Aprenda a editar textos capturados pelo scanner


Para começar, é bom saber que OCR significa Optical Character Recognition, ou em português, reconhecimento ótico de caracteres. Com essa tecnologia, você consegue transformar textos que estão dentro de imagens em arquivos editáveis. E um site na internet te proporciona essa conversão de forma gratuita. Olha só.

Esta é uma imagem JPEG [lê-se JOTAPÉG] e nela existe um texto, como você pode ver. Ao fazer o upload para este site, OCR Free, ele te dá as opções de conversão para PDF, Word, Excel, Rtf, Html ou txt. E se fizer um cadastro, ainda é possível escolher o idioma para que o sistema reconheça caracteres especiais como cê cedilha ou acentuações. A gente fez o teste. O resultado, é claro, traz algumas imperfeições na transcrição, mas nada que uma leitura atenta e alguns toques não resolvam. E o mais legal é que, na transcrição para documentos de texto, o sistema identifica as fontes mais próximas daquela utilizada na imagem.

Taí uma ótima opção para transcrever trechos de livros ou auxiliar em trabalhos escolares. É só escanear as páginas e fazer o upload aqui. O link está no início desta matéria.

Olhar Digital | 18/04/10

Vivo negocia lançar iPad 3G em 2010


A Vivo negocia com a Apple o lançamento do iPad. A previsão da operadora é que o “tablet” da fabricante americana chegue ao Brasil ainda neste ano. O interesse da Vivo, bem como o das demais operadoras, é colocar no mercado brasileiro a versão 3G do iPad.

Esse modelo será vendido desbloqueado. Os planos de dados [para conexão à internet] que as operadoras venderão atrelados ao iPad poderão ser cancelados sem ônus para o cliente desde que ele avise com um mês de antecedência. No Brasil, ainda não se sabe como será o modelo de negócio.

Antes de definir preços, a Vivo ainda aguarda uma resposta sobre a viabilidade técnica do iPad. Nos EUA, os chips embarcados no equipamento são diferentes dos chips empregados no Brasil. Seria preciso uma adaptação para que eles funcionassem na rede da Vivo e na das demais operadoras.

Além das questões técnicas, existe também um entrave legal. A marca “iPad” no país pertence a uma empresa chamada Transform Tecnologia de Ponta. A Apple teria de negociar com ela o direito de uso do nome para lançar o produto.

Folha de S. Paulo – 18/04/2010 – Por Julio Wiziack