Smashwords e Singular se unem para distribuição de e-books


Smashwords, líder em publicação e distribuição de ebooks, e Singular Digital, principal provedor de Impressão sob Demanda e Serviços de Publicação Digital, firmam parceria para publicação e distribuição de ebooks para autores e editoras Brasileiras e Norte-Americanas.

Esta era digital da publicação de livros proporciona aos autores e editoras a oportunidade de atingir mercados globais. Por meio da impressão sob demanda e ebooks, não há mais barreiras para entregar conteúdo em todo mundo”, diz Newton Neto, Diretor da Singular. “Queremos construir o maior catálogo de livros digitais em Português”, continua.

A Smashwords publica 1.000 novos ebooks todo mês. Este conteúdo estará disponíveis nas lojas de ebooks do Brasil. O livro digital representa uma ótima oportunidade para melhorar a rentabilidade das editoras com a impressão sob demanda e aumentar a base de leitores com os ebooks. A Singular vai trazer todo conteúdo e a plataforma da Smashwords para o mercado brasileiro.

Haverá uma integração entre o Universo do Autor [www.universodoautor.com.br] e a Smashwords. Com isso, os autores Brasileiros terão seus livros vendidos em todo mundo.

Autores independentes e editoras poderão se beneficiar de uma completa solução digital de publicação de livros, que inclui distribuição global com Impressão sob Demanda e ebooks.

Ebooks representam o segmento que mais cresce no mercado do livro atualmente. De acordo com o Fórum Internacional de Publicação Digital, as vendas no varejo de ebooks nos Estados Unidos cresceram 261% em comparação com o mesmo mês do ano anterior.

Milhares de autores e editoras ao redor do mundo estão contribuindo com o crescimento de ebooks ao usar plataformas como as da Smashwords e Singular Digital para publicar e vender seus trabalhos a uma audiência global.

Sobre a Smashwords, Inc. – Lançada em 2008, a Smashwords opera um plataforma líder de publicação e distribuição de ebooks servindo autores, editoras, leitores e livreiros. A Smashwords torna grátis e simples para qualquer autor ou editora, de qualquer parte do globo, publicar e distribuir ebooks em diversos formatos. A Smashwords coloca autores e editoras em controle total dos preços, experimentação e distribuição de suas obras. Autores e editoras recebem até 85% das receitas liquidas com as vendas de suas obras. A Smashwords possui acordos de distribuição com Apple, Barnes&Noble, Sony e Amazon e leitores digitais como Stanza, Kobo, Aldiko, FBReaber e Word-Player, atingindo também plataformas móveis como Android, Blackberry e iPhone. A Smashwords é sediada em Los Gatos, Califórnia, podendo ser encontrada na web em http://www.smashwords.com/.

Singulardigital | 06/07/2010

O Livro eletrônico e suas implicações jurídicas


Aulas serão ministradas por Gilberto Mariot, editor e advogado militante na área de Propriedade Intelectual

A Escola do Livro, da Câmara Brasileira do Livro [CBL] organiza nos dias 15 e 16 de julho, das 9h às 15h, curso sobre “O Livro eletrônico e suas implicações jurídicas”. O novo eixo da discussão sobre a nova tecnologia é a sua legislação. Por isso, o curso da Escola do Livro discutirá a questão autoral [contratos]; a questão fiscal [tributos]; e a questão penal [contrafação e pirataria]. A iniciativa irá ainda esclarecer conceitos e tirar dúvidas sobre o direito do autor, as primeiras convenções internacionais e a legislação brasileira, e o dilema do direito de autor frente às novas tecnologias.As aulas serão ministradas por Gilberto Mariot, editor e advogado militante na área de Propriedade Intelectual. Informações e inscrições pelo e-mail escoladolivro@cbl.org.br ou pelo telefone 11- 3069-1300.

CBL Informa | 06/07/2010

Sony corta preço de e-reader nos Estados Unidos


Sony Reader

A Sony cortou os preços da sua linha de leitores de livros eletrônicos nos Estados Unidos, segundo reportou o site da revista PC World.

A empresa enfrenta competição com empresas como Amazon.com e Barnes & Noble, que também cortaram valores recentemente.

Ainda de acordo com a “PC World”, o preço do modelo mais barato de e-reader da Sony caiu de US$ 170 para US$ 150.

Com o lançamento do iPad, da Apple, em abril, o mercado de e-readers reagiu.

CORTES

A Amazon seguiu a tendência iniciada pela sua concorrente, a Barnes & Noble, e cortou o preço do seu e-reader, Kindle. O preço foi de US$ 259 para US$ 189.

A medida segue o anúncio da Barnes & Noble. A maior livraria dos Estados Unidos em volume de vendas lançou uma versão do seu e-reader Nook, compatível apenas com redes Wi-fi, a US$ 149, e reduziu o preço do aparelho 3G, lançado em outubro, para US$ 199.

Folha Online | 06/07/2010 | 18h12

Gato Sabido fecha parceria com mais duas editoras e divulga vencedores de concurso


Títulos da Editora Pallas e Pensamento-Cultrix já estão na eBookstore

A Gato Sabido, primeira eBookstore brasileira, acaba de fechar parceria com mais duas editoras: Pallas e Pensamento-Cultrix. Outra novidade da livraria foi a realização, em parceria com a Ficções Editora, do 1º Concurso de E-Contos. Os 40 melhores contos serão reunidos e editados em um e-book e lançado na Bienal Internacional do Livro de São Paulo, em agosto, com o título E-Contos. Os cinco primeiros colocados foram Renata Caroline Penzani, Luís Pimentel, Thiago Emanuel Luzzi Galvão, Alexandre Silveira Salles e Rui Werneck de Capistrano. Confira os outros 35 selecionados. Para ler o texto que conquistou o primeiro lugar – e um leitor Cool-er, clique aqui.

PublishNews | 06/07/2010

Kindle? iPad? Ainda é mais rápido ler em um livro de papel


Apesar de toda a novidade tecnológica, livros de papel se saíram melhor no teste. Foto: Getty Images

Criado para ser muito mais do que um leitor de livros eletrônicos, o iPad ainda assim foi mais rápido do que o e-reader Kindle em um teste da empresa Nielsen Norman Group. Mas o campeão de rapidez na leitura não é eletrônico. Foi um livro de papel.

Vinte e quatro pessoas leram o mesmo conto do escritor americano Ernest Hemingway usando os dois dispositivos eletrônicos e também um livro. O estudo não revela qual foi o conto, mas afirma que o escritor foi escolhido por usar linguagem acessível à média de leitores e oferecer um texto “agradável”. Os participantes foram escolhidos entre leitores de ficção.

Na pesquisa, os leitores que usaram o iPad levaram 6,2% mais tempo para terminar a história do que quem leu o livro. Já o Kindle se mostrou 10,7% mais lento. Ao final, os participantes tiveram de que dar uma nota de 1 a 7 a cada meio de leitura. Na média, o livro recebeu nota 5,6; o Kindle, 5,7; e o iPad, 5,8.

Eles [os leitores] não gostaram do iPad ser tão pesado e do Kindle mostrar as letras de um jeito um pouco cinzento“, diz Jakob Nielsen, que coordenou a pesquisa. “As pessoas não gostam da falta de uma paginação verdadeira [física, como no livro] e preferem a maneira com que o iPad – na verdade um aplicativo, o iBook – indica a quantidade de texto que falta em um capítulo“.

Por fim, a pesquisa decreta: “Nós não podemos dizer ao certo qual dispositivo [entre os eletrônicos] oferece a maior velocidade de leitura. Mas nós podemos dizer que os tablets ainda não superam o livro impresso“.

A pesquisa, em inglês, pode ser lida aqui.

Portal Terra | 06 de julho de 2010 • 17h26