DC Comics detalha pagamento sobre vendas de HQs digitais


Segundo Rich Johnston, do site Bleeding Cool, a DC Comics divulgou alguns detalhes do plano de pagamento sobre vendas de HQs digitais. O anúncio foi feito aos artistas e escritores que trabalham para a DC Comics por meio de uma carta assinada por Jim Lee e Dan DiDio. Na carta, Lee e Didio informam que todos os artistas envolvidos receberão alguma forma de compensação, mas a descrição dos detalhes não inclui os coloristas e letristas. Escritores e desenhistas receberão 5% sobre a receita líquida da venda online de seus trabalhos, como compensação adicional. Os arte-finalistas receberão 3% da receita líquida. Autores com controle sobre os direitos autorais sobre suas HQs receberão 3% da receita líquida como royalties.

Universo HQ | 07/07/2010 | Sérgio Codespoti

James Patterson bate a marca de 1 milhão de e-books


E-books em inglês e em alemão também podem ser comprados na Livraria Cultura e na Saraiva

James Patterson é o primeiro autor a alcançar a marca de 1 milhão de e-books vendidos. De acordo com a Hachette Book Group, Petterson vendeu exatos 1.141,273 e-books e se tornou o primeiro romancista a superar o primeiro milhão de e-books vendidos. No Brasil seus últimos livros, entre eles Dupla cilada para Cross e 2ª chance, foram editados pela Rocco e lançados na versão impressa.

PublishNews | 07/07/2010

Borders lança livraria eletrônica e quer alcançar rivais


A livraria eletrônica do Borders Group entrou em operação nesta quarta-feira [7], e o responsável pelas operações de varejo de livros da empresa previu que ela rapidamente recuperaria seu atraso com relação aos rivais e conquistaria uma fatia do setor de livros eletrônicos, que cresce rapidamente.

O lançamento surgiu nove meses depois que a Barnes & Noble lançou seu leitor eletrônico Nook, e três meses depois que a Apple introduziu seu popular computador tablet iPad, o que permitiu a ambas as empresas, bem como à Amazon.com, que vende o leitor eletrônico Kindle, obter grande vantagem inicial sobre a Borders.

A companhia precisa urgentemente conquistar uma fatia do negócio de livros eletrônicos: as vendas em suas superlivrarias e em seu site caíram em 11,4% no primeiro trimestre, o mais recente declínio em uma longa sequência.

Mas Mike Edwards, o presidente da Borders Inc., a principal unidade operacional do grupo, disse que sua empresa não estava em desvantagem.

Nós conquistaremos mercado assim que ativarmos o serviço“, disse Edwards à Reuters em entrevista na semana passada.

Edwards disse que a Borders, a segunda maior cadeia norte-americana de livrarias por faturamento, tem dados e endereços de e-mail de 38 milhões de consumidores em seu programa de fidelidade, e conta com cerca de 700 lojas nas quais pode promover sua livraria virtual, o que segundo ele a ajudará a recuperar rapidamente o atraso.

A Borders anunciou que sua loja de livros eletrônicos terá 1,5 milhão de títulos em oferta, o que incluirá livros gratuitos. A Amazon informa oferecer 620 mil livros e outros 1,8 milhão de livros gratuitos cujos direitos autorais já expiraram, e a Barnes & Noble diz ter um milhão de títulos à venda.

Edwards, que estimou que a Borders controla cerca de 15% do mercado físico de livros nos Estados Unidos, afirmou que a companhia deve conquistar porção semelhante das vendas de livros eletrônicos.

No momento, cerca de 5% das vendas da Borders, incluindo livros físicos comprados on-line, são realizadas em seu site, o que representa US$ 100 milhões em faturamento este ano.

Edwards disse que as vendas on-line dispararam devido a melhorias no site.

Folha.com | 07/07/2010 | 17h34 | DA REUTERS, EM NOVA YORK

Dez sites para os fanáticos por livros


Ela levou um pouco mais de tempo do que a música e o cinema para ser distribuída online, porém, como as outras artes, a literatura ganhou sites e redes sociais especificas para os seus aficionados.

Por aqui, os leitores contam com duas redes sociais exclusivas, onde podem compartilhar informações sobre obras e seus autores, além de sites para a compra e o escambo de exemplares. Confira nossa relação de dez sites para os fanáticos por livors.

1 – Skoob

Rede social voltada para os amantes da leitura, o site permite fazer buscas por obras, autores e editoras.Também possibilita pesquisar quais usuários já leram as obras, as notas que eles deram a elas, comunidades e outros livros relacionados. Conta com 165.546 usuários, segundo o site.

http://www.skoob.com.br

2 – O livreiro

Lançado durante a Festa Literária Internacional de Parati (Flip) do ano passado, a rede social permite aos seus usuários cadastrar os livros lidos, escrever resenhas, e criar comunidades sobre os autores. Também conta com a participação de escritores. O layout é intuitivo, o que facilita a navegação. Conta com 85 mil membros.

http://www.olivreiro.com.br

3 – Goodreads

Serviço parecido com o O Livreiro e com o Skoob, porém, em inglês. Permite pesquisar pelos mais populares, melhores do século, mais lidos na semana etc. Em um de seus serviços mais interessantes, é possível pesquisar citações dos autores presentes nas obras.

http://www.goodreads.com

4 – We Read

Também no formato de rede social, o site permitir pesquisar por autores e livros e suas resenhas relacionadas. Também conta com um acervo de 58 mil livros digitais disponíveis para a leitura. Possui integração com orkut, Facebook, Hi5 e MySpace.

http://weread.com

5 – Google Books

Site do gigante das buscas para a pesquisa de livros. Permite encontrar reviews, capas, obras relacionadas e referências. Também oferece links para a compra de exemplares em lojas virtuais.

http://books.google.com

6 Visual Bookshelf

Esse aplicativo para o Facebook permite ao usuário cadastrar os livros os quais ele já leu e aqueles os quais ele está lendo no momento. Também possibilita a criação de uma estante virtual com os exemplares para ser colocada na página inicial do perfil. Conta com 548 mil usuários cadastrados.

http://bit.ly/14WR71

7 – 22books

Indicado para quem gosta de criar listas. O Site permite elaborar uma relação com o título, a capa e comentários sobre a obra, para serem publicadas em redes sociais, sites e blogs. A temática é livre e fica ao gosto do usuário.

http://www.22books.com

8 – Estante Virtual

O Estante Virtual é um site que conta com 6,8 milhões de livros cadastrados, espalhados em sebos por todo o Brasil. Após realizar a busca, o usuário pode fazer contato com o livreiro via telefone ou via site. Possui 1 749 vendedores cadastrados. É o maior sebo online do país.

http://www.estantevirtual.com.br

9 Trocando Livros

Indicado para os usuários interessados em realizar trocas de exemplares. Após enviar um livro para um colega, a pessoa ganha um crédito, que pode ser usado para solicitar uma outra obra cadastrada no acervo. Conta com mais de 20 000 títulos, segundo o site.

http://www.trocandolivros.com.br

10 – Clube de Autores

Indicado para escritores que desejam publicar seus livros de forma independente, o site trabalha com o sistema de impressão sob demanda. O autor faz o upload da obra e o site a coloca à venda. Toda vez que é uma compra é realizada, o serviço ordena a impressão do exemplar. O autor fica com parte dos lucros.

http://www.clubedeautores.com.br

INFO Online | Blogs | Geek List | Por Vinicius Aguiari | 7 de Julho de 2010 | 16:42

Sony também reduz preços de leitores eletrônicos


A Sony tornou mais leves seus leitores eletrônicos, que passaram a contar com controle de toque: ele usa sensores infravermelhos para ler movimentos dos dedos do usuários e canetas stylus. As três novas versões da linha ''Reader'' também oferecem tela maior e mais clara. Preço sugerido: US$179

A Sony reduziu o preço de seus leitores eletrônicos, aderindo à guerra travada entre as concorrentes Amazon e Barnes & Noble. No site da Sony, a versão Daily do leitor foi reduzida de US$ 349,99 para US$ 299,99 – cerca de R$ 528 – enquanto a Touch caiu de US$ 249,99 para US$ 169,99 – R$ 300 -, e o modelo de bolso teve queda de US$ 169,99 para US$ 149,99 – R$ 265.

Na semana passada, a Amazon reduziu o preço do seu leitor mais caro, o Kindle DX, de US$ 489 para US$ 379. Uma semana antes, a empresa havia diminuído o valor do modelo mais barato para 189 dólares, algumas horas após a rede de livrarias Barnes & Noble reduzir o preço do Nook a US$ 199.

A guerra de preços acontece enquanto os fabricantes de leitores eletrônicos se antecipam à concorrência com o iPad, da Apple, que também pode ser utilizado para este fim. Com valor a partir de US$ 499, o iPad possui tela colorida e pode ser utilizado ainda para jogos e navegação na internet.

Reuters | 07 de julho de 2010 • 12h46