Mais de 5 milhões de e-books vendidos pela Apple


Novo iPhone será integrado aos outros aparelhos da Apple

Mais de 5 milhões de e-books foram baixados através da iBookstore da Apple desde que o iPad foi lançado nos Estados Unidos há 10 semanas, informou a empresa. Na apresentação do iPhone 4, Steve Jobs disse: “Cinco ou seis das maiores editoras americanas nos dizem que a parcela de vendas dos iBooks está em 22% do total – em cerca de 8 semanas!”. Há mais de 60 mil títulos disponíveis na iBookstore. Entretanto, a maioria deles integra o Projeto Gutenberg e não tem direitos autorais envolvidos. Jobs também anunciou que o iPhone 4 terá acesso ao aplicativo iBooks, o que quer dizer que usuários poderão ler o mesmo livro no iPad, iPhone ou iPod Touch. Confira a reportagem original em inglês.

The Bookseller – 08/06/2010 – Catherine Neilan

Editora lança e-book sobre Michael Jackson um ano após morte


Michael Jackson durante ensaio do show "This is It" dois dias antes de sua morte

A editora digital FastPencil lançou um e-book para lembrar o aniversário de um ano da morte do cantor Michael Jackson.

O livro, cujo título é “What Really Happened to Michael Jackson, the King of Pop: The Evil Side of the Entertainment Industry” [“o que realmente aconteceu com Michael Jackson, o rei do pop: o lado malvado da indústria do entretenimento”, em tradução; ainda sem previsão de lançamento no Brasil], narra a trajetória de ascensão do astro, polêmicas com tabloides, até a possível tese conspiratória de que Jackson foi assassinado.

Leonard Rowe, autor do e-book, é produtor de shows e amigo de longa data da família Jackson. Ele estava trabalhando no último projeto que o cantor preparava antes de morrer, a turnê “This is It”.

O livro está disponível por US$ 9,99. Para adquiri-lo, basta ir ao site da editora, cujo endereço é fastpencil.com.

Jackson morreu no dia 25 de junho, aos 50 anos. Os legistas atestaram que a morte foi por homicídio, devido a grande quantidade de analgésicos ingeridos. Conrad Murray, médico pessoal do astro, é tido como principal suspeito, e deve ter uma audiência em agosto nos EUA.

Folha Online | Tec | 8/06/2010 | 15h42

Livro eletrônico começa a mudar indústria


Auto-publicação já ameaça o Mercado editorial

A escritora Karen McQuestion passou quase dez anos tentando convencer algum editor nova-iorquino a publicar seus livros. Aí, em julho, McQuestion, de 49 anos e mãe de três filhos, decidiu publicar por conta própria na internet. Onze meses depois, McQuestion já vendeu 36 mil livros eletrônicos para o Kindle e tem uma opção para um filme com um produtor de Hollywood. Em agosto, a Amazon publicará uma versão impressa de bolso de A Scattered Life, seu primeiro romance. Autores como McQuestion estão na vanguarda de uma reviravolta tecnológica que está enfraquecendo o tradicional controle das editoras sobre o mercado literário e aumentando o poder de empresas de tecnologia como a Amazon, que passaram a determinar quais livros e autores vão dar certo. Por trás dessa mudança está a popularidade crescente dos livros eletrônicos. As vendas americanas de livros caíram 1,8% no ano passado, para US$ 23,9 bilhões, mas as de e-books triplicaram, para US$ 313 milhões, segundo a Associação de Editores Americanos. Alguns analistas calculam que as vendas de livros eletrônicos podem chegar a compor entre 20% e 25% do mercado de livros em 2012.

Valor Econômico | 08/06/2010 | Publicado originalmente em The Wall Street Journal – G. A. Fowler e J. A. Trachtenberg