Pública de Olinda. De 12 a 15 de novembro, promovida pela VI Festa Literária Internacional de Pernambuco [Fliporto], Olinda irá abrigar o polo tecnológico da Fliporto. O objetivo é divulgar e valorizar obras literárias, seus escritores virtuais e demais interessados no ramo digital. A abertura do quarta edição da Fliporto Digital será feita pelo curador da Fliporto, o escritor Antônio Campos, com a exposição virtual e interativa “Olinda, Traços do Passado, Cores do Presente”.

De acordo com a professora de Literatura Brasileira e coordenadora da Fliporto Digital, Cláudia Cordeiro, o polo possui um diferencial em relação a outros eventos da mesma área. “Não se trata de tecnologia só por tecnologia. É o uso dela em apoio à arte, em especial à arte literária. A partir das oficinas oferecidas na Fliporto Digital, vamos possibilitar que os escritores virtuais possam editar e comercializar seus e-books. O conhecimento oferecido por este polo não é só abstrato, é algo que pode ser utilizado na prática”, explicou a coordenadora.

Esta edição irá trazer duas oficinas de WEB 2.0, sendo uma direcionada para escritores virtuais, que desejam editar e comercializar seus e-books, e a outra voltada para a edição de vídeos. A abertura das palestras que acontecerão durante a Festa serão feitas pelo cientista-chefe do Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife [C.E.S.A.R], Silvio Meira, com a exposição sobre “Mídia Social”. Membro da Academia de Letras do Distrito Federal, o escritor Antônio Miranda será o mediador, falando sobre “Direitos Autorais e Internet”.

No penúltimo dia de palestras, será a vez da jornalista Silvia Valadares, que irá expor as problemáticas e benefícios da junção entre “Jornalismo e Internet”. Por fim, o especialista em Tecnologia da Informação [TI], Manoel Veras, encerrará o ciclo de palestras da Fliporto Digital com a exposição sobre “Tecnologia e Comunicação”. Para democratizar o acesso ao conteúdo e divulgar as ações promovidas pela Festa, a Fliporto Digital fará a transmissão, ao vivo, da programação literária e suas videoconferências.

Interatividade – Este ano, a Fliporto Digital contará com dois espaços direcionados para exposições interativas. Em um deles, será possível folhear, virtualmente, e-books. No outro, haverá exibição de fotos da cidade de Olinda feita a partir de um computador HP touch, que possibilita a interação com o meio virtual através do toque e projeta, em telões, as imagens selecionadas pelo contato manual. Os e-books disponíveis durante o evento serão “Os cem melhores do TOC140”, de Clarice Lispector, “Uma geografia fundadora”, do curador Antônio Campos, e “Pernambuco, Terra da Poesia”, escrito por Antônio Campos e Cláudia Cordeiro.

Democratização – Grandes nomes da arte, ciência e tecnologia irão dividir seus conhecimentos com o público da Fliporto através de palestras e oficinas. Entre os palestrantes, Antônio Miranda, Sílvio Meira, Manoel Veras e Silvia Valadares. Os participantes do evento também poderão participar das oficinas WEB 2.0 e a WEB 2.0 para escritores, ministradas por Lídia Freitas e Izabel Grizzi, diretoras do setor técnico da Microsoft em Pernambuco. Serão duas turmas, com 15 alunos, cada, para as oficinas.

Pioneirismo – O estande do Mix Leitor D será o local da Festa onde os antenados em tecnologia poderão conhecer o primeiro leitor eletrônico nacional de livros. Ele ficará disponível ao público durante os quatro dias da Fliporto no mesmo ambiente do polo tecnológico. As transmissões, ao vivo, da Festa e as inscrições gratuitas para a oficina WEB 2.0 serão feitas pelo http://www.fliporto.net. A oficina é voltada para interessados no mundo tecnológico e escritores virtuais.

Serviço
Biblioteca Pública de Olinda
Av. Liberdade, 100 – Carmo
Fone: +55 81 3305-1157

Olinda Digital
Rua Manuel Borba, 270 – Umurama
Fone: +55 81 2128-3800

Fliporto Digital

Curso virtual para livreiros


O Centro Regional para Fomento do Livro na América Latina e Caribe [Cerlalc] realiza, de 4/10 a 19/11, o curso “A livraria como espaço cultural”, com objetivo de fortalecer esse mercado, aumentando o público leitor e, com isso, impulsionar as vendas. O curso não tem restrição de horário, já que será totalmente virtual. Basta dedicar duas horas diárias, ou dez horas semanais, de acordo com a possibilidade de cada participante.
As inscrições vão até 28/9. Para saber mais, acesse aqui.

Revista do Observatório do Livro e da Leitura | 24/09/2010