Google revela divisão de receitas de propaganda com editoras


O Google revelou como é feita a divisão das receitas obtidas a partir da publicidade com editoras de conteúdo.

O movimento, de acordo com informações do diário econômico “The Wall Street Journal” desta segunda-feira [24], é feito em resposta a editoras e reguladores que pedem maior transparência do Google em relação ao assunto.

A companhia informou que direciona 68% da receita cobrada dos anunciantes para publicidade que aparece no site dos editoras. O Google disse também que paga a elas 51% da receita por anúncios de busca.

O Google resistia, há algum tempo, à revelação desse percentual.

No ano passado, jornais italianos reclamaram que a companhia estava abusando da posição dominante no país em seu serviço de busca.

À época, os jornais disseram que sites noticiosos que não desejavam aparecer no Google Notícias eram automaticamente excluídos do serviço de buscas, e que isso poderia acarretar efeitos “de distorção” no mercado publicitário na internet.

O Google está tentando se apresentar como mais aberto e amigável. É difícil sustentar esse argumento se não forem abertos sobre isso [publicidade]“, disse o analista do Gartner, Andrew Frank.

A companhia tem sido alvo de entidades reguladoras na Europa e nos Estados Unidos.

Outros jornais – como o “New York Times” – negociam os termos da divisão de receitas com o Google. Termos desses acordos, entretanto, não são conhecidos.

Folha.com | Tec | 24/05/2010-21h01

Venda de e-book cresce 252% no primeiro trimestre nos EUA


A venda de e-books de 13 editoras que reportam seus resultados à Associação Americana de Editoras [AAP] cresceu cerca de 252% no primeiro trimestre de 2010 e ficou em US$ 91 milhões, informou a AAP.

O crescimento deu uma desacelerada em março em comparação aos dois primeiros meses, mas as vendas continuaram crescendo 184.8% e fecharam o mês em US$ 28,5 milhões. Além disso, no trimestre, as vendas subiram em sete das 14 categorias acompanhadas pela AAP com os maiores ganhos entre os segmentos de livros impressos: trade paperback, com vendas 23,5% maiores, e de livros universitários com vendas 18,3% superiores. A venda de livros adultos, infantis e juvenis feitos em capa dura caíram 35,2% no trimestre, enquanto os paperback ficaram 8.6% menores.

Confira a reportagem em inglês.

Publishers Weekly | 24/05/2010