Primeiro e-book de Angela Lago à venda na Amazon


Iniciativa de converter o “De morte!” foi da própria autora

Enquanto Angela Lago participava do Café Filosófico com o conterrâneo Frei Betto na Bienal do Livro de Minas, na sexta-feira [14], seu primeiro e-book começava a ser vendido na Amazon por US$ 8. Nesta semana, a Livraria Cultura também terá o De morte!, obra lançada em papel em 2002, no seu catálogo. “Quisemos fazer uma experiência para conhecer melhor o terreno do e-book”, disse Joana Mello, advogada especializada em direitos autorais e que agora também presta assessoria em livros eletrônicos. Sobre lançar o e-book primeiro na Amazon, ela conta que foi meramente por questões burocráticas. Como esse negócio começou lá há mais tempo, tudo fica mais fácil.

De uma conversa entre a advogada e a escritora surgiu a ideia da parceria. A editora RHJ também topou e Joana converteu o livro para e-Pub, o que não foi fácil devido ao formato que tem o livro infantil, às ilustrações e tudo o mais. “O meu desejo é que essas novas formas de livro democratizem a leitura”, disse a escritora.

A relação de Angela com a tecnologia vem de 1985, quando ela começou a usar o computador para desenhar. “O computador é o pincel do nosso tempo e a tecla undo é perfeita”. Ela conta que tem mais facilidade em desenhar dessa forma do que a mão e que assim se sente mais livre para errar. “A borracha é sempre uma revelação do que fizemos de errado e a tecla undo anula o nosso erro”, diz.

De acordo com Angela, usar a tecnologia a seu favor não desdiz o trabalho do artista e agora que essa primeira ideia de tranformar um de seus títulos em e-book deu certo ela quer mais: “Quero muito contar histórias animadas e interativas e estou estudando isso”.

PublishNews | 17/05/2010

iRiver Story, o e-Reader coreano, chega ao Brasil


Em branco, com peso de 286 gramas, exibindo alto-falantes e entrada para cartão SD. É assim que o iRiver Story, um e-Reader coreano, vai se apresentar aos brasileiros e colocar o nacional Gato Sabido e o americano Kindle no ringue da concorrência.

Embora o iRiver esteja chegando aqui um pouco tarde, ele não adota um look muito diferente para tentar surpreender. Com teclado físico e uma tela de 6 polegadas, ele tem a cara do Kindle e pode até ser confundido com sua primeira versão, também com tela de 6?. Mas um olhar mais atento revela algumas diferenças.

Em primeiro lugar, o iRiver não conta com acelerômetro interno, por isso é necessário apertar um botão para rotacionar a tela, um ponto negativo contra ele. Para balancear, um ponto a favor é que ele tem entrada para SD de até 32 GB, expandindo a capacidade inicial de 2 GB [algo impossível no Kindle, cuja primeira versão tem 2 GB e a segunda, a DX, tem 4 GB].

Comparando o peso, pode-se dizer que ele está em forma. Pesa 286 gramas, contra 293 da primeira versão do Kindle. Ambos têm alto-falantes. Dá para abrir audio books em mp3, wmv e ogg.

Algo que agrada no iRiver desde o primeiro momento é a clareza do menu, muito fácil de mexer. Na tela de abertura, você encontra a opção de ler livros ou quadrinhos, que ficam bonitos na tinta eletrônica, ou acessar suas pastas. Os comandos são por botões direcionais. Isso causa um pequeno estranhamento para quem está acostumado aos gadgets touchscreen, mas o problema é geral entre os readers.

A tela fosca é de boa qualidade e o aparelho permite dar zoom e ajusta os documentos. O acabamento é arredondado, com quatro botões laterais e teclas quadradas, firmes. Em linhas gerais, a impressão é boa, mas para comprar um desses é preciso realmente achá-lo excelente. Afinal, a intenção dele é ser seu último e definitivo livro.

O grande problema, porém, é na conectividade. A versão com Wi-Fi e 3G do iRiver Story só chega no fim do ano. Por enquanto, é preciso baixar livros no PC e transferir via cabo. Além disso, a iRiver não tem loja de e-Books. A solução é buscar os livros pela web. Em breve, espera-se que Livraria Cultura e Saraiva também vendam seus livros eletrônicos, o que ameniza a dificuldade.

Para quem gostou, já é possível fazer as contas. O preço recomendado do iRiver é de R$ 1.299 reais. Ele estará disponível na Fnac na segunda quinzena de junho e em breve migrará para outras lojas.

Por Priscila Jordão | Gadgets INFO Blogs | Segunda-feira | 17 de maio de 2010 | 12:32