Alice in Openland


Na onda do hype em torno da Alice no País das Maravilhas de Tim Burton, o Open Culture listou algumas versões e adaptações que estão livres. A história de Lewis Carroll, escrita em 1865, gerou centenas delas – e muitas estão leves e soltas na web.

Dá para acessar, por exemplo, o manuscrito original de Carroll. Ou ter acesso à tradução russa de 1979 com lindas ilustrações. Ou assistir à segunda adaptação para o cinema, feita em 1915 – a primeira, você deve ter visto, já circulou bastante na web.

A lista é bem bacana. Vale uma olhada.

Estadão.com.br | Por Redação Link | Tatiana de Mello Dias | 6 de maio de 2010 | 21h57

Literatura digitalizada


Novas ferramentas tecnológicas dão novo fôlego ao mercado editoriale são alternativas para escritores que buscam uma chance para publicar seus livros

A estudante Vanessa Ferreira de Almeida, 21 anos, nunca publicou um livro no mundo físico. Mas seu alter ego, Katrina, compartilha sua prosa no impalpável porém democrático universo digital. O pesquisador David Caparelli, 72, já lançou livros no mundo offline e faz sua estreia no online. O que dois escritores de gerações tão diferentes podem ter em comum? As novas tecnologias a serviço da busca por um lugar ao sol no mercado editorial. Como Vanessa e Caparelli, outros autores brasileiros que não são tão populares já estão concretizando o velho sonho de publicar suas obras. Com o advento de ferramentas como o book on demand e os e-books, eles não precisam mais conviver com o fantasma da rejeição das editoras ou verem anos de dedicação não se tornarem realidade. Caparelli, por exemplo, faz, hoje, noite de autógrafos de seu livro A origem dos números e seu significado, com Deu tilt, do jornalista Do De Candido, com tiragens impressas em papel sintético e sob medida para os 200 convidados que participarão do evento, na AlphaGraphics Vila Olímpia [Rua Gomes de Carvalho, 1629 – Vila Olímpia – São Paulo/SP. Tel.: 11 3842-6366].

Jornal da Tarde – 06/05/2010 – Adriana Del Ré