ABDR promove caça a piratas digitais


A reprodução de obras literárias pela internet sem autorização das editoras, a chamada pirataria digital, está adquirindo tanta importância para o mercado livreiro que levou a Associação Brasileira de Direitos Reprográficos [ABDR] a uma caça a seus responsáveis.

Desde agosto do ano passado, quando a ação teve início, a ABDR já encontrou cerca de 40 mil links nos quais era possível baixar o conteúdo integral de obras literárias.

Mais de 90% deles foram retirados da rede após a notificação extrajudicial da ABDR. O balanço do primeiro semestre de 2010, em que 24.365 links foram encontrados, apurou os maiores prejudicados: a editora GMT, com 3.060 links, seguida pela Saraiva e Record, com 1.973 e 1.537 endereços, respectivamente.

O Estado de S. Paulo | Negócios | N2 | 12/07/2010