Vendas de e-books ultrapassam as de livros com capa dura na Amazon


A Amazon, fabricante do leitor eletrônico Kindle, afirmou que as vendas de títulos para o e-reader ultrapassaram as vendas de livros com capa dura na livraria on-line pela primeira vez.

Alcançamos um ponto com o novo preço do Kindle – o crescimento das vendas unitárias do Kindle triplicou desde que baixamos o preço de US$ 259 para US$ 189“, disse o executivo-chefe da Amazon, Jeff Bezos, em comunicado.

Vendas de títulos para o e-reader ultrapassaram as vendas de livros impressos pela primeira vez, diz Amazon

Além disso, mesmo com as vendas dos nossos livros impressos continuarem crescendo, o formato do Kindle é agora superior ao formato impresso. Consumidores da Amazon agora compram mais livros do Kindle do que livros impressos – assombroso quando você considera que vendemos livros impressos por 15 anos, e livros do Kindle por 33 meses“, afirmou.

Nos últimos três meses, 143 livros para Kindle foram vendidos para cada cem livros com capa dura. O total das vendas de e-books triplicou da primeira metade de 2009 para a segunda de 2010.

Folha.com | Tec | 19/07/2010 – 18h51

iPad, supérfluo irresistível


Confira as impressões de Cora Rónai

Finalmente consegui passar um tempo com um iPad. É de fato um brinquedinho sensacional, um iPhone que tomou fermento, cresceu e agora tem uma tela sensacional de quase dez polegadas. Li nele dois capítulos de um livro [para isso o Kindle é melhor], joguei joguinhos, vi fotos e vídeos e só não surfei a web porque estamos no sítio com um WiFi pra lá de limitado, mas não é difícil de imaginar que esta talvez seja a maior de suas vocações. Gostei muito dele, mas meu júri interno ainda está reunido e não conseguiu chegar a uma decisão bem fundamentada se preciso ou não de um. Para começo de conversa, tenho um Vaio peso pluma com tela de 11”, que uso muito como máquina multimídia quando viajo. O iPad e ele têm a mesma largura. O peso dos dois não é muito diferente na mão. O que os faz animais distintos é, claro, o fato que um é um tablet, ao passo que o outro é um notebook clássico. Para carregar na bolsa, para usar deitada na rede ou na sala de espera do dentista, o iPad, com uma superfície só, é muito mais prático do que o notebook. Fiquei pensando onde o iPad se encaixaria na minha configuração. O iPad pode vir a ser a máquina ideal de quem saiu de um smartphone sem necessariamente passar por um computador; ou um brinquedo a mais para quem já tem todos os brinquedos com tomada de que precisa.

O Globo | 19/07/2010 | Cora Rónai