Penguin em paz com a Amazon


Os diretores da Penguin, David Shanks e Susan Petersen Kennedy, informaram que a empresa chegou a um acordo com a Amazon.com quase dois meses depois de lançado o modelo de agência e da abertura da iBookstore da Apple. Os e-books da editora lançados depois de 1º de abril, os quais a Amazon se recusou a vender até agora, estão sendo incluídos no site da Amazon [isso deve ser concluído em alguns dias]. Presumidamente, todos os títulos da Penguin receberão novo preço como reflexo do modelo de agência.

No exterior, a Apple começou a lançar versões da iBookstore, mas até hoje, de acordo com o The Bookseller, só os livros de domínio público estavam disponíveis na da Inglaterra. De volta aos Estados Unidos, as editoras não precisam mais esperar um convite da Aplle para vender seus livros diretamente para ela. Isso pode ser feito pelo iTunes Connect e, para tal, basta ter um ISBN e o arquivo em ePub.

PublishersLunch – 27/05/2010

Sony anuncia e-reader para o Japão


Foto: Brendan McDermid/Reuters

A Sony anunciou nesta quinta-feira, 27, que lançará um leitor eletrônico e um serviço online de distribuição de conteúdo no Japão antes do final do ano, para enfrentar a rival Apple, cujo iPad chegará ao país na sexta-feira, 28.

A companhia anunciou que também planeja lançar operações de livros eletrônicos na China, Austrália, Espanha e Itália este ano.

O Sony Reader, leitor eletrônico da empresa que concorre com o Kindle, da Amazon, e o Nook, da Barnes & Noble, está disponível nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Áustria, Suíça e Holanda.

A estreia do iPad, um sistema que também funciona como leitor eletrônico, deve estimular o mercado ainda pequeno no Japão, que o Chimera Research Institute prevê que dobrará para cerca de US$ 1 bilhão em quatro anos.

A Sony formou uma parceria com a operadora de telecomunicações KDDI, com a editora Toppan Printing e com o jornal Asahi Shimbun para estabelecer uma companhia de planejamento que preparará o serviço, o qual oferecerá livros, revistas, quadrinhos e jornais.

Perguntada sobre o intervalo entre o lançamento do iPad no Japão e o de seu sistema de distribuição de conteúdo, a Sony afirmou que o crescimento do volume de conteúdo disponível é mais importante que o momento de chegada ao mercado.

Um projeto de livros eletrônicos não faz sucesso se não chegar ao mercado com conteúdo suficiente, em termos de quantidade e de qualidade. É preciso primeiro construir o sistema, para garantir isso”, disse Fujio Noguchi, vice-presidente sênior da Sony Electronics, em entrevista coletiva. “Não creio que tenhamos um grande atraso.

Ainda que a companhia de planejamento conte com participações iguais da Sony, KDDI, Toppan e Asahi, o negócio de distribuição de conteúdo estará aberto à adesão por outras empresas, e haverá múltiplos tipos de terminais de leitura eletrônica vindos de diferentes companhias, segundo a Sony.

A nova empresa operacional oferecerá conteúdo para o iPad ou Kindle? Não me cabe decidir. Mas o sistema será aberto. Não nego a possibilidade”, disse Noguchi.

Link Estadão | 27 de maio de 2010 | 17h40 | Reuters

Acer vai lançar novo e-reader com Android


Presidente da Acer, Gianfranco Lanci, revelou o protótipo de tablet da companhia

O presidente da Acer, Gianfranco Lanci, revelou o protótipo de tablet da companhia, em um momento no qual Dell e Sony também informaram que vão lançar os seus computadores portáteis. A demonstração foi feita nesta quinta-feira [27].

O tablet da Acer, cujo nome é LumiRead, vai rodar com Android, sistema operacional do Google, e tem uma tamanho equivalente a 7 polegadas. A companhia não informou quando o dispositivo será lançado, tampouco o custo.

O e-reader pesa 290 gramas, tem tela de 6 polegadas mais teclado e um scanner com código de barras que pode ler números de série em livros físicos, a fim de procurá-los em lojas on-line.

O dispositivo terá conexões 3G e Wi-Fi, além de um browser capaz de converter conteúdo da rede em formato e-book, e também permitirá compartilhar e-books e audiobooks com outros computadores e e-readers da Acer.

A companhia deve anunciar o nome da empresa que desenvolveu o browser para o dispositivo na semana que vem.

Folha.com | 27/05/2010-16h41

Justiça da China aceita ação de romancista contra Google


Um tribunal de Pequim aceitou julgar a ação que um romancista chinês Mian Mian moveu contra o Google depois que a empresa americana escaneou e publicou uma obra sua na internet.

O advogado do escritor confirmou, nesta quinta-feira [27] que entrou com o pedido em outubro, quando o autor descobriu que o Google Books – a aplicação para livros do gigante de internet – tinha em seu diretório o romance “Acid House”, de sua autoria.

O escritor contatou o Google, que retirou a obra de seus servidores, mas as duas partes não chegaram a ser colocadas de acordo para uma compensação econômica.

Agora, Mian Mian exige um pedido de desculpa público da Google pela violação de seus direitos autorais e reivindica uma compensação econômica de 61 mil iuanes [US$ 8,9 mil] pelos danos causados.

O advogado afirmou que o autor de “Acid House”, cuja idade é 29 anos, não é o único escritor que enfrentou o Google e não descarta que outros romancistas movam ações similares.

Folha.com | 27/05/2010-13h19 | DA EFE, EM PEQUIM

ONG anuncia “iPad popular” por R$ 180


Aparelho vai permitir que alunos baixem livros pela internet

Aparelho produzido pela Marvell que deve servir de referência para o tablet da OLPC. Foto por Divulgação

A organização Um Laptop por Criança [OLPC, em inglês], que surgiu com a promessa de oferecer computadores portáteis pelo equivalente a R$ 180 [US$ 100] mas nunca conseguiu fabricar um aparelho a esse preço, agora está migrando para a onda dos tablets – pranchetas eletrônicas que ganharam destaque recentemente com o lançamento do iPad, da Apple.
De acordo com a revista Forbes, o produto deve ser apresentado em janeiro, na feira Consumer Electronics Show, que acontece em Las Vegas, e deve custar menos de R$ 180. O XO orginal, lançado em 2007, sai por cerca de R$ 310 [US$ 172].

A ONG fechou uma parceria com a empresa Marvell para desenvolver uma versão do OLPC XO, o aparelho que ficou conhecido como “laptop de US$ 100“. Em nota, a companhia diz que “a família de tablets XO vai incorporar elementos e novas funcionalidades baseados nas informações transmitidas por quase 2 milhões de pessoas e famílias em todo o mundo que já usam esse laptop“.

Uma das mudanças é que o teclado será sensível ao toque e terá variações adaptadas para várias línguas, o que deve ajudar as crianças em processo de alfabetização.

O produto também deve ser integrado a uma plataforma online que vai permitir que os estudantes criem conteúdo e o publiquem pela internet. Será possível acessar também 2 milhões de livros publicados na internet.

Publicado originalmente no portal R7 | 27/05/2010 às 12h16

Acer mostra seu tablet com Android e cara de e-reader


O tablet da Acer já era esperado e estava demorando para sair. Mas não se sabia como ele ia se parecer, e eis que fomos surpreendidos. O aparelho com teclado QWERTY se parece mais com seus primos, os e-readers, do que com seus irmãos, os tablets.

Ainda sem ter sido batizado, o tablet saiu do bolso de Gianfranco Lanci, CEO da Acer, em um evento em Dubai. Lanci não foi muito generoso na hora de dar detalhes, por isso só se pode falar ainda em uma tela de 7 polegadas, Android como sistema operacional e 3G na conectividade. O 3G não foi confirmado, porém é quase certo. Isso porque ele disse contar com as operadoras como canal de vendas, segundo a Shufflegazine.

O lançamento está previsto para o último trimestre no ano, isto é, a estratégia é fazer as pessoas aproveitarem o Natal para comprar.

O tablet, é claro, é sensível ao toque, vai rodar aplicativos do Android, livros, músicas e filmes, mas ainda tem cara de e-reader aperfeiçoado. Mesmo assim, essa pode ser uma jogada da Acer para agradar quem não se dá bem com o teclado virtual de um iPad, por exemplo. Ou então, a empresa simplesmente aproveitou a inspiração que teve para fazer o design de seus e-readers, como o LumiRead.

Também mostrado no evento, o LumiRead é a cara do tablet, só que com uma cor diferente. Tem tela monocromática de 6 polegadas, 2 GB de espaço interno e entrada para microSD. Chega no terceiro trimestre deste ano, lá fora.

Por Priscila Jordão | quinta-feira, 27 de maio de 2010, 11:40 | Gadgets INFO Blogs

Sony vai lançar leitor eletrônico no Japão para enfrentar Apple


A Sony anunciou na quinta-feira que lançará um leitor eletrônico e serviço on-line de distribuição de conteúdo no Japão antes do final do ano, para enfrentar a rival Apple, cujo tablet, o iPad, chegará ao país na sexta-feira.

A companhia anunciou que também planeja lançar operações de livros eletrônicos na China, Austrália, Espanha e Itália este ano.

Executivo da Sony mostra aparelho; lançamento deve ocorrer no Japão.

O Sony Reader, leitor eletrônico da empresa que concorre com o Kindle, da Amazon, e o Nook, da Barnes & Noble, está disponível nos Estados Unidos, Canadá, Reino Unido, França, Alemanha, Áustria, Suíça e Holanda.

A estreia do iPad, um sistema que também funciona como leitor eletrônico, deve estimular o mercado ainda pequeno no Japão, que o Chimera Research Institute prevê que dobrará para cerca de US$ 1 bilhão em quatro anos.

A Sony formou uma parceria com a operadora de telecomunicações KDDI, com a editora Toppan Printing e com o jornal Asahi Shimbun para estabelecer uma companhia de planejamento que preparará o serviço, o qual oferecerá livros, revistas, quadrinhos e jornais.

Perguntada sobre o intervalo entre o lançamento do iPad no Japão e o de seu sistema de distribuição de conteúdo, a Sony afirmou que o crescimento do volume de conteúdo disponível é mais importante que o momento de chegada ao mercado.

Um projeto de livros eletrônicos não faz sucesso se não chegar ao mercado com conteúdo suficiente, em termos de quantidade e de qualidade. É preciso primeiro construir o sistema, para garantir isso“, disse Fujio Noguchi, vice-presidente sênior da Sony Electronics, em entrevista coletiva. “Não creio que tenhamos um grande atraso.

Ainda que a companhia de planejamento conte com participações iguais da Sony, KDDI, Toppan e Asahi, o negócio de distribuição de conteúdo estará aberto à adesão por outras empresas, e haverá múltiplos tipos de terminais de leitura eletrônica vindos de diferentes companhias, segundo a Sony.

A nova empresa operacional oferecerá conteúdo para o iPad ou Kindle? Não me cabe decidir. Mas o sistema será aberto. Não nego a possibilidade“, disse Noguchi.

Folha.com | DA REUTERS, EM TÓQUIO | 27/05/2010-11h18

Pequim vai julgar processo de romancista contra Google


Um tribunal de Pequim, na China, aceitou julgar o processo que o romancista chinês Mian Mian moveu contra o Google depois que a empresa norte-americana escaneou e publicou uma obra sua na internet. Segundo confirmou nesta quinta-feira [27/05] à Agência Efe, o advogado do escritor disse que entrou com o pedido em outubro, quando o autor descobriu que o Google Books – a aplicação para livros do gigante de internet – tinha em seu diretório um romance chamado Acid House.

O escritor contatou o Google, que retirou a obra de seus servidores, mas as duas partes não teriam sido dispostas de acordo para uma compensação econômica. Agora, Mian Mian exige um pedido público de desculpas da Google pela vulneração de seus direitos e reivindica uma compensação econômica de 61 mil iuanes [US$ 8,9 mil] pelos danos causados.

O advogado afirmou que o autor de Acid House, que tem 29 anos, não é o único escritor que enfrentou o Google e não descarta que outros romancistas movam demandas similares.

EFE | 27/05/2010