Pedro Herz faz hoje palestra sobre o livro eletrônico


Proprietário da Livraria Cultura, o empresário oferece o seminário “O Livro Eletrônico e o Futuro do Livro” na Academia Paulista de Letras [largo do Arouche, 312/324; tel. 0/xx/11/3331-7222; hoje, às 17h; grátis].

Herz irá abordar as novas possibilidades e desafios do mercado editorial. Outro tema será a transformação que as novas tecnologias provocam no hábito de leitura.

Durante a palestra, Herz também irá demonstrar para a plateia como funcionam os iPads e outros leitores digitais. A sessão é aberta ao público e terá duração de uma hora.

Folha de S. Paulo | 16/09/2010

Empresa alemã promove seminário sobre digitalização


Vai à Frankfurt e está perdido com tantas opções de palestras? No dia 6 de outubro, das 12h30 às 13h30, a Klopotek vai promover um seminário sobre digitalização chamado “Processos padronizados de workflow para publicação digital”, que pretende mostrar como a empresa pode ajudar as editoras a racionalizar seus processos e economizar tempo e dinheiro. A inscrição custa 30 euros se feita on-line ou 50 euros na hora. O seminário será realizado no Hall 4 – Sala C [Entente], em inglês.

PublishNews | 16/09/2010

Sony revela novo protótipo de papel eletrônico flexível


Japão: Uma nota publicada no site “Sony Insider” revela uma das novidades apresentadas pela empresa japonesa em seu evento anual direcionado ao varejo: um novo modelo de papel eletrônico. Este novo protótipo é feito de substrato de plástico, mais leve e flexível do que o comumente usado substrato de vidro.

Outra vantagem do uso do substrato de plástico é sua maior resistência, reduzindo a chance do mesmo se quebrar em caso de queda. A Sony não mencionou quando esta tecnologia será implementada em seus leitores eletrônicos, mas reforça que este será o foco principal do produto.

O Globo | 16/09/2010

iPad impulsiona livros digitais


Os gráficos coloridos e os vídeos são elementos decisivos para que o iPad da Apple e outros tablets deem um impulso à era dos livros digitais.

Os analistas dizem que, ao contrário do Kindle, da Amazon — tido como uma ferramenta educativa –, o iPad pode reproduzir vídeos e ilustrar gráficos e desenhos coloridos. Ele também permite acrescentar notas facilmente, pode receber atualizações e ter textos integrados à exercícios.

Se eu tivesse a possibilidade de comprar todos meus livros em formato eletrônico, eu o faria”, disse Alexis Chavez, de 22 anos, estudante da Universidade de Arizona. “Simplesmente é mais fácil levar um iPad do que ter uma pilha de livros na mochila”, aponta.

A crescente aceitação da distribuição digital no mercado de livros universitários — até então bloqueado pela falta de uma plataforma adequada –, terá consequências importantes para as principais editoras, como Pearson PLC, Cengage Learning e McGraw-Hill Companies .

Os editores podem evitar imprimir e eviar, diz o analista da Morningstar, Michael Corty. Mas também poderiam fazer uma pressão para manter os preços, já que tentam atrair os pioneiros da tecnologia e competir com ofertas gratuitas na web.

As vendas globais de livros digitais devem crescer 4% este ano, e 13% em 2013, de acordo com a SimbaInformation.

O que os tablets precisam fazer é facilitar a leitura para os estudantes e proporcionar uma melhor experiência”, disse a analista da Simba, Kathy Mickey.

REUTERS | 16 de setembro de 2010 | 15h17 | Link do Estadão